Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Carta? Que carta?

 Qual Carta?

Estratégia petista mais parece a de um

partido que se prepara para ser

OPOSIÇÃO

 
 
 
O candidato Lula, em sua primeira disputa vitoriosa à Presidência da República, procurou distanciar-se das posições mais à esquerda de seu partido, divulgando uma carta, a “Carta ao povo brasileiro”, que balizou as posições que viria a tomar se eleito. Sabia que, se mantivesse a doutrina tradicional petista, anticapitalista e socializante, certamente iria perder novamente as eleições. Do ponto de vista do espectro político, aproximou-se do centro, capturando a simpatia de empresários e de uma classe média até então refratária ao PT. O movimento foi inteligente e o seu resultado foi o sucesso.
 
Ocorre, contudo, que o PT não tornou a “Carta ao povo brasileiro” um documento partidário, o que o teria obrigado a uma revisão doutrinária, optando pela social-democracia e distanciando-se de posições revolucionárias. Em vez de uma revisão doutrinária necessária, a escolha recaiu na inércia, na omissão e, na verdade, na esquizofrenia.
 
A esquizofrenia teve todo o caminho aberto para se desenvolver. O governo petista de Lula, sobretudo em seu primeiro mandato, fez uma escolha, de fato, pela social-democracia, com matizes liberais. O nome social-democracia permaneceu, porém, no nível partidário, um nome feio por designar o seu principal adversário. Entretanto, a prática de governar pouco tinha a ver com a doutrina partidária. Poderíamos, inclusive, dizer, com Antonio Palocci, no Ministério da Fazenda, e Henrique Meirelles, no Banco Central, que a política macroeconômica era “neoliberal”.
 
O PT perdeu substância do ponto de vista doutrinário, porém ganhou poder implantando-se fortemente no aparelho de Estado. Passou a ser uma máquina eficiente na conquista eleitoral, aproveitando-se da política social de seu governo, de corte social-democrata, personificada no Bolsa Família, na política de aumento do salário-mínimo e em outras formas distributivistas. A prática era uma; a teoria, outra.
 
O governo Dilma seguiu essa mesma política social-democrata, com as tinturas de um maior intervencionismo estatal na área econômica, já presentes no segundo mandato de Lula. Diria, mesmo, que se distinguiu de seu antecessor por uma política social muito mais responsável ao procurar a resolução e o equacionamento de conflitos sociais, em vez de potencializá-los.
 
Isto é particularmente visível em sua relação com o agronegócio, tornado um parceiro na condução dos assuntos do país. A CNA, presidida pela senadora Kátia Abreu, estabeleceu um diálogo com a Presidência, extremamente profícuo para o Brasil como um todo. A insegurança jurídica no campo teve uma substancial redução.
 
 
A reforma agrária, por sua vez, sofreu uma mudança de foco, passando a centrar-se na qualificação dos assentamentos, de modo a estes não se tornarem favelas rurais. A ênfase foi posta na formação técnica, na produtividade, de modo que os assentados possam se tornar agricultores familiares voltados para uma economia de mercado. A transformação foi importante.
 
Outro ponto que merece destaque foi sua política em relação aos meios de comunicação, não aceitando, por princípio, nenhuma forma de controle dos mesmos, em uma defesa resoluta da liberdade de imprensa. Sua é a expressão de que o único controle que admitia era o controle remoto dos aparelhos de televisão. Engavetou, inclusive, um projeto deixado por seu antecessor de “controle social dos meios de comunicação” ou de “democratização dos meios de comunicação”, conforme se queira dizer, para melhor encobrir formas propostas de censura.
 
Nestes dois pontos, o seu distanciamento com as formulações doutrinárias do PT só se acentuou. A eleição, contudo, está levando a uma aproximação com posições partidárias que contradizem a própria prática petista de governar nesses últimos anos. Em vez de retomar e aprofundar uma “Carta ao povo brasileiro”, que deveria ser um documento partidário, a presidente e o PT estão, em sua estratégia política, formulando praticamente uma “Carta aos petistas”. A presidente afasta-se de sua própria prática de governo e o PT retoma as suas posições doutrinárias tradicionais. A esquizofrenia ganha novos contornos.
 
