Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

http://click.uol.com.br/?rf=homec-submanchete-topo-modulo1&pos=mod-2;topo&u=http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2016/08/31/eles-pensam-que-nos-venceram-mas-voltaremos-diz-dilma-sobre-impeachment.htm

GOLPE, GOLPE, GOLPE, GOLPE, GOLPE

 
 
 
DITADURA,SOFRIMENTO, DITADURA
 
ETERNA APELAÇÃO
QUE NEM RESOLVE MAIS COISA ALGUMA
 
 
 
Após ser resolvido seu impeachment, Dilma retorna no tempo, como sempre,  e cita a época em que era terrorista, embora se diga ex-guerrilheira  chamando-se de uma eterna injustiçada.   Ela ficará para a  história sim, mas como a PresidentA mais incompetentA de todos os tempos. 
 
 
Após seu discurso "TCHAU, QUERIDA",  a palavra de ordem dos petistas foi FORA TEMER, embora todos soubessem que isso nem resolveria mais a atual situação de quem  enfiou o país e todos nós buraco abaixo e tornou-se  uma ex-presidente, definitivamene afastada de seu cargo, através da votação pelo impeachment.
 
 
Caso seja verdade que o PT está preparando uma tremenda confusão por causa de seu impeachment, será mais um tiro no pé que o partido dará. 

 

 
 
 
 
 
 
 
 

No Senado !

 
QUER SE SURPREENDER MAIS UMA VEZ?
 VEJA  AQUI

video
 
 


 
 
 
 

IMPEACHMENT - 61 x 20

61 senadores votaram a favor do impeachment
da presidentA Dilma, 
e apenas 20 votaram contra seu definitivo afastamento do cargo.
 
 
QUE ALÍVIO!
 
 
Alívio por ter chegado ao fim esse momento histórico do nosso país, que parecia que não ía acabar nunca, e alívio por nos termos livrado de um partido chinfrim como o
PT - PARTIDO DOS TRAPACEIROS. 
 
 
Depois que o antecessor de Dilma foi ao Senado numa evidente coação,  para  testar  sua influência, ficou provado que já deixou de ser o que  sempre pensou que era.
 
  
Não foi comprovado apenas o afastamento definitivo de Dilma
da Presidência da República por causa de seus crimes. 
 Ficou comprovado também o fim do seu guru e do seu partido.
 

 
 

Vira-lata com orgulho - André Eppinghaus

Apesar de nossos defeitos, temos que olhar para a cidade e para o país

com mais respeito e confiança

depois da Olimpíada

 André Eppinghaus

 

Elá se foram 16 dias, sete medalhas de ouro, quatro milhões de pessoas no Boulevard Olímpico, zilhões de imagens e momentos publicados e compartilhados mundo afora. E lá se foram o desânimo, o mau humor, as previsões catastróficas, que só assustaram mesmo quem não nasceu carioca e sabe que viver na Cidade Maravilhosa não é uma maravilha, mas é a melhor coisa do mundo.  

O Rio de Janeiro sempre foi, e continua sendo, a maior vitrine do Brasil. E, por isso mesmo, se acostumou aos dias de vidraça. Morar no Rio é que nem entrar no mar grande: quando você acha que furou uma onda, vem outra enorme para testar seu fôlego e disposição.


A trajetória da cidade olímpica iniciou sua contagem regressiva em 2 de outubro de 2009, em Copenhagen. Foram anos de muito trabalho, dedicação, entrega, críticas, dúvidas, questionamentos, anos de mar grande e, às vezes, revoltado, que fizeram o mundo duvidar de nós, e uma grande parte das pessoas torcer contra.

 É mais fácil ser do contra, elogio não vem fácil, e vivemos o tempo em que a raiva, o medo e o pessimismo viralizam muito rápido. Mas, apesar de nossos defeitos, temos que olhar para a cidade e para o país com mais respeito e confiança depois da Olimpíada.

 Erguer a cabeça para além das nossas belezas, e com a consciência das nossas virtudes. O Rio atravessou a arrebentação e tem um novo horizonte à sua frente.

