Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Só faltava essa ...


... para o fracasso ser ainda maior.  Ou a mentira melhor?  


Vamos imaginar uma mentira bem convincente!  Claro que ela seria convincente apenas  aos ignaros que acreditam até nas propagandas que vendem o que é ruim como se fosse bom ! 

 
Depois que for definitivamente afastada do governo e com ela levar o seu partido, após sofrer um tremendo impechment, Dilma promete escrever um livro em que pretende fazer suas (não as minhas!)  reflexões sobre o país  Nele comentará também  os ideais petistas, sem dizer quais foram os verdadeiros ideais que fizeram tantos trabalhadores perderem seus empregos e ficarem com a barrriga cada vez mais vazia.
 

Bem, ela não sabe falar direito, mas poderá escrever um livro, pois terá a ajuda do jornalista Ricardo Amaral! Em um livro ela  poderá contar, ainda, com a revisão que poderá retirar algum erro crasso ali colocado.  Sendo assim será mais fácil escrever  do que falar!

 
Portanto, já que Dilma pretende lançar um livro, ao invés de se fazer de coitadinha,  sofredora e perseguida pelos 'golpistas', que tal falar as verdades havidas desde que o PT açambarcou tudo o que podia e deixou seus eleitores ao léu.


Que tal escrever um livro bem real, sob o título,  por exemplo,  de  COMO DESTRUIR UM PAIS?         


"Hícaro Teixeira – 08.05.2016:  a presidente Dilma Rousseff escreverá um livro assim que sofrer o processo de impeachment, segundo a revista Veja. “Fiz anotações, sabia? E escrevo melhor do que falo”, comentou Dilma com um assessor."