Explico-me. Há um texto implícito na atual estratégia que merece a denominação de “Carta aos petistas”. Ela está voltada principalmente para o seu público interno. Em contradição explícita com a política do governo Dilma até aqui, ela se caracteriza, entre outros quesitos: a) pela recuperação da política de “democratização dos meios de comunicação”, com o objetivo de controle destes mesmos meios, que estariam fazendo o “papel das oposições”, o jogo dos “conservadores”; b) pela retomada da interlocução com os ditos “movimentos sociais”, em particular o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), braço urbano do MST, agora voltado contra a “especulação imobiliária”; c) pela aposta na fratura social e política por intermédio do discurso que tinha sido enfraquecido dos “ricos” contra os “pobres”, em um jogo canhestro de reafirmação da “luta de classes”; d) pela racialização da política, tornando o xingamento em um estádio a manifestação de uma “elite branca”.
 
É como se o partido e a presidente estivessem voltando a sua atenção, não para o eleitor em geral, mas para os simpatizantes e militantes petistas. É um discurso “intramuros”, procurando recolher o rebanho perdido. Convém ressaltar que a “Carta ao povo brasileiro” era “extramuros”. Trata-se, atualmente, de uma política de resistência, própria de um partido acuado, e não de um governo que completa 12 anos. Na experiência petista do Rio Grande do Sul aparecia que, quando o discurso eleitoral era dirigido para dentro do partido, este perdia a eleição. Quando se voltava para fora, as suas chances de sucesso eram grandes.
 
A atual estratégia eleitoral petista mais parece a de um partido que se prepara para ser oposição, do que a de um governo que deveria apresentar os resultados de seus três mandatos de exercício do poder.
 
Qual é a Carta que vale?
 
Denis Lerrer Rosenfield
Professor de Filosofia - Universidade Federal do Rio Grande do Sul


 
Vamos imaginar que o Partido dos Trambiqueiros esteja se preparando para ser oposição.  Estará ele preparado para agir de  acordo com o que diz  o ex-presidente?  Como serão as mentiras, o exibicionismo e a tapeação ? 

sábado, 28 de junho de 2014

Frases da candidata petista à Presidência (e atual presidente)

 
 
Coletânea de Dilma Rousseff
 
 
 “Eu sempre escuto os prefeitos. Por que é que eu escuto os prefeitos? Porque é lá que está a população do país, ninguém mora na União, ninguém mora… “Onde você mora?” “Ah, eu moro no Federal”.
 
 
“A única área que eu acho que vai exigir muita atenção nossa, e aí eu já aventei a hipótese de até criar um ministério, é na área de… Na área… Eu diria assim, como uma espécie de analogia com o que acontece na área agrícola.”
 
 
 “A mulher abre o negócio, tem seus filhos, cria os filhos e se sustenta tudo isso abrindo o negócio.”
 
 
 “A Zona Franca de Manaus, ela está numa região. Ela é o centro dela porque ela é a capital da Amazônia.”
 
 
 “Vamos dar prioridade a segregar a via de transporte. Segregar via de transportes significa o seguinte: ou você faz metrô, porque o metrô… porque o metrô, segregar é o seguinte, não pode ninguém cruzar rua, ninguém pode cruzar a rua, não pode ter sinal de trânsito, é essa a idéia do metrô. Ele vai por baixo, ou ele vai pela superfície, que é o VLT, que é um veículo leve sobre trilho. Ele vai por cima, ele para de estação em estação, não tem travessia e não tem sinal de trânsito, essa é a idéia do sistema de trilho.”   ACHO QUE ELA SE ENGANOU SOBRE QUAL SERIA A  PRIORIDADE POPULAR!
 
 
 “Tudo o que as pessoas que estão pleiteando a Presidência da República querem é ser presidente.”  É MESMO, É?  PENSEI QUE ... QUE... QUER DIZER, PENSEI QUE ... AH! DEIXA ISSO PRÁ LÁ !
 