 Vimos o Maracanãzinho cantar Cidade Maravilhosa após a vitória espetacular contra a Itália. Assistimos à seleção de vôlei subir ao pódio. Enxergamos o Brasil, em toda a sua potência, representado ali. No hino nacional cantado a plenos pulmões, na superação de quem também conheceu a derrota no percurso, na quebra de protocolo, na euforia dos que aprenderam com o esporte que nem todo sonho vira conquista.

Viva todos os Serginhos, Bruninhos, Isaquias, Tiagos, Wevertons, Diegos, Martinas, Robsons, Rafaelas, exemplos diversos de um país miscigenado, confuso, cafuso, mulato, onde nascem jabuticaba e tantas coisas únicas e difíceis de explicar. Somos um povo apaixonante e apaixonado, que tem sempre um grito engasgado e uma emoção à flor da pele. E sim, somos todos vira-latas. Com muito orgulho, com muito amor. Heróis e heroínas anônimos em busca das medalhas do dia a dia. Vencedores improváveis que não fogem à luta. 

Se a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos encantou o mundo ao revelar o poder da gambiarra, a gente chega ao encerramento dessa jornada mais convicto da nossa capacidade, resiliência e criatividade. Com a certeza de que planejamento e improviso combinam, de que seriedade e alegria podem andar juntas, de que competência e compromisso não são privilégios das raças puras.

Os cães ladram, e a caravana passa. Feliz de todo vira-lata que sabe a dor e a delícia de ser o que é.

"QUEM NÃO NASCEU CARIOCA " 

Nasci aqui por azar e não por escolha, embora veja a beleza que esta cidade poderia nos oferecer.  Mas, em contrapartida, existem os repetidos assaltos e a falta de educação do povo que aqui vive.   

Não se pode nem falar no nascimento de quem não nasceu carioca, pois a maioria do povo, que está à nossa volta, é de pessoas que para aqui vieram achando que aqui poderiam morar melhor que em sua cidade de origem. 

A maior parte das pessoas  que para cá veem, esqueceram de trazer em sua 'bagagem'  o compromisso com a cidade  que  não é sua.   

Ao não ter  compromisso algum com a cidade que acolhe quem não merece ser acolhido, pessoas destroem inclusive o que usam, numa indecorosa imbecilidade . 

André Eppinghaus é

publicitário

Olha Ele Aí de Novo, Pra Enganar o Povo !!! - vídeo


O vídeo abaixo é um tanto longo,
mas muito engraçado e bem de acordo com nossa realidade.
 

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Lula só com arroz e brócolis!



Segundo a jornalista  Mônica Bérgamo,  o  PT-Partido dos Trapaceiros acha q ue a queda de Dilma Rousseff é o penúltimo passo para a prisão de seu antecessor, igualmente petista.                                                                                                                     
E  não foi falta de aviso.  Aviso de José Dirceu que o fez ao ser preso por causa do 'Mensalão'.  Ele teria avisado o partido de  que  depois dele viriam a queda de Dilma e seu antecessor.   Parece que ele andou vendo o que iria acontecer em uma bola de cristal .


Conselho "du  cheff": 
lula só arroz e brócolis!
E BEM QUENTE!

Dilma não responde a acusações e repete argumentos

 
 
