Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Material de segunda mão ...

  ... pode baratear a obra

(?)


Os materiais de segunda  são uma alternativa possível para baratear a obra. Mas mesmo entre os usados, há uma grande variação de preços: quanto mais novos forem, mais baratos serão.
 
As peças usadas mais novas costumam ter modelos simples e são ideais para baratear a obra.
 
O material de segunda mão antigo porém, conhecido como ” de demolição” é considerado o filé mignon do mercado . É como tal, o mais valioso. Há uma justificativa:  sua durabilidade e qualidade. “São portas, janelas, grades que duraram, muitas vezes, cem anos e vão durar mais cem”. 
 
 
O melhor deste material está na faixa dos 70 anos em diante. Com esta idade, a madeira não empena, não entorta e já está tão seca que dificilmente será atacada por cupim. São as famosas madeiras de lei, como pinho-de-riga, peroba-rosa, jacarandá, que não se encontram mais.
 
A qualidade é outro item que leva o material de demolição antigo ser mais caro que peças novinhas , saídas da fábrica. A carpintaria e a marcenaria do fim do século passado e do início deste eram insuperáveis. Não se produziam simplesmente portas, sacadas, vitrôs , faziam-se obras de arte.
 
Além de durável , bonito, bonito e único, o material de demolição também é ecológico. “Quem escolhe construir uma casa com este material evita desperdício”.
 
Todas estas características fizeram com que o material de demolição virasse uma verdadeira coqueluche  nos anos 90. O modismo encareceu as peças de tal forma que “com o dinheiro que se compra hoje uma porta, há 25 anos dava para comprar uma casa inteira demolida”
 
 
 
 
Vai baratear ou ela ficará mais cara ?   Depois que se passou a admirar os trabalhos antigos e os de segunda mão como peças respeitáveis, elas, que eram desprezadas antes, passaram a valer muito mais do que foi gasto na sua fabricação.  Sem contar que algumas peças mais antigas passaram a ser verdadeiros acessórios para a decoração atual.
 
Mas não é de acesssórios mais antigos de que trata o artigo, mas de materiais de segunda mão. igualmente dentro da atual moda . É a moda que encarece os produtos e nos OBRIGA  a usar no momento.
 
 
 Ler também : MATERIAL DE SEGUNDA MÃO PODE BARATEAR A SUA OBRA - Rosângela Rezende