 
 “Eu vi. Você veja… Eu já vi, parei de ver. Voltei a ver e acho que o Neymar e o Ganso têm essa capacidade de fazer a gente olhar.”
 
 
 “Eu quero adentrar pela questão da inflação, e dizer a vocês que a inflação foi uma conquista desses 10 últimos anos do governo do presidente Lula e do meu governo.”
 
 
 “Eu também vou falar… eu vou falar pouco. Vou explicar por quê: todo mundo, antes de mim, disse que ia falar pouco, não é? E aí, tinha uma senhora ali, na frente, que falou o que todos nós estamos sentindo. Ela disse assim: “Eu estou com fome”. E eu vou levar em consideração ela, que falou uma coisa que todo mundo está pensando, mas não está falando.” 
 
 
9. “A auto-suficiência do Brasil sempre foi insuficiente.”
 
 
8. “Em Portugal, o desemprego beira 20%. Ou seja, 1 em cada 4 portugueses estão desempregados.”
 
 
7. “Primeiro, eu queria te dizer que eu tenho muito respeito pelo ET de Varginha. E eu sei que aqui, quem não viu conhece alguém que viu, ou tem alguém na família que viu, mas de qualquer jeito eu começo dizendo que esse respeito pelo ET de Varginha está garantido.”
 
 
6. “Em Vidas Secas está retratado todo problema da miséria, da pobreza, da saída das pessoas do Nordeste para o Brasil.”
 
 
5. “O meio ambiente é sem dúvida nenhuma uma ameaça ao desenvolvimento sustentável.”
 
 
4. “Eu quero, então, voltar aonde eu comecei. Eu vou falar agora que aqui tem 37 municípios. Eu vou ler os nomes dos municípios, porque eu acho importante que cada um de vocês possa (sic) se identificar aqui dentro e, por isso… Eu ia ler os nomes, não vou mais. Por que não vou mais? Eu não estou achando os nomes. Logo, não posso lê-los.”
 
 
3. “Eu ontem disse pro presidente Obama que era claro que ele sabia que depois que a pasta de dente sai do dentifrício ela dificilmente volta pra dentro do dentifrício. Então que a gente tinha de levar isso em conta. E ele me disse, me respondeu que ele faria todo esforço político para que essa pasta de dente pelo menos não ficasse solta por aí e voltasse uma parte pra dentro do dentifrício.”
 
 
2. “Eu estou muito feliz de estar aqui em Bauru. O prefeito me disse que eu sou, entre os presidentes, nos últimos tempos, uma das presidentes, ou presidentes, que esteve aqui em Bauru.”
 
 
1. “Se hoje é o dia das crianças, ontem eu disse que criança… o dia da criança é dia da mãe, do pai e das professoras, mas também é o dia dos animais, sempre que você olha uma criança, há sempre uma figura oculta, que é um cachorro atrás.”
 
 
 


 
Como o voto -  ou melhor, povo -
a quem a presidente costuma se dirigir só pensa com as pernas,
provavelmente não repara nos absurdos ditos .



Muitos dos absurdos ditos pela PresidentA já são conhecidos pela maioria das pessoas,
no entanto, é bom  que essas barbaridades fiquem aqui registradas.
Querem, futuramente, retirar essa página do blog?
Não façam cerimônia! Será apenas a quarta página daqio retierada, mas será retirada só daqui!!!


 

sexta-feira, 27 de junho de 2014

"EGO SUN DE BAGOS PLENUS!"

 
 
 




 Estou de saco cheio do Lula. 
por Monica Schalka. 



 

Em semana de termos chulos, entro na onda. Estou de SACO CHEIO de ouvir o tal do Lula falar em trabalhadores como se esses fossem uma classe específica de quem recebe baixos salários. Sou casada há quase 30 anos com um super trabalhador. Entrou em uma faculdade de primeiríssima aos 16 anos, formou-se aos 21, aos 24 anos já sustentava uma família e, desde então, tem trabalhado ininterruptamente.
Por mais de 30 anos, esse trabalhador acorda todos dias ås seis e meia da manhã. Cumpre uma jornada de 10 a 12 horas diárias de trabalho. Finais de semana gastos com a empresa, são rotina. Paga impostos milionários que só Deus -- e talvez você e seu grupo - saibam para onde vão. Passou sua vida inteira se aprimorando em estudos e criou 3 filhos dentro desses mesmos valores. Filhos estudiosos e já trabalhadores também, colaborando em impostos e avanços em nossa sociedade.

