Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

domingo, 30 de novembro de 2014

Suicídio



 
A 'informação'  acima saiu, hoje, na coluna de Ancelmo Goes. 
 
 
 
Podemos dar aos candidatos ao suicídio um conselho bem mais barato que um livro ou sessões ininterruptas de psiquiatria. 
 
 
Que ele se coloque à beira de um precipício.  Se for um verdadeiro suicida que morra em paz, sem que ninguém o atrapalhe.  Caso não for, o que é bem mais provável, mudará  de ideia rapidamente. 
ALIÁS, COMO VAI O SUICÍDIO  ELEITORAL?

''DINGLE BELL!''

 
 
ATENÇÃO !
 
COMPRE , COMPRE, COMPRE, COMPRE, COMPRE, COMPRE, COMPRE
E nos passe seu DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO!

 
Dingle bell come here,
ou melhor,  
o Natal vem aí!
 

Depois de tantos halloweens, bullying e black fradys  até esqueci que sou brasileira. 
 
DEVOLVAM MEU IDIOMA !!!
 
 
 
Sempre que vamos a outro país, embora nem conheça o meu por inteiro, faço questão de usar um broche com a Bandeira Brasileira. A intenção não é provocar os outros, é mostrar que SOU BRASILEIRA, embora aqui seja muito usado um palavrório que não é o nosso.
 





sábado, 29 de novembro de 2014

O MTST conhece Chico Buarque?


 
Recebido por email
 
Escrevi ontem um texto (*)  que falava do avanço da esquerda radical sobre os imóveis “ociosos” nos centros urbanos. É uma ideia que vem ganhando peso, graças a “intelectuais” como Vladimir Safatle e Raquel Rolnik, que justificam a ocupação (atenção: jamais chamar de invasão!) desses prédios com base no argumento da desigualdade social.
 
Não seria justo, pela ótica dos socialistas, alguns terem imóveis desocupados, sem uso, enquanto outros vivem em condições precárias. A solução é evidente: ocupar tais propriedades em nome da igualdade. O líder do MTST, Guilherme Boulos, assume o fardo de guiar as massas rumo a essa luta por justiça.
 
Diante disso, pergunto: Boulos já foi apresentado ao compositor Chico Buarque? Não? Poderia pedir que Dilma ou Lula fizessem o meio de campo, pois são camaradas de ambos. Acho que valeria muito a pena. Explico.
 
Chico é o dono de um grande terreno no Recreio, aqui no Rio, onde tem um campo de futebol. O uso desse imenso terreno, em área que se valoriza a cada dia pelo crescimento populacional, serve apenas para uma “pelada” ocasional entre amigos.
 
Afinal, Chico mora em uma bela cobertura no Leblon, zona mais nobre do Rio com o metro quadrado mais caro do país. Como sei que é bela? Nunca fui convidado, mas o escritor abriu as portas para a revista Alfa e mostrou todo o luxo para quem quisesse ver. E ainda passa bastante tempo em Paris, frequentando os caros cafés locais. Não sobra tanto tempo para usar o terreno.
 
Pois bem, parafraseando Rolnik, pergunto: é justo tanta gente sem ter onde morar direito enquanto uns poucos vivem em luxuosas coberturas e ainda mantêm enormes terrenos só para uma partida de futebol na vida e outra na morte? Pela lógica socialista de tais “intelectuais”, creio que a resposta (deles) seja “não”.
 
Mas eis o mais interessante: sendo Chico Buarque também um defensor do socialismo, da igualdade e da “justiça social”, acho que nem seria preciso “ocupar” a área com centenas de militantes do MTST. Bastaria pedir ao rico e famoso compositor.
 
Tenho certeza de que o apelo igualitário surtirá efeito e Chico abrirá voluntariamente as portas de seu sítio ocioso para os pobres, reduzindo assim a necessidade de outras invasões, digo, ocupações. Não é verdade, Chico?

 
 (*) Ainda não sabemos o nome do escritor que fez o texto.
 
