Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Briga ou conchavo




Trechos do artigo As Duas Almas de Dilma e L .... - Elio Gaspari

O ex-presidente “flertou com a ideia de substituir Dilma na disputa pela Presidência, mas nunca chegou a explicitar esse desejo. Limitou-se a estimular a onda.”
Dilma e Lula têm almas intercambiáveis. Ambos podem ser eles mesmos, mas também podem ser o outro. Nessa mistura não há indefinição, mas estratagema. Lula defende como pode a desgraça da Petrobras, Dilma promete faxina. Dilma cortará despesas, Lula culpará a elite de olhos azuis pelo que seria uma crise internacional. Não há Dilma sem Lula e até 2018 não haverá Lula sem Dilma. Eles não podem se aproximar a ponto de parecer que ela não governa nem se distanciar a ponto de a doutora dispensar o carisma de Nosso Guia. No limite, criador e criatura só se separam em circunstâncias especiais. Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso afastaram-se, mas faltava ao primeiro uma base partidária que Lula tem.
As almas intercambiáveis permitem a Lula e Dilma serem ao mesmo tempo governo e oposição.

*****

O ex-presidente, em sua vaidade infinita, deseja voltar à Presiddência. Tal “briguinha” entre o ex e a atual presidente pode ser um estratagema petista, pois permanecer no governo  todo poderoso é a eterna vontade do Partido dos Trapaceiros.


Talvez exista uma 'guerra' que teria começado assim que Dilma demonstrou sentir o prazer que o poder oferece principalmente às pessoas mentalmente insignificantes.
O ex-presidente, também petista, teria escolhido Dilma para sucessora crente que ela abriria as portas da Presidência para ele ao invés de brigar pelo segundo mandato,  como ocorreu.
Engano pode ser a ânsia pela faixa presidencial, assim como o engano pode ser de Elio Gaspari.  É uma dúvida  que será tirada mais tarde.  Por enquanto, só nos resta uma tremendo ponto de interrogação.
 
 
 
 

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Muitas felicidades no próximo ano


Para quem votou no  
Partido dos Trapaceiros:

 
Se o arrependimento ainda não  começou,  esperem só, porque 2015 já vai chegar. Bom arrependimento para vocês. Mas, por enquanto, vamos cantar:


  
Aos outros:  Um ótimo 2015
(se for possível).
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 

Perdas petistas


 
Grupo do ex-presidente perdeu o poder
depois que Dilma anunciou o nome
de mais 7 'ministros"
 
 

Quanto ao PT, tadinho, está muito contrariado com  reforma ministerial :
 
 
Últimos indicados pela nossa presidenta :
 
Secretário Geral:  Miguel Rosseto

Relações Instituionais: Pepe Vargas

Desenvolvimento  Agrário: Patrus Ananias

Comunicações: Ricardo Berzomo

Transportes: Antônio Carlos Rodrigus

Integração Nacional: Gilberto Occhi

Previdêcnia: Carlos Eduardo Gabas


A Trinca mais próxima
- NA GARUPA DE DILMA, OS TRÊS FIEIS ESCUDEIROS -
Artigo no jornal O GLOBO
 
 

Desagrado geral


Pouco antes de recomeçar seu governo, Dilma conseguiu desagradar a todos:  seu instrutor, o ex-presidente anterior, igualmente petista;  o PT-Partido dos Trapaceiros, ao qual está filiada; ao povo que sempre acreditou que o governo, principalmente um governo esquerdóide, sempre foi sua babá .

Dilma Rousseff sentiu medo em tomar medidas que desagradassem os trabalhadores brasileiros, seja lá o que isso signifique.  Seu medo teria sido anunciar  medidas desagradáveis e, com isso, comprovar  as mentiras que falava em campanha.


Dilma hesitou em ANUNCIAR medidas,  temendo caráter impopular
          “A maior preocupação do governo com as mudanças no seguro-desemprego e em pensões por morte anunciadas nesta segunda-feira (29) era bater na tecla de que não são medidas que reduzem direitos, mas corrigem distorções. Após hesitar durante dias, temendo o caráter impopular do pacote, Dilma Rousseff concordou com a adoção das medidas, mas instruiu auxiliares a dar exemplos didáticos de como as regras alteradas permitiam abusos e repetir que só futuros beneficiários serão afetados.
          O temor do Planalto era que, de novo, as medidas fossem interpretadas como estelionato eleitoral, uma vez que Dilma passou a campanha dizendo que Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB) mexeriam em direitos trabalhistas e previdenciários, se fossem eleitos.
          A próxima medida será a volta da Cide, o tributo dos combustíveis. Como não precisa ser aprovada no ano anterior à cobrança, pode ser anunciada tanto agora quanto nos primeiros dias depois da posse.
 