 
O comparecimento da presidente afastada Dilma Rousseff ao Senado poderia reservar alguma surpresa. Chegou-se a prever que o discurso de Dilma entraria para a História. Mas a decisão, até corajosa, da ré, de ir ao Congresso se defender foi frustrante. Viu-se apenas a enfadonha repetição de velhos argumentos. O pronunciamento da presidente afastada repetiu a ideia, sem pé nem cabeça, de que é vítima de um “golpe parlamentar”, desfechado por uma conspiração fantasiosa das elites, sob o “silêncio cúmplice da mídia”. Ora, agride-se o mensageiro pelo teor da mensagem, o que vem acontecendo, por parte de lulopetistas, desde o mensalão, noticiado com destaque, como teria de ser, pelo jornalismo profissional. Estranho foi o fato de a denúncia do “golpe” ser feita no Congresso, em pleno funcionamento, e na presença do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, responsável por conduzir o julgamento propriamente dito. STF este ao qual a defesa da presidente recorreu algumas vezes, o que jamais seria possível num verdadeiro golpe. Aliás, sequer haveria STF num golpe para valer, não de fantasia. Na verdade, tudo transcorre dentro do estado democrático de direito, garantida toda a liberdade de defesa, substituindo-se, pelo Congresso, uma presidente que cometeu crimes de responsabilidade pelo seu vice, eleito em chapa única pelos mesmos 54 milhões de votos. Simples assim. Esta versão delirante do processo de impeachment visa a encobrir o desrespeito, comprovado de forma sólida pela acusação, à Constituição e à Lei de Responsabilidade, pela presidente Dilma, em 2015, ao continuar com as “pedaladas”, e na emissão de decretos de liberação de despesas, sem a aprovação do Congresso. O período abordado pelo processo é apenas o primeiro ano do segundo governo de Dilma, porque assim foi decidido pelo então presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ao aceitar o pedido de impedimento, em dezembro desse ano. Mas a manobra de fazer com que instituições financeiras oficiais (Banco do Brasil, Caixa , BNDES) e até o FGTS arcassem com despesas do Tesouro, em operações disfarçadas, ilegais, de financiamento à União, havia começado a ser feita em maior escala desde o final do segundo governo Lula. O truque é atrasar repasses do Tesouro a essas instituições, feitos para ressarci-las pela equalização de taxas de juros, por exemplo, em financiamentos agrícolas, industriais etc. Também houve atrasos no Bolsa Família. Se essas operações, as “pedaladas”, serviram para mascarar rombos no Tesouro, a emissão de decretos de gastos sem o aval do Congresso — um ato monárquico — se baseou na filosofia da política do “novo marco macroeconômico”, a favor de mais gastos, a qualquer custo, na vã tentativa de resgatar a economia da recessão. Não deu certo, como se viu. Na conhecida visão de Dilma, a crise surgiu da conjuntura internacional. Na sua versão dos fatos não existiu o estelionato eleitoral praticado por ela e aliados na campanha de 2014, jogando para debaixo do tapete a gravidade da situação fiscal e mantendo a inflação artificialmente baixa, por meio do condenável represamento de tarifas. A presidente afastada desafiou a prudência ao misturar momentos históricos muito diversos, comparando-se a Getúlio Vargas, a Juscelino Kubitschek e a João Goulart. Mas vale tudo para insistir na farsa do “golpe”. Também é insensata a tentativa da presidente afastada de colocar no mesmo plano o julgamento pelo qual passou na Justiça Militar, na ditadura, com o atual, em tramitação dentro de todas as norma legais. Dilma repetiu que Eduardo Cunha, ex-aliado do PT, foi peça-chave no impeachment, ao se vingar dela supostamente por ter se recusado a levar o PT a ajudá-lo no Conselho de Ética. Mas o impeachment só chegou a este ponto porque até agora a grande maioria de deputados e senadores tem concordado com as acusações. Sozinho, Cunha nada conseguiria. A presidente afastada perdeu grande oportunidade de fazer uma defesa efetiva. Só repetiu o discurso da sua bancada, mais voltado para um futuro sem ela no Planalto.                               
Fonte:
 
 

Nova página e novo GRUPO no Facebook

 
Depois de ser bloqueada mais uma vez pelo FEICIBUQUI, revolvi começar tudo de novo e abri nova página.  Além de abrir nova página aproveitei para começar também um novo grupo com o título O VOTO É NOSSA ARMA.  Conto com a presença de todos vocês, principalmente visando as próximas eleições em outubro próximo.

Já que as campanhas eleitorais começaram,
vamos começar as nossas.
 
https://www.facebook.com/groups/927566434015335/

 

Ao menos duas coisas não se pode dizer:
 
1 - que o voto não é a única arma que temos contra esses bandidos que infernizam nossas vidas em Brasília (e temos que sustentar);
 
2 - que não  gostamos de política, pois é ela (a política) que nos leva para o buraco onde estamos  (e "toma conta da nossa vida")


VAMOS Á LUTA !

 

Mais um capítulo.



A foto acima acima manda um
recado aos eleitores.
 
 
Enquanto roemos nossos dedinhos e torcemos por um Brasil inexistente, nossos principais inimigos se aproveitam do intervalo de uma verdadeira novela pornô, onde mocinhos são tão bandidos quanto os bandidos que eles criticam apenas com a intenção pecaminosa de agradar os eleitores que estão visando no momento. 
 