 

Modas e modismos


Modismo seria comprar e usar aquilo que os outros estão usando, independente de nosso gosto, porque importante, mesmo, é ser parecido com os outros. 
Modismo é  uma palavra usada no lugar de moda, que "mutatis mutandis" no fundo - bem lá no fundo! - quer dizer a mesmíssima coisa. Ou seja, seria  uma maneira atualizada, um  costume tendendencioso, um capricho generalizado que nos obriga a usar aquilo que somos obrigados a gostar. Ou estamos habituados. 


Como adoramos ser parecidos com os outros, adotamos, por imposição, o Dia das Bruxas como se fosse uma lei, embora as leis, nesse Brasil PT o pariu, sejam levadas muito menos a sério que os modismos.
Adotamos, pelo mesmo motivo, o termo bullying, como se nossa língua fosse tão exígua que não tivesse nenhum termo que substituísse tal palavrório.  Não foi por mero acaso que os chamados bullyings tomaram conta de todas (quase todas) as páginas de jornais e revistas. 
Agora, ganhamos uma outra novidade: um tal de BLACK FRIDAY, o mais novo modismo a ser fielmente seguido pelos brasileiros.  BLACK FRIDAY seria, ao pé da letra, uma sexta-feira negra, embora ela ocorra, em nossa realidade , em qualquer dia da semana. 
Aqui, as promoções são feitas na base do 'engana trôxa', oferecendo, inicialmente, alguns produtos com os preços nas alturas .  Depois de certo tempo, os espertos colocam à disposição do décimo terceiro salário os mesmos produtos com seus verdadeiros preços sob a alegação de que são promomoções.  Considerados preços imperdíveis os trôxas compram tudo que ainda podem.  As lojas, agradecem!
Quanto às modas ou modismos, elogiável é uma pessoa criar seu próprio  estilo e usar apenas o que lhe é agradável aos olhos.  Aos seus e não os dos outros. 
 
 

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Expressões usadas e suas curiosidades


 
Algumas expressões são usadas por todos nós, sem que saibamos a origem delas!  Algumas origens e significados podem até ser conhecidos, mas nem  todas nem por todos, portanto...
 
 
 Recebido  por email

JURAR DE PÉS JUNTOS:

Mãe, eu juro de pés juntos que não fui eu. A expressão surgiu através das torturas executadas pela Santa Inquisição, nas quais o acusado de heresias tinha as mãos e os pés amarrados (juntos) e era torturado para dizer nada além da verdade. Até hoje o termo é usado para expressar a veracidade de algo que uma pessoa diz.

TIRAR O CAVALO DA CHUVA:

Pode ir tirando seu cavalinho da chuva porque não vou deixar você sair hoje! No século XIX, quando uma visita iria ser breve, ela deixava o cavalo ao relento em frente à casa do anfitrião e se fosse demorar, colocava o cavalo nos fundos da casa, num lugar protegido da chuva e do sol. Contudo, o convidado só poderia pôr o animal protegido da chuva se o anfitrião percebesse que a visita estava boa e dissesse: "pode tirar o cavalo da chuva".  Depois disso, a expressão passou a significar a desistência de alguma coisa.

DAR COM OS BURROS N'ÁGUA:

A expressão surgiu no período do Brasil colonial, onde os tropeiros que escoavam a produção de ouro, cacau e café, precisavam ir da região Sul à Sudeste sobre burros e mulas. O facto era que muitas vezes esses burros, devido à falta de estradas adequadas, passavam por caminhos muito difíceis e regiões alagadas, onde os burros morriam afogados. Daí em diante o termo passou a ser usado para se referir a alguém que faz um grande esforço para conseguir algum feito e não consegue ter sucesso naquilo.

GUARDAR A SETE CHAVES:

No século XIII, os reis de Portugal adoptavam um sistema de arquivamento de jóias e documentos importantes da corte através de um baú que possuía quatro fechaduras, sendo que cada chave era distribuída a um alto funcionário do reino. Portanto eram apenas quatro chaves. O número sete passou a ser utilizado devido ao valor místico atribuído a ele, desde a época das religiões primitivas. A partir daí começou-se a utilizar o termo "guardar a sete chaves" para designar algo muito bem guardado...

OK:

A expressão inglesa "OK" (okay), que é mundialmente conhecida para significar algo que está tudo bem, teve sua origem na Guerra da Secessão, no EUA. Durante a guerra, quando os soldados voltavam para as bases sem nenhuma morte entre a tropa, escreviam numa placa "0 killed" (nenhum morto), expressando sua grande satisfação, daí surgiu o termo "OK".