***
 
"Seguro desemprego e pensão terão regras mais rígidas - Contas públicas registram resultado em 17 anos; gasto sobe mais que receita."- Em medida provisória, que será envuiada hoje ao Congresso, Dilma vai restringir acesso à benefícios trabalhistas, incluindo o abono salarial, e de previdência.  Objetivo é economizar R$ 18 bilhões a partir de 2015. - Reportagem no jornal O GLOBO.
 

*** 

 Dilma desagradou seu partido (o PT) e anunciou o nome de 7 outros
 
 
Como afirmava o ex-presidente: 
Dilma é muito competente
...
na 'arte' de desagradar
 

 

 

 

               



segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Choro Presidencial - SNIFF, SNIFF


 
Merval Pereira
 

Como se previa, o nome da presidente Dilma Rousseff apareceu finalmente num dos processos contra a Petrobras, o movido pela cidade de Providence, capital do estado americano de Rhode Island, que alega ter tido prejuízos na compra de ações da Petrobras devido ao esquema de corrupção na estatal brasileira.

Como uma das “pessoas de interesse da ação”, ela ainda não é ré no processo, mas poderá vir a ser se no decorrer das apurações ficar provado que ela sabia do que estava acontecendo na estatal quando assinou folhetos de propaganda para vender ações no mercado internacional, ou se tiver sido negligente.

Ela e mais algumas autoridades brasileiras e membros do Conselho de Administração da Petrobras que presidiu estão arrolados no processo, e mesmo que tenha imunidades que a impeçam de depor no processo, a presidente Dilma ficará no mínimo sujeita às pressões de escritórios de advocacia americanos em busca de um bom acordo.

É mais um percalço político para uma presidente que em vez de estar em lua de mel com seu eleitorado e os partidos que apoiaram sua reeleição, passa por maus momentos especialmente dentro de seu próprio partido, o PT. Já aparecem relatos de que a presidente Dilma estaria deprimida, e que teria até mesmo chorado recentemente, depressão atribuída por pessoas próximas às dificuldades por que vem passando na montagem de seu novo ministério. A presidente confessou depois que se sentia muito sozinha.

Diante da intenção de dar novos ares a um segundo mandato, fazendo um governo mais com a sua cara do que a de Lula ou do PT, a presidente teria sucumbido diante das pressões partidárias, e ela própria não estaria satisfeita com o resultado até aqui. Não combina com a imagem de Dilma esse choro quase-público, mas a humanizaria e daria pelo menos a sensação a nós outros que estamos de fora desse processo de montagem do novo governo a sensação de que a presidente pelo menos estaria tentando fazer algo de novo. A presidente confessou depois que se sentia muito sozinha.

Por que é estarrecedor ver-se o resultado final da parte já definida do ministério, fruto da mesma prática deletéria de escolher um partido para cada ministério, sem levar em conta a capacidade do escolhido ou sua especialização na área que comandará.

A situação é tão trágica que um partido como o PRB, da Igreja Universal, se sente em condições de ameaçar ir para a oposição caso o ministério dos Esportes não vá mesmo para o pastor George Hilton, um completo ignorante na área, tão ou mais que seu padrinho o pastor Marcelo Crivela, que confessou não saber nem mesmo reconhecer uma minhoca quando foi indicado para a pasta da Pesca.

O maior problema para Dilma parece ser mesmo o ex-presidente L---, que não estaria nada satisfeito com a liberdade que ela ensaia na escolha do ministério, depois de ter conseguido convencê-la de que teria que colocar na Fazenda um economista ortodoxo e fiscalista para tentar se aproximar do mercado financeiro e dar segurança aos eventuais investidores.

A verdade é que Dilma jamais seria presidente da República se não tivesse passado na cabeça de L----  essa ideia magistral de lançar uma mulher, ainda por cima apresentá-la ao eleitorado como grande gestora. Os fatos o desmentiram, mas o imaginário popular ainda está dominado pela fantasia de que o PT é o partido que cuida melhor dos pobres e desemparados, o que bastou para uma vitória apertada.

Uma vitória eleitoral que trouxe uma derrota política para o PT, pois os fatos teimam em continuar desmentindo o que foi dito na campanha eleitoral, tendo como carro-chefe o escândalo da Petrobras que está destruindo a estatal por dentro sem que se tome uma providência para reverter o quadro.

Todos os aumentos de preços negados estão sendo anunciados dia após dia, e até mesmo a abertura de capital da Caixa Econômica já foi admitida pela presidente que acusava seus adversários de quererem acabar com os bancos públicos.

Para cúmulo de seus azares, a própria presidente Dilma dias atrás foi traída por um reflexo freudiano e anunciou que tomará “medidas drásticas” na economia, o mesmo que acusou seu adversário de tramar caso fosse eleito. A ponto de tê-lo inquirido no primeiro debate entre os dois: “Quais são as medidas impopulares que o senhor vai tomar se for eleito?”.
 
***** 
 


Quando são citados num processo brasileiro, 'eles' riem da