Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

AJUDA ou obrigação ?

AQUI NO RIO - Desde a última segunda-feira, aproximadamente 250 moradores de rua do Centro do Rio ficaram sem uma das principais AJUDAS oferecidas na região: a Casa das Missionárias da Caridade, uma instituição religiosa localizada na Travessa do Mosqueira, na Lapa, deixou de oferecer a refeição que distribuía de segunda a sexta-feira, sempre às 16h.

A interrupção, divulgada pela coluna de Ancelmo Gois no último sábado, teria partido de um pedido da prefeitura do Rio. O objetivo seria evitar, durante a Olimpíada, a longa fila formada em um dos principais cartões-postais da cidade, ponto de grande circulação de turistas.

A reportagem do GLOBO esteve na porta da instituição nesta quarta-feira, por volta das 16h. Apesar da chuva, dois moradores de rua buscavam, inconformados com a interrupção, a ajuda a qual já estão acostumados.

Moro na rua há cinco anos e todos os dias pego comida aqui. É a primeira vez que não consigo. É revoltante. Estou com fome. Tem uma van da prefeitura (Secretaria municipal de Desenvolvimento Social) que está oferecendo nos levar para um abrigo em Santa Cruz, mas é muito longe daqui — reclama João Batista Alves Ferreira, de 65 anos. — A irmã disse que vai me arrumar um pão. Estou aqui esperando.

Outro morador de rua, que preferiu o anonimato, também estava inconformado com a situação: — Disseram que estava atrapalhando muito. Eu dependo desse apoio, agora vou precisar buscar outra ajuda.
...
 *****

 Ao ler o trecho "" Moro na rua há cinco anos e todos os dias pego comida aqui. É a primeira vez que não consigo. É revoltante. Estou com fome. fiquei numa tremenda dúvida!   (Moro na rua há cinco anos e todos os dias pego comida aqui. É a primeira vez que não consigo. É revoltante. Estou com fome. Tem uma van da prefeitura (Secretaria municipal de Desenvolvimento Social) que está oferecendo nos levar para um abrigo em Santa Cruz, mas é muito longe daqui — reclama João Batista Alves Ferreira, de 65 anos. — A irmã disse que vai me arrumar um pão. Estou aqui esperando.   Ficamos sem entender mais nada! Quando um morador de rua se indispõe a ir para onde o levarem , por considerar o local MUITO LONGE DAQUI, não sabemos mais o que, para eles,  é esse LONGE DAQUI.  Daqui de onde?  Longe da rua rua onde vivem ? 

Surje um outra dúvida:  Ajuda é obrigação?  É obrigação atender ao pedido dos moradores de rua?  É necessário perguntarem e acatarem o pedido dos moradores de rua sobre o local onde desejam morar?  Será que os moradores de rua não deveriam cuidar eles próprios de suas vidas, ao invés de dependerem da ajuda alheia para terem direito a impor suas vontades?  COMEÇO A PENSAR QUE BURRICE É CONTAGIOSA E ME PEGOU !