ONDE JUDAS PERDEU AS BOTAS:

Existe uma história não comprovada, de que após trair Jesus, Judas enforcou-se  numa árvore sem nada nos pés, já que havia posto o dinheiro que ganhou por entregar Jesus dentro de suas botas. Quando os soldados viram que Judas estava sem as botas, saíram em busca delas e do dinheiro da traição. Nunca ninguém ficou sabendo se acharam as botas de Judas. A partir daí surgiu à expressão, usada para designar um lugar distante, desconhecido e inacessível.

PENSANDO NA MORTE DA BEZERRA:

A história mais aceitável para explicar a origem do termo é proveniente das tradições hebraicas, onde os bezerros eram sacrificados para Deus como forma de redenção de pecados. Um filho do rei Absalão tinha grande apego a uma bezerra que foi sacrificada. Assim, após o animal morrer, ele ficou se lamentando e pensando na morte da bezerra. Após alguns meses o garoto morreu.

PARA INGLÊS VER:

A expressão surgiu por volta de 1830, quando a Inglaterra exigiu que o Brasil aprovasse leis que impedissem o tráfico de escravos. No entanto, todos sabiam que essas leis não seriam cumpridas, assim, essas leis eram  criadas apenas "para inglês ver". Daí surgiu o termo.

RASGAR SEDA:

A expressão que é utilizada quando alguém elogia grandemente outra pessoa, surgiu através da peça de teatro do teatrólogo Luís Carlos Martins Pena. Na peça, um vendedor de tecidos usa o pretexto de sua profissão para cortejar uma moça e começa a elogiar exageradamente a sua beleza, até que a moça percebe a intenção do rapaz e diz: "Não rasgue a seda, que se esfiapa."

O PIOR CEGO É O QUE NÃO QUER VER:

Em 1647, em Nimes, na França, na universidade local, o doutor Vicent de Paul D`Argent fez o primeiro transplante de córnea num aldeão de nome Angel.  Foi um sucesso da medicina da época, menos para Angel, que assim que passou a enxergar ficou horrorizado com o mundo que via. Disse que o mundo que ele imaginava era muito melhor. Pediu ao cirurgião que arrancasse os  seus olhos. O caso foi acabar no tribunal de Paris e no Vaticano. Angel ganhou a causa e entrou para história como o cego que não quis ver.

ANDA À TOA:

Toa é a corda com que uma embarcação reboca a outra. Um navio que está à toa é o que não tem leme nem rumo, indo para onde o navio que o reboca determinar.
 
QUEM NÃO TEM CÃO, CAÇA COM GATO:

Na verdade, a expressão, com o passar dos anos, adulterou-se. Inicialmente dizia-se quem não tem cão caça como gato, ou seja, esgueirando-se, astutamente, traiçoeiramente, como fazem os gatos.

VAI TOMAR BANHO:

Em "Casa Grande & Senzala", Gilberto Freyre analisa os hábitos de higiene dos índios versus os do colonizador português. Depois das Cruzadas, como corolário dos contactos comerciais, o europeu se contagiou de sífilis e de outras doenças transmissíveis e desenvolveu medo ao banho e horror à nudez, o que muito agradou à Igreja. Ora, o índio não conhecia a sífilis e se lavava da cabeça aos pés nos banhos de rio, além de usar folhas de árvore para limpar os bebés e lavar no rio as redes nas quais dormiam. Ora, o cheiro exalado pelo corpo dos portugueses, abafado em roupas que não eram trocadas com frequência e raramente lavadas, aliado à falta de banho, causava repugnância aos índios. Então os índios, quando estavam fartos de receber ordens dos portugueses, mandavam que fossem "tomar banho".