Portanto, Lula, ainda no embalo dos jargões da semana, hoje somos elite, sim! Com muito orgulho, com muito amor e, acima de tudo, com muito esforço. Nos tornamos elite ås custas de empenho, sacrifícios e muita dedicação. Em minha casa, meus filhos quando querem evoluir, trancam-se em um quarto e estudam. Estudam muito. E dessa forma galgam novos patamares. Algo bem distinto do que o "prodígio" Lulinha faz…
 
Assim, já que xingar uma “dama” é deselegante, — no que concordo integralmente, ainda mais sendo ela uma autoridade — deixo para você minha indignação com o que tenta fazer deste país: Lula, vá tomar no cú você! Com todas as poucas letras que a palavra contém... (Chego até lamentar serem tão poucas...)

Acompanha uma fotinho minha, bem de elite, sim. O colar que está no pescoço, porém, se foi, levado por um assaltante que deixou bem claro que "se nem o presidente estuda e rouba pra caralho, por que eu também não posso fazer o mesmo..??” Como vê, Lula, existem trabalhadores e "trabalhadores”. Fico feliz por não fazer parte do mesmo grupo que você e "meu/seu" assaltante.
E aos amigos que nunca me viram usar de palavrão, deixo aqui minhas desculpas... Espero que entendam essa exceção.

 

quinta-feira, 26 de junho de 2014

REPÚDIO

 


 
MP-SP solta nota de repúdio contra Reinaldo 
                                                                       
:

Associação Paulista do Ministério Público, entidade que representa promotores e procuradores de Justiça de São Paulo, divulgou nota oficial contra o blogueiro neocon Reinaldo Azevedo, de Veja.com; o motivo foram as ofensas proferidas contra o promotor de Justiça José Carlos de Freitas e o Ministério Público do Estado de São Paulo; "nada autoriza a veiculação de agressões e ofensas gratuitas, e pior, com acusações infundadas e injustas", diz o texto; "Não se podem permitir ataques baixos e grosseiros contra uma das instituições mais respeitadas de São Paulo e do Brasil"
 

 
Em tempo e a favor de todos os blogueiros
- 19 de Junho de 2014 -
 

 

Cuidado com a prostituição nacional

 
 
Para manter aliança com o PR,
Dilma troca ministro dos Transportes
 
Presidente se reuniu com César Borges,
que será substituído por Paulo Sérgio Passos
 
- por -
 
 

 

 

O gato comeu Dilma, por Ricardo Noblat

Que autoridade tem a presidente da República se ela cede à pressão de um partido aliado e demite do seu governo um ministro que jamais passou pela cabeça dela demitir?
É o que Dilma está prestes a fazer. O PR pediu a cabeça de César Borges, ministro dos Transportes, sob a alegação de que ele não mantém uma boa relação com deputados.
A cabeça lhe será dada. Foi o que o ministro Aloisio Mercadante, da Casa Civil, garantiu a líderes do partido.
No lugar de Borges entrará Paulo Sérgio Passos, do PR, ex-ministro dos Transportes.
Uma vez atendido, o PR confirmará seu apoio à reeleição de Dilma. E lhe dará seu tempo de propaganda eleitoral no rádio e na televisão.
Cadê a Dilma senhora do seu governo e que não se dobra às exigências descabidas dos políticos?
O gato comeu.
Tudo pelo poder.
 
 
 

 



 

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Cadê os dentinhos que estavam aqui?

 
 
Ou será que mais de acordo seria
"Cadê as pernocas que estavam aqui?"
 
 
A moda, agora, não é jogar apenas com as pernas,
mas também com outras partes do corpo.   
 Alguns usam os braços, para 'segurar' o adversário,
enquanto outros usam ... os dentes.
 