Como desculpa muiatos dirão que política é assim mesmo. Portanto, vou jogar meu títulos eleitoral no lugar mais próprio para ele: a lata de lixo.  
 
 
 
NÃO SE DEIXE USAR!
 
 
 
O voto é a única arma de que dispomos e dela podemos nos valer já que muitos eleitores se vêem na obrigação de votar, embora ninguém mereça nosso voto.
 
 
MEU VOTO NÃO É LIXO!
 
Temos duas alternativas:  trocar políticos velhos e já conhecidos por outros mais novos ou nem comparecer às urnas e pagar o imposto que nos será cobrado.  Confesso que a segunda prerrogativa é mais aceitável por deixar que o Estado arrecade, sem roubar, nossso rico dinheirinho e nos deixar com a consciência mais tranquila.
 
 
 
 
 
 
 
 
 

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

DUPLO CONFRONTO

 
 
 

Hoje será um dia histórico.  Será no dia de hoje que finalmente (UFA!) será definitivamente decidido o impeachment da incompetentA presidentA petista, afastada do cargo, Dilma Rousseff.
 
Na tentativa visível de acuar senadores, que votarão pelo seu destino, a presidentA petista se sentará ao lado de Levandovsky, bem de frente aos seus "algozes", para amendontrá-los e fazê-los votar a seu favor.  Além disso também estará presente no Senado o seu 'guru', aquele presidente que a antecedeu na Presidência e começou toda essa mixórdia em que nos enfiamos.

Seria muito melhor ao EGO do guru de Dilma nem colocar sua influência publicamente em risco e nem comparecer ao Senado. Caso, com todo o constrangimento causado pelos petistas os senadores devidamente acuados votem a favor do impeachment estará comprovado também que o poder do antecessor da Dilma já se escafedeu há muito tempo e ele ainda não  sabe, como nunca soube de nada. 
 
Dizem que o  discurso-defesa de Dilma não será feito visando acuar apenas os senadores, mas seria principalmente um recado 'sofrido' ao seu público, que nem sabe direito o que é impeachment, nem acompanhará o impeachment.
 
NOTA:  Quando diversas pessoas foram perguntadas quem era o Juiz Sérgio Moaro nem o conheciam, mas já ouviram falar na Operação LAVAJATO ! 'Inguinorança é inguinorança'.


 
Pergunta: O que é impeachment? 
Resposta: É um golpe.
 
Pergunta: E o que é golpe?
Resposta: È uma tramóia contra os petistas e contra as mulheres.
 
POIM !!!
 ------------------------------------------------------------------------------

Caso a presidentA, JÁ afastada, esteja com medo de 'cair',  o seria aconselhável  que ela olhasse  para frente, ao invés de continuar olhando para trás,  como sempre fez. 
 
 
 
 
 

sábado, 27 de agosto de 2016

Tudo a lesma lerda!

 

REPORTAGEM DA REVISTA VEJA DESTA SEMANA

 

Exclusivo: a delação que Janot jogou no lixo

 

PGR anula acordo do empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, descartando revelações pesadíssimas contra L--- - e que mencionam também Dilma, Aécio e Serra

Thiago Bronzatto Robson Bonin                        
 
http://veja.abril.com.br/brasil/exclusivo-a-delacao-que-janot-jogou-no-lixo/
 
 Tudo farinha do mesmo saco !
 
A única solução seria trocar esses políticos antigos por uns mais novos. 
Seria apenas um teste.
Caso não dê certo, sugiro o Aeroporto.
 
 
 
 
 
 
 

Dilmês e economiquês

O adeus da feroz torturadora da verdade e do idioma


Neste 29 de agosto, o país verá em ação a Dilma que diz frases sem pé nem cabeça até quando lê e a Dilma que não diz coisa com coisa quando desanda no improviso

        Augusto Nunes


A pior oradora de todos os tempos protagoniza derrapagens espetaculares até quando está lendo discursos encomendados a quem consegue juntar sujeito e predicado. Foi assim em dezembro de 2009, durante a Conferência do Clima promovida em Copenhague, quando a chefe da Casa Civil do governo L--- surpreendeu o mundo com a notícia assombrosa: “O meio ambiente é, sem dúvida, uma ameaça ao desenvolvimento sustentável”, recitou Dilma Rousseff sem tirar os olhos do papel. E foi em frente. Como não se corrigiu, não se explicou e nem pediu desculpas, continua valendo o que disse.
 