Para não dizerem que hoje só falei de flores, deixando a politicanagem pr'á lá,
quando o termo correto seria PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DAS FLORES,
trecho de uma música de Geraldo Vandré 

 
 



RACISMO

 
DESONESTO
 - Opinião, pág. 34 do jornal O Globo -

O Ministério da Saúde anuncia que a   proporção de mulheres  "negras e pardas" que morrem devido a complicações no parto  é maior  que a de  mulheres brancas.
 Mais uma pesquisa PRODUZIDA no setor público sob o viés do racialismo.  Soltam-se informações desse tipo sem maiores explicações para que fique subtendida a ideia estapafúrdia de que o fato se deve ao  'racismo'.
Quando um minuto de reflexão sem desonestidade intelectual leva à explicação de que morrem mais negros na rede pública de Saúde não por serem negros, mas por serem pobres e dependentes apenas do SUS.

 
Que o racismo sempre existiu é fato verdadeiro.  Mas nem tudo é racismo.  Como o racismo já saiu de moda e as pessoas adoram estar dentro da moda, nem todas as críticas e processos  que andam 'pela aí' são verdadeiros racismos. 

 
 
 
Responda a seus botões, embora eles nunca perguntem nada:
 
Vamos supor que você seja o dono de um restaurante.  Numa mesa há um negro muito bem vestido (isso me lembra um lindo negro, que se vestia muito bem e ao chegar onde se aproxegava  era tratado como um nababo) e, numa outra, vemos um branco todo maltrapilho.  Qual dos dois você atenderá primeiro?
 
 
 
Que motivo leva os negros, a assim que ganham "fama"  se ligarem às louras?
 
Por que os negros se habituaram a nos chamar tanto de racistas? 
 
Quem são verdadeiramente preconceituosos?
Os brancos ou os negros?
 
 
 

CRISES

 
 
A palavra crise significa um ato de separar ou julgar.  Seria uma forma de decidir; seria um acontecimento em determinado momento decisivo, o que ocasionaria uma mudança súbita ou o agravamento de certa situação.  Poderia ser visto também como um estado emocional, nervoso.  Seria um momento perigoso.
 
 

Outras considerações sobre o termo podem ser vistas em diversos endereços.  Em  http://www.priberam.pt/dlpo/crise, por exemplo, podemos ver também:


1. [Medicina]   [Medicina]  Mudança súbita ou agravamento que sobrevém no curso de uma doença aguda (ex.: crise cardíaca, crise de epilepsia).

2. Manifestação súbita de um estado emocional ou nervoso (ex.: crise de choro, crise nervosa). = ACESSO, ATAQUE

3. Conjuntura ou momento perigoso, difícil ou decisivo.
4. Falta de alguma coisa considerada importante (ex.: crise de emprego, crise de valores).
5. Embaraço na marcha regular dos negócios.
6. Desacordo ou perturbação que obriga instituição ou organismo a recompor-se ou a demitir-se.
 
 
De acordo com o significado bem amplo de tal palavra,  podemos concluir que  estaríamos enfrentando diversas situações de uma crise bastante aguda.  Não, não vamos abrasileirar o termo, pois as diversas crises fazem parte do mundo todo, apesar de muitas delas serem bem brasileiras, como veremos abaixo.
 
Teríamos enfrentado,   o que poderíamos cognominar de CRISE ELEITORAL.  Embora ela já tenha 'passado', se tornou bastante presente  na vida de cada um de nós.  Principalmente quando  vemos que a mentira enganou vários eleitores, que têm de tudo  para se arrependerem da escolha que fizeram, ainda que futuramente.
 
Enfrentamos, desde nosso nascimento, uma outra crise, que poderia ser chamada de CRISE EDUCACIONAL, porque nunca tivemos uma educação descente (Ôpa! Perdoem o ato falho, pois deSCente ela já é e sempre foi. O correto é deCente!) no nosso país, principalmente dedicada aos indivíduos que nunca souberam fazer grandes esforços para aprender alguma coisa.
 
Aliada à crise educacional teríamos ainda uma gravíssima CRISE CULTURAL,  que se torna cada vez mais evidente.  É aquela crise que não leva muita gente aos cinemas ou livrarias.  Ou mesmo às bibliotecas que estão com suas portas abertas a  quem só deseja ler e não teria o que gastar.  Aliás é essa crise cultural que nos explica porque muitos filmes estão agora sem legendas e com vozes que não combinam com os atores, até porque se tornou modismo ouvir ao  invés de ler.  Com certeza haverá altas explicações psicológicas e culturais para esse fato.
 