O jogador uruguaio Soarez que o diga!
 
 
 
 
 
A Copa do Mundo pode ser nossa,
mas o dentinho ... 
é dele!
 
 

 
 

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Marco Civil - Para que serve

- I -

Dinheiro do pré-sal é usado para fazer caixa

O Globo
Com as contas já estouradas, o governo está utilizando todos os meios contábeis para demonstrar que está cumprindo com suas obrigações. Além de utilizar o dinheiro do PIS, agora está utilizando o dinheiro do pré-sal, que deveria ser utilizado para a educação, para fazer caixa e garantir o superávit primário para o pagamento dos juros aos credores internacionais.



- II -
MARCO CIVIL  JA ESTÁ EM VIGOR
marco-civil-da-internet-entra-em-vigor-nesta-segunda-sem-regras-sobre-temas-polemicos-12972375 
 
Após sete longos anos de discussões técnicas e disputas políticas,
o Marco Civil da Internet passa a valer a partir de hoje,
mas temas sensíveis ainda precisam de regulamentação
para entrarem em vigor.
Para o internauta, o texto garante uma série de direitos,
como a proteção da privacidade e defesa da liberdade de expressão. Por outro lado, artigos que tratam sobre
exceções à neutralidade de rede
e guarda de dados estão em suspenso à espera de regras
que definam sua aplicação.
 

Se, antes, diversas paginas já foram apagadas do blog inicial A CASA DA MÃE JOANA, 
imaginem como será daqui por diante.

 
A  CENSURA SERÁ AINDA MAIS
'MALIGNA'? 

I M P E R D Í V E L ! VERDADEIRO CARÁTER DE UM EX-PRESIDENTE

 
"NA MINHJA CABEÇA ESTÁ ASSIM
 
CADA DEGRAU QUE O SENHOR LULA SUBIU NA CARREIRA DELE,
 
ELE SUBIU NA CABEÇA DE UMA METALÚRGICO. 
 

VÍDEO IMPREDÍVEL
QUE LEMBRA FATOS JÁ CONHECIDOS
 
 

Depois que nasceu, a filhinha cresceu e  também se aproveitou?

domingo, 22 de junho de 2014

Ratos abandonam o navio

 

PTB abandona Dilma e declara
apoio a Aécio Neves
- FolhaPress -

SÃO PAULO, SP - Em nota oficial divulgada neste sábado (21), Benito Gama, presidente nacional do PTB, confirmou que o partido vai apoiar a candidatura de Aécio Neves (PSDB) à Presidência. O anuncio foi feito no mesmo momento em que a convenção petista lança a campanha de Dilma Rousseff à reeleição. O PTB decidiu deixar a coligação da presidente para apoiar o rival. O apoio dos petebistas era dado como certo no comitê da presidente. Em maio, ela foi à sede do partido para celebrar a união em almoço. A reviravolta transfere para o tucano cerca de 40 segundos em cada bloco de propaganda eleitoral na TV. Além disso, representa um baque no momento em que Dilma tenta mostrar força e estancar a queda nas pesquisas de intenção de voto. De acordo com a nota, a "decisão atende o clamor da maioria da bancada federal e de Estados, onde os conflitos locais entre PTB e PT ficaram insustentáveis, como, por exemplo, Distrito Federal, Roraima, Piauí e Rio de Janeiro. Os Estados ficam liberados para manter os acordos locais". O PTB estava contrariado com o Planalto desde o início do ano. Seus dirigentes se sentiram rejeitados na reforma ministerial, feita justamente para ampliar o tempo de Dilma na TV. Na nota, Gama afirma que "mais uma vez sintonizado com o desejo de mudanças que vem sendo expressado pela ampla maioria do povo brasileiro, o PTB declara seu apoio ao senador Aécio Neves". A decisão do partido deve ser formalizada no próximo dia 27, em Salvador (Bahia), durante a convenção da legenda. 
 
Nota: se quiserem tirar esta página de 'circulação', sintam-se à vontade.  Podem apagar o que não escrevi, mas jamais apagarão a realidade que os consome (ou afunda!).
 