Em agosto de 2013, numa visita a Campinas, Dilma começou a ler à tarde o discurso escrito para ser lido à noite. Ela contava a sofrida saga de “uma mulher que estudou até a quinta série do curso fundamental porque vivia na roça com mais nove irmãos e não teve condições de continuá estudano” quando se deu conta de que aquilo era para mais tarde. “Mas essa mulher eu vou tratá dela no próximo… na próxima cerimônia que eu vou participá aqui em Campinas que é a formação do Bolsa Família”, informou. Dado o aviso, desandou a explicar por que “a casa própia é muito importante”. Isso mesmo: “própia”. UÉ! SEGUNDO OUTRAS INFORMAÇÕES, DILMA ESTUDOU NO SION (OU SERÁ CION?) - http://dilma-mostra-tua-cara.blogspot.com.br/2010/07/vida-escolar-de-dilma-rousseff.html)
 

Se a Dilma dos discursos escritos é uma oradora de alta periculosidade, a Dilma dos palavrórios de improviso é uma selvagem serial killer da retórica. Neste 29 de agosto, a transmissão pela TV Senado do depoimento da presidente agonizante permitirá que milhões de brasileiros acompanhem ao vivo a primeira e última apresentação conjunta dessas duas Dilmas. A que diz frases sem pé nem cabeça até quando lê vai caprichar num falatório fantasiado de Auto da Injustiçada. A que não diz coisa com coisa quando improvisa vai responder a perguntas dos senadores.
 

Dilma garante que foi ela quem resolveu defender-se pessoalmente no Senado. Como nenhum dos áulicos que seguem frequentando o palácio assombrado ousou apresentar-lhe os perigos da ideia de jerico, a performance da segunda-feira vai atestar que o impeachment livrará o Brasil, simultaneamente, de uma recordista mundial de incompetência, de uma mentirosa compulsiva e de uma torturadora da língua portuguesa.

Ela seria poupada desse vexame derradeiro se a missão impossível fosse repassada aos senadores que permanecem a bordo da embarcação condenada cujo piloto é José Eduardo Cardozo. O texto que inunda com lágrimas de esguicho os golpistas cruéis, por exemplo, deveria ser berrado por Lindbergh Farias, uma gritaria a serviço da pouca vergonha. As réplicas aos senadores favoráveis ao impeachment ficariam por conta dos integrantes da tropa, devidamente municiados com vídeos que registram alguns dos melhores piores momentos da chefe.
 

Gleisi Hoffmann cuidaria de mostrar que a presidente reincidiu em pedaladas criminosas por ter compreendido que a Lei de Responsabilidade Fiscal é mesquinharia de avarento shakespeariano diante da grandiosidade de um Minha Casa, Minha Vida. Vale tudo para impedir que tão esplêndido programa definhe por falta de verbas — até raspar o cofre do Banco do Brasil. Quem discordar de Gleisi será calado pela exibição do vídeo [AQUI] em que Dilma ensina que uma casa é muito mais que uma casa: “Porque casa é primeiro sinônimo de segurança. Casa, depois, é sinônimo de uma outra coisa muito importante. Um lugar para a gente construir laços afetivos. É ali na casa que o pai e a mãe amam as crianças, dão instruções para as crianças, educam as crianças… e os jovens. É ali na casa também que cumeça… né? Os encontros, os namoros, os noivados, os casamentos”.
 

Em seguida, Vanessa Grazziotin explicaria que a gastança ilegal com obras de infraestrutura só é coisa de meliante juramentado aos olhos de gente que não sabe direito, por exemplo, para que serve uma ponte. É só ouvir o que a presidente diz no vídeo [AQUI]: “Por que o que que é uma ponte? Uma ponte é geralmente, e é algo que nós devemos nos inspirar, porque uma ponte é um símbolo muito forte. Pensem comigo, uma ponte ela une, uma ponte fortalece, uma ponte junta energia, uma ponte permite que você supere obstáculos”.
 