Estamos, ainda, diante de uma CRISE FINANCEIRA.  Aquela que afeta não apenas o bolso  dos endividados, já que as pessoas se acostumaram a acreditar  em tudo o que lhes diz o bolso e apenas nele.   Se existe a possibilidade de comer mais, não há crise financeira.  Essa só existirá quando os preços tiverem chegado aonde chegarão.  A inflação o diga!
 
Há até mesmo uma outra crise. Uma espécie de CRISE DE IDENTIDADE.  É quando nos
vemos diante de vários fatos extremamente violentos e não nos abalamos mais por acharmos que a  violência se tornou tão normal que passou a fazer parte do nosso dia a dia.  Isso ocorre desde o caso de degola, até porque achamos que é uma questão cultural e faz parte de um país onde não vivemos, até os bandidinhos que assaltam nosso vizinho ou matam policiais.  E o  caso daquele menino de oito aninhos de idade que foi ao colégio munido de uma faca?
 
Depois de tudo isso, que as crises se aproximem pois serão consideradas um fato consumado.  Nossos netos agradecerão o futuro sombrio que os aguarda.

 
 
PIADA, EM MEIO À ''CRISE EXISTENCIAL'' 
 
Nossa vizinhança sofre de assaltos regularmente.
E eu estava cheio disso,
Então desativei meu sistema
de alarme,...
Deixei de pagar o guarda noturno e
Dispensei a vigilância do bairro.

No jardim de casa coloquei 3 bandeiras:
Uma bandeira de Afeganistão, outra do Paquistão e
No meio a bandeira negra do Estado Islâmico.
A gente agora é vigiado pela Polícia local, Federal,
Pela Segurança Pública, Interpol, etc.
Meus filhos são seguidos quando vão à escola,
Minha esposa quando sai de casa,
E me seguem quando vou e volto do trabalho.
Ninguém mexe com a gente.
Nunca me senti tão seguro! 

 
 
 
 
 
 

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

CUIDADO! DESCOBERTA DOENÇA NO BRASIL PIOR QUE EBOLA!

 
CUIDADO! DESCOBERTA DOENÇA NO BRASIL PIOR QUE EBOLA!
 
 
 Thomas Renatus Fendel:
o "Dilmosquito" contaminado

Esta nova doença, chamada de Ementira, já fez muitas vítimas entre os brasileiros, sendo transmitida pelo Dilmosquito, nome cientifico ”Dilmas Mentis Pacaraleus“.

Este vírus chegou ao Brasil, inicialmente, através de um molusco barbudo, nome científico "Lulas Larápius Cachasserófilus".


 
Quais são os sintomas?
A pessoa fica cega, não enxerga que está sendo roubada, acredita em todo tipo de mentira que o mosquito zumbir na TV e começa a pensar que o Brasil é um grande big-brother e que se deve votar na Dupla Sapo Barbudo-Velhinha Mentirosa, como se fosse apenas um programa de TV e não a decisão da vida de todos nós deste país!
Outros sintomas são o total esquecimento do Mensalão e dos roubos na Petrobras (3% de comissão), Pasadena e tantos outros.


O Dilmosquito utiliza o ferrão do poder público para injetar uma dose de mentiras diretamente na cabeça da vítima. Então, aproveitando-se do poder conseguido, ele suga o dinheiro público para ...
Como se dá a infecção?fertilizar seus ovos e sustentar os ”cumpanhêro” da próxima “ninhada” que virá.

 
Onde ele ataca?
O Dilmosquito gosta de cérebros parados, totalmente sem cultura/educação, até mesmo em pessoas cultas com curso superior, porém idiotizadas, onde pode depositar seus ovos sem medo.
 

O que posso fazer para evitar isso?
Para se prevenir disso, o remédio é o estudo e leitura de todos os jornais e revistas, que mostram a corrupção e podridão. Isto lhe dará anticorpos para se defender. 

Porém, se você já foi afetado,
utilize imediatamente a vacina cultural ,
que eliminará de vez esta praga!!!
 