 
 

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Esperança brasileira contra o ódio "lulista"

 

Nossa esperança vencerá o ódio de Lula e do PT
 
 
Brasil Econômico - 20/06/2014
Roberto Freire
 

A possibilidade real de que o PT seja derrotado nas eleições de outubro vem atormentando o ex-presidente Lula. A reação destemperada às vaias e xingamentos direcionados a Dilma Rousseff durante o jogo de abertura da Copa do Mundo e a velha tentativa de dividir o país entre “nós e eles”, jogando os brasileiros uns contra os outros, dizem muito sobre o temor lulopetista de deixar o poder após 12 anos.


A resposta ao comportamento dos torcedores foi desqualificar a manifestação e transformar em vítima a presidente da República, que teria sido alvo da revolta das “elites” contra o governo. O próprio Lula vem entoando a palavra de ordem que deve ser repetida pela militância nos próximos meses de campanha: a esperança vencerá o ódio. Isso depois de o PT veicular na televisão a famigerada propaganda em que fomenta o discurso do medo, aterrorizando a população para o caso de vitória da oposição na disputa presidencial.


Apostando na mentira e investindo no ódio, Lula faz a política que sempre fez e mostra que nada aprendeu, por exemplo, com o saudoso líder sul-africano Nelson Mandela. Depois de passar 27 anos na cadeia, Mandela foi eleito presidente da África do Sul e pôs fim ao odioso regime de segregação racial do qual foi vítima, o apartheid. Ao invés de se vingar daqueles que o oprimiram durante quase 50 anos, ele construiu uma nação, promovendo a convivência democrática entre negros e brancos.


Lula, por sua vez, divide a sociedade brasileira e acusa a oposição, a imprensa e a “elite” de tentarem desestabilizar o governo. Nada mais fantasioso. Ao mesmo tempo em que se arvora à condição de defensor dos fracos e oprimidos, o petista troca afagos com notórios representantes da elite mais atrasada do país, como José Sarney – a quem chamou, em 1987, de “o maior ladrão da Nova República” –, Fernando Collor e Paulo Maluf. Ademais, não podemos nos esquecer de que, em seu histórico de agressividade, Lula rompeu todos os limites do bom senso quando chamou o ex-presidente Itamar Franco de “filho da p...”, destilando ódio.


Como costuma dizer o próprio Lula em suas diatribes, nunca antes neste país a banca financeira nacional encheu tanto os bolsos quanto nos últimos 12 anos. Somente no primeiro trimestre, o lucro dos quatro principais bancos foi de R$ 10,5 bilhões. Em 2013, os empréstimos do Tesouro aos bancos públicos, em especial o BNDES, alcançaram R$ 438 bilhões. São cifras que, convenhamos, levam a elite econômica brasileira a ser grata ao PT, jamais a odiá-lo.


Ao tentar circunscrever os protestos na abertura da Copa a uma ínfima parcela de privilegiados, Lula fecha os olhos para a realidade em nome da bravata eleitoral. Segundo o Datafolha, 74% dos brasileiros defendem mudanças nas ações adotadas pelo próximo presidente e apenas 16% veem Dilma como a mais preparada para realizá-las, o que dá a medida do tamanho do descontentamento.


Ao responsabilizar os adversários pela indignação da sociedade, Lula prefere não enxergar o que até mesmo observadores menos atentos da realidade brasileira já perceberam: o ciclo do PT se esgotou e é questão de tempo para que o Brasil vire esta página e comece a escrever um novo capítulo de sua história. A agressividade lulopetista será a grande derrotada nas urnas. Lula, a nossa esperança vencerá o seu ódio.






 

Hostilidades nacionais! Quem entregará a taça?

 
 
 
 
 
A FIFA  arranjou um bom lugar onde praticar a Copa do Mundo.  Mas não esperava que não teria alguém para fazer um discurso na inauguração, da mesma forma que agora despencou uma tremenda dúvida sobre quem entregará a taça .
 
A presidente brasileira fugiu da vaias ao não discursar na abertura do campeonato mundial de futebol, mas não escapou das agressões da plateia ali presente.  Certamente  ela  não terá coragem de fazê-lo na entrega final. 
 