Kátia Abreu provaria que só uma estadista dotada de um sexto sentido pode enxergar as coisas que só Dilma vê — quem mais seria capaz de ver um cachorro oculto por trás de cada criança? No desfecho da contra-ofensiva, Humberto Costa apresentaria o vídeo [AQUI] em que a Mãe do Brasil Maravilha, numa única frase, saúda a mandioca, exalta o milho e anuncia a descoberta da mulher sapiens.
 

A última apresentação do quinteto de patetas não se limitaria a abreviar o desfecho da chanchada do impeachment com o despejo definitivo da pior governante da história. Também faria a nação a caçar respostas para duas perguntas perturbadoras. Como pôde o Brasil eleger e reeleger esse poste fabricado por um farsante que celebra a ignorância? E como conseguiu o país sobreviver a uma figura assim?
 
 
 
 

VOTE NAS PUTAS POIS NOS FILHOS NÃO DEU CERTO

 
Baixaria continua e se agrava
 
 

Quem desejava apenas um impeachment está se 'refastelando' em frente à TV. 
 
 
Essa 'votação' pelo impeachment da afastada presidentA petista Dilma é como se fosse um filme pornô, onde todos os políticos de carreira mereceriam ser afastados  de seus cargos.
 
 
É a última chance de Dilma  se defender do indefensável.  Mas gostaria de saber porque senadores não calam suas bocas e apenas votam pelo impeachment? Seria uma forma de se queimarem menos, sem esses discursos  visivelmente mentirosos, hipócritas e chinfrins.    
 
 
Além dos discursos mentirosos notaram o anel nos dedos de alguns  senadores?  É nisso que dá votar em quem não está apto,  nem ao menos na aparência, para   ocupar um cargo e ganhar tanto.
 
 
VOTE NAS PUTAS
PORQUE NOS FILHOS NÃO DEU CERTO
 
 
Ao menos nisso sou obrigada a concordar com
a senadora que fez uma auto crÍtica indecente:
 
NINGUÉM NAQUELE SENADO TEM MORAL PARA JULGAR OS OUTROS.
 
 
 

Inconsciência vota


 
 
Num momento doloroso da vida da nação, em que só falta à boa parte da população (à la Sivuca, da Scuderie Le Cocq) dizer que “político bom é político morto”, a senadora Gleisi Hoffmann tem, acho, o apoio da galera quando diz que o Senado não tem condição moral de julgar Dilma. É verdade. As pessoas estão enojadas “desses políticos todos”, inclusive de Dilma. 

COMPLETO

 
 
Dizer que as pessoas estão enojadas desses políticos todos não é verdade.  Só quem está de fato enojado são as pessoas que acompanham essa safadeza política que está aí só aguardando o nosso voto (O DELES!) .
 
 
Porque o voto é obrigatório? É das pessoas mais 'desavisadas' que os políticos dependem para se eleger.  Já imaginaram se o voto não fosse obrigatório? Só iria votar quem  tem o mínimo  de consciência. Pessoas mais ignorantes não iriam trocar seu  'programinha' por uma urna eletrônica.
 




NOTA:  Não percam tempo me chamando de preconceituosa, porque já sei disso há muito tempo.



 

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

DESORDEM E REGRESSO

 
 
 Depois da baixaria institucionalizada.... 
Renan Calheiros suspendeu a  sessão
"para que a roupa suja dos senadores pudesse ser lavada" !
 
 
 
MAIS UMA BAIXARIA ! 
 
Vídeo  

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

CAMPANHA ELEITORAL


É justamente nessa  época -  época de campanhas eleitorais - que os candidatos se tornam presentes e simpáticos aos seus eleitores.
 

Saem pelas ruas distribuindo sorrisos e dentaduras.  Se mostram preocupados com sua cidade, que só lembravam existir ao buscar a aprovaçao de quem nele votou, sem se arrepender por estar menos informado ou mais desinformado.
 
 
Junto com sorrisos e dentaduras irao as promessas e os panfletos.
 
 
 
E, já que você é um babaca eleitoral, nao esqueça de escolher:

Quem mente mais
Quem é mais convincente
Quem distribui mais brindes
Quem faz mais promessas
 
 



OBS>:  Perdoem a falta de til em algumas palavras, pois esse é um dos problemas que apresentou meu computador depois que pela milionésima vez  a  energia acabou  'derrepentemente'.