 

Recebido por email

 
 

Roubalheira internacional

 
a investigadores dos EUA 
 
Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net - 24/11/2014
 
Por Jorge Serrão serrao@alertatotal.net
 
Os EUA estão injuriados com o Governo do Brasil. O presidente Barack Obama, em reunião reservada na cúpula do G-20 na Austrália, solicitou explicações oficiais a Dilma Rousseff sobre os problemas na Petrobras. A Presidenta não deu bola para ele. Fugiu de qualquer discussão séria sobre a grave crise da petrolífera, envolta em denúncias bilionárias de corrupção e lavagem de dinheiro, que ficam cada vez mais graves, pois avançam sobre a manipulação política de bilionários negócios com fundos de pensão de empregados de estatais que administram patrimônios de mais de R$ 450 bilhões.
 
Na conversa com altos diplomatas dos EUA, Dilma foi advertida de que a situação era delicada, porque a empresa brasileira era alvo de investigações pelo departamento de Justiça e da Securities and Exchange Commission - a SEC. Os norte-americanos advertiram sobre o rigor das ações criminais e civis, com base no Foreign Corrupt Practices Act. Reclamam, sobretudo, da "falta de humildade" de Dilma para tratar do assunto que envolve diretamente o nome dele, já que foi presidente do Conselho de Administração da Petrobras na gestão Lula da Silva. Dilma e outros membros dos conselhos de Administração e Fiscal correm risco de processo.
 
A crise pode gerar falta de crédito internacional para a Petrobras, que rola uma imensa dívida diária, além do corte de financiamentos para investimentos pedidos por empreiteiras sob suspeita. A confusão também mexe com a credibilidade das maiores empresas de auditoria. A PriceWatherhouseCoopers se recusou a assinar o balanço do terceiro trimestre - que analistas independentes de mercado suspeitam registrar um prejuízo em torno de R$ 2,5 bilhões. A situação pode ficar ainda mais delicada para a KPMG Auditores Independentes - que cuidou dos balanços dos anos anteriores a 2011, agora sob investigação da Lava Jato.
 
Os norte-americanos têm alvos bem definidos. O principal deles é a compra da refinaria de Pasadena, no Texas. Investigadores acenam com a forte suspeita de que a empresa tenha sido adquirida em uma mera operação de lavagem de dinheiro. Também entram na rigorosa apuração as obras da refinaria de Abreu e Lima (PE) e do Complexo Petroquímico do Rio (Comperj). Nos EUA, gera condenações a prisão ou multas milionárias o pagamento de comissão a funcionários públicos para obtenção de vantagens comerciais ou licenças para construção.
 
O governo dos EUA já faz pressão sobre as empresas de auditoria. A PwC não aceita correr o risco de ser solidariamente responsabilizada por fraudes contábeis realizadas para esconder quase certas irregularidades em superfaturamentos, pagamentos de propinas e lavagem de dinheiro. A empresa audita a Petrobras desde 2012, sem nunca ter indicado qualquer problema nos balanços da companhia. Foi a PwC quem teria obrigado a Petrobras a investir na contratação de dois escritórios de auditoria para investigar as denúncias formuladas nos processos da Lava Jato. A missão pepino é para os escritórios Trench, Rossi e Watanabe Advogados, do Brasil, junto com o norte-americano Gibson, Dunn & Crutcher.
 
Os investigadores dos EUA prometem fazer um pente fino em operações de subsidiárias e coligadas. Um alvo direto é a PFICo (Petrobras International Finance) – na qual Assembleia Geral da Petrobras, em 16 de dezembro de 2013, aprovou uma estranha “cisão parcial”. Outro "target" é a Petrobras Global Finance B. V. – uma caixa preta sediada em Rotterdam, na Holanda. Por causa da Lava Jato, os investigadores também cuidarão de uma pouco conhecida coligada, situada em um paraíso fiscal: a Cayman Cabiúnas Investment Co.
 
No momento, o que poderia ser pior para Dilma é o agravamento de uma indisposição com o governo Obama - que enfrenta problemas de instabilidade política interna pela perda de hegemonia no Congresso dos democratas para os republicanos. A reeleita Dilma vive uma situação mais problemática ainda. Enfrenta dificuldades para indicar sua equipe econômica (que terá de fazer milagres para consertar tanta bobagem feita até agora). Além disso, a base aliada do Palácio do Planalto anda apavorada para saber quem faz parte da lista negra de uns 70 parlamentares candidatos à indiciamento na Lava Jato, após várias delações premiadas.
 