Maiores detalhes sobre o assunto:
 
 

É Copa!" O cagaço bate na rede! GOOOOOOOOOOOOOLLL !!!




Gilberto Carvalho disse que "Não tinha só elite branca no Itaquerão.”  Com blogueiros, ministro contraria Lula e diz que visão de governo que não combate a corrupção chegou às classes mais baixas.  


Gilberto Carvalho, que é mais um ministro petista, embora seja mero Secretário da Secretaria Geral da Presidência, passou duas horas conversando com atuantes partidários, entre   blogueiros, diversos tipos de ativistas e jornalistas, todos favoráveis ao atual governo petista, para montar algumas estratégias que os ajudem a enfrentar a reação de muitas pessoas que estão nas REDES SOCIAIS.  

Um dos assuntos teria sido o discutível decreto da presidente Dilma para que seja aprovado.  O tal decreto cria conselhos de participação popular na formulação de políticas públicas.  Se levarmos em conta que apenas os MSTs e congêneres são considerados populares, não há nada mais democrático que um decreto como esse! 

Durante a reunião, foram feitas cobranças  que possibilitem projetos de regulação de mídia, além de uma redistribuição de verba publicitária. 

 

Gilberto Carvalho alertou, também,  para

o perigo que o governo enfrenta na próxima eleição,

segundo ele

"a mais dura para o PT".

 

Ele admitiu que o governo não travou como devia o DEBATE para responder a “pancadaria” da mídia, que segundo ele, resultaram nos ataques a Dilma no estádio do Itaquerão.  Ele só esqueceu, e não havia quem o "alertasse", que  CENSURA NUNCA FOI DEBATE. 
 

Contrariando o ex-presidente igualmente petista,  Carvalho disse que não tinha só “elite branca” entre os que xingaram a presidente.  Esse foi mais um "esquecimento" do secretário-ministro, pois não se pode confundir o que está na política com a voz dos estádios (nem nas denominadas arenas).  Ou seja, não devemos jamais confundir ecos populares dos estádios de futebol com os ecos que veremos nas urnas.


quarta-feira, 18 de junho de 2014

Significado das vaias presidenciais

 

http://www.goal.com/br/news/227/copa-do-mundo-2014/2014/06/14/4883610/dilma-volta-a-ser-xingada-em-coro-em-partida-da-copa

 

Guilherme Schneider

Durante a vitória por 3 a 0 da Colômbia sobre a Grécia a mineira Dilma Rousseff foi xingada no Mineirão.
A Copa do Mundo no Brasil mal começou e as vaias direcionadas à presidente Dilma Rousseff já tem sido frequentes.
 
Após xingamentos durante a partida de abertura entre Brasil e Croácia , Dilma voltou a ser lembrada. Desta vez em Belo Horizonte, berço eleitoral do senador Aécio Neves, principal adversário político da presidente, e que governou o estado entre 2003 e 2010.
 
Os novos xingamentos aconteceram principalmente no segundo tempo da partida entre Colômbia e Grécia, vencida por 3 a 0 pelos sul-americanos no Mineirão. Mesmo com grande presença de colombianos no estádio mineiro, o coro de "Ei, Dilma, vai tomar no.." voltou a ser entoado.
 
Apesar de Dilma ter nascido em Minas Gerais e ser torcedora declarada do Atlético-MG, sua carreira política se desenvolveu no Rio Grande do Sul. As constantes vaias ocorrem poucos meses antes das eleições presidenciais.
 
 
 
 
SIGNIFICADO DO XINGAMENTO PRESIDENCIAL:
 
Quem esteve nos diversos estádios de futebol não era, segundo o PT, o povo, pois ali estava  apenas a considerada por eles a "elite" que tinha dinheiro sobrando para assistir aos jogos da Copa Mundial. 
 
Não foi falta de educação, coisa imaginária no Brasil. O que aconteceu foi a demonstração de insatisfação de uns e o 'modismo' de outros.  Mas, no geral, ficou provado que o partido quis e não conseguiu se aproveitar do idolatrado futebol para misturá-lo com política. O que nunca será aceito pelos brasileiros.  PALMAS PARA OS BRASILEIROS.
 