A governabilidade de Dilma tende a zero. Seu primeiro mandato acabe sem ter começado. O segundo pode começar com prazo de validade politicamente vencido. Se for processada nos EUA, como é altíssimo o risco, Dilma fica em condições imorais de governar o Brasil. Nenhum investidor, por mais idiota que seja, vai botar dinheiro em um País com uma chefe de Estado pronta para sentar no banco dos réus dos Estados Unidos - uma situação vergonhosamente surreal, mas que deve ser levada a sério por petistas, peemedebistas e por aqueles que lhes dizem fazer crítica "oposição" política.
 
O maior medo do governo Dilma é que grande parte dos indícios investigativos que podem comprometer os corruptos na Petrobras tenham sido descobertos por aquele esquema de espionagem feito pela NSA (National Security Agency) e denunciado por Edward Snowden. Além disso, os norte-americanos têm recebido dossiês e documentos de investidores da Petrobras. Para piorar, existem evidências seguras de que a Operação lava Jato conta com irrestrito apoio de inteligência da turma do Tio Sam - interessada em descobrir e coibir esquemas políticos de lavagem de dinheiro que tenham relação com negócios de narcotraficantes e grupos terroristas.
 
Esse cenário transforma o Brasil de Dilma em uma sucursal do inferno, sem direito à defesa brilhante de um advogado genial como Márcio Thomaz Bastos - amigão de Dilma e de Lula da Silva - que certamente teve sua alma conduzida para o céu, depois que os restos mortais purgaram na purificação do crematório. Azar da Dilma que está mais pressionada que tubulação de décima-terceira categoria na camada pré-sal. Se ela vai aguentar tanta pressão é o dilema para 2015. Haja emoção e saúde... A criatura Dilma e o Criador Lula que se cuidem...
 
O desejável seria uma punição divina aos principais causadores da Lava Jato e outras falcatruas, que agora geram a falta de credibilidade e dificuldades de financiamento para a Petrobras, além do caos econômico para as contas do Brasil no crítico ano de 2015. O Brasil vive seu Apocalipse... Só falta saber se o Juízo Final vai vigorar de verdade, ou se caberá recurso a instâncias políticas muito abaixo da camada pré-sal...
 

 

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

A POBREZA QUE MOVE A RIQUEZA.

 
 
 

 
 
 
 
Se você é rico, um dia poderá ser pobre.
 
Aí, sim, você  saberá quais são seus verdadeiros amigos
 

DESCULPA ESFARRAPADA - artigo de Waldo Luís Viana

 
     
  “O argumento de que 
‘Somos sujos, mas outros se sujaram antes’,
não honra quem o defende.”
- Nicolau Ginefra -
 

  
ELES SABIAM DE TUDO!                                           
 