 

Texto de JORGE OLIVEIRA - TV GLOBO TAMBÉM NÃO QUER QUARTO MANDADO DO PT!


“TV GLOBO” agora TAMBÉM
NÃO QUER mais O QUARTO MANDATO do PT




(JORGE OLIVEIRA)

O Brasil entrou em estado de letargia, o povo está assustado e indiferente aos festejos da Copa do Mundo. De um canto a outro do país, empresários reclamam do fracasso da organização e alguns já lamentam os investimentos feitos para a época dos jogos.

É isso mesmo.

O PT conseguiu o que jamais alguém poderia imaginar: que o Brasil não se empolgasse com a Seleção Brasileira mesmo com toda propaganda na mídia.

A prova disso é que os jogadores foram recepcionados com protestos à porta da concentração da seleção que se apresentou para os treinos.

No exterior, MILHARES de RESERVAS foram canceladas nos hotéis e nos aviões brasileiros.

 Assustados, o estrangeiros preferem assistir aos jogos pela televisão em seus países a serem atingidos por pedras ou tiros no meio da rua. Corre o perigo de ser queimado vivo dentro de um ônibus no Rio e em São Paulo. E se  tiver a sorte de ficar ferido, ainda tem outro risco: o de não encontrar leitos em hospitais para curar as feridas.

Este é o Brasil que o PT transformou: um foco de miséria, um antro de corrupção e do salve-se quem puder.

 A “PeTezada” parece ave de rapina. Esfomeados, eles ASSALTAM os COFRES PÚBLICOS na perspectiva de perder o poder nas eleições deste ano.

 É a história da farinha pouca, meu pirão primeiro.

A “TV GLOBO” mostra que cansou desse governo por alguns motivos.

 O primeiro deles está na ruas - Seus repórteres estão sendo hostilizados por manifestantes que impedem os jornalistas de concluírem suas matérias.

 O país, em frangalhos,  está com a economia desestabilizada; ainda há ameaça da criação de um conselho para controlar a mídia; e os candidatos Aécio e Eduardo Campos são vistos pelo império da comunicação como confiáveis.

Assim, as matérias denunciando as mazelas do governo petista vão aparecendo no horário nobre da TV como uma espécie de recado: “Não queremos mais vocês (petistas) no comando do país”.

Não à toa, os brasileiros que assistiram ao Fantástico do domingo assustaram-se com o que viram.

Amparados em um relatório do Tribunal de Contas da União, a TV Globo destroçou o governo da Dilma.

 A denuncia do caos na saúde, baseada no relatório, disfarça muito bem a oposição que as Organizações Globo vem fazendo ao PT há muito tempo, mostrando obras paralisadas, a inflação dos alimentos nas feiras e supermercados e a falta de comando da Dilma no governo que permite o flagelo da corrupção nos órgãos públicos.

 Aécio e Eduardo Campos são considerados candidatos experientes, cumpridores fieis de acordos e certamente vão respeitar as regras do jogo que regem as comunicações no país. Tanto é assim que não faz muito tempo Aécio queixou-se com os Marinho dos espaços generosos que a Dilma recebia na TV Globo, ainda infestada de petistas. Colocou-se na posição de candidato com perspectivas de poder e conseguiu equilibrar o noticiário, mesmo sem a oficialização da candidatura.

 Outra demonstração da insatisfação dos Marinho ocorreu quando da transmissão ao vivo pela Globo News do julgamento dos mensaleiros. O Brasil acompanhou passo a passo todo o trâmite do processo que culminou com a condenação dos “Homens de Ouro” de Lula atolados até o pescoço no mar da corrupção.

O PT tem consciência dessa reviravolta da mídia e se organiza para combater o que eles chamam de campanha difamatória contra seus militantes e o seu governo.
Precisa, para isso, reverter o noticiário, convencer os Marinho de que ainda são merecedores de um quarto mandato e estancar a rejeição da Dilma, já na estratosfera.