Waldo Luís Viana* 
        A claudicante e envergonhada defesa dos petistas, diante dos evidentes escândalos de corrupção que pululam de alto a baixo em seus governos sucessivos, argumentando que todos os “mal feitos” havidos em doze anos já existiam antes, é um sofisma muito bem construído e repetido, à la Goebbels, como se fora verdade.
         Afinal,  em tantos anos de governo,  desde L... em 2003, com a faca e o queijo na mão, os petistas não investigaram nenhum “crime anterior” da tal herança maldita de FHC e passaram em branco sobre as maracutais sugeridas, o que, no mínimo, os transformam em cúmplices.
         Se não se investiga o crime das duas uma:  ou se fez vista grossa mediante cumplicidade ou se temeu que a investigação das barbaridades impedissem, por contágio, o funcionamento dos novos governos.
         Na verdade, a corrupção tornou-se sistêmica desde 2003, fazendo parte da própria sustentação do aparelho petista, que preferiu ocupar a maioria dos cargos de confiança (cerca de 23 mil) e instituiu quase 40 ministérios, colonizando a administração pública por uma rede de falcatruas que afetou as estatais, os partidos aliados e os fundos de pensão.
         Hoje faz parte do cotidiano do brasileiro as expressões: atos de corrupção, corruptos e corruptores, operações da Polícia Federal, mal feitos, falhas de gestão, prisões preventivas, delações premiadas,  lobistas culpados, lavagem de dinheiro, caixa dois, contribuições de campanha, sigilo bancário, sigilo telefônico, contas no exterior – etc., numa cornucópia de escândalos complexos, que revelam perfeitamente as franjas ocultas de contabilidades criativas e a institucionalização da esperteza. São bilhões de reais roubados, diante de um cidadão comum que luta com dificuldades para ganhar seus tostões suados na vida...
         Para os petistas, num clima de capitalismo tardio e obsceno, que se pretende ultrapassar por esquemas socialistas bolivarianos, capitaneados pelo Foro de São Paulo –, a corrupção é benéfica e necessária. E não só para manter os financiamentos das causas “puras” do partido e atrair políticos aliados, mas também para garantir as pretendidas vitórias eleitorais. Basta lembrar a frase de Lula: “vocês não sabem do que seremos capazes para reeleger a Dilma”. Nada mais profético.
         Tanto é assim que os militantes de cúpula, processados e presos no mensalão, jamais pediram desculpas à Nação por seus mal feitos. Pelo contrário. Ergueram o punho cerrado no braço esquerdo, num desafio aberto à Justiça que os acabava de condenar. Até o deputado André Vargas, hoje ameaçado de perder o mandato por falta de decoro, fez o mesmo na Câmara dos Deputados, onde foi seu vice-presidente, diante do olhar atônito do então presidente do STF, Joaquim Barbosa.
         Este, por sua vez, pediu aposentadoria precoce, num lance shakespeariano de renúncia, que não se entende o motivo, talvez para se acautelar de uma possível vingança por sua atuação na ação penal 470, que colocou na cadeia a cúpula do petismo.
         Dizer que se corrompia antes do PT assumir o poder não cola, porque sabemos que a corrupção deveria ser localizada, tanto que não foi detectada pelos militantes de posse do governo. Se todos ficaram isentos de processos deve-se entender que o governo petista – tão bonzinho e  generoso – não encontrou nada. Os “casos” citados pela candidata Dilma, nos debates com Aécio Neves, como atos de corrupção dos governos do PSDB resultaram na expressão universal: “estão todos soltos”.
         Mas como? Só se pode deduzir que ficaram soltos porque eram inocentes mesmo ou pela habitual cumplicidade do PT. Será que existiu um acordo tácito e espúrio entre os dois partidos, a ponto de garantir aos petistas que sempre ganhassem as eleições contra um adversário fraco e sem defesa?
         Na verdade, o Brasil tornou-se campo fértil para teses conspiratórias. Por exemplo, os Estados Unidos espionaram o governo Dilma e agora processam a Petrobras. O que haverá depois? Enquadramento dos corruptos e corruptores, de fora para dentro? E as operações internas do aparelho de Estado será que vão chegar a alguma conclusão prática ou os bandidos escaparão ilesos?
         O homem das ruas, acostumado a ver advogados caros defendendo os corrompidos ricos, sabe por intuição que temos uma cultura de impunidade que devemos superar. Os petistas servem-se disso, pretendendo dizer que “num país em que todos são sujos, que mal tem em sermos sujos também?”
         Esse argumento de lógica corrupta quer isentar de punição os que delinquiram. Principalmente se os processos evoluírem para culpar quem não pode ser culpado. Aí a coisa fica difícil de apurar, porque existem forças ocultas que não permitirão que os governantes – que todos sabemos os nomes – possam ser punidos.
         E para eles, sobra outro escovado e safado argumento: “nós não sabíamos de nada...”
         Sobrará apenas para a sociedade a suposição funesta de que, a despeito de todas as violências, eles sabiam de tudo...
 
_______
*Waldo Luís Viana é escritor, economista, poeta e tentando ficar na moda diz que não sabe de nada

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Compras enferrujadas e outras verdades verdadeiras.

 
 
Você compraria alguma coisa enferrujada?
NOSSO GOVERNO ESTÁ TÃO DESGOVERNADO QUE COMPROU!

Abaixo foto indecente da Refinaria de Pasadena
 
 
 
Pediram que sugeríssemos nomes para os mascotes abaixo.
Pois aqui está nossa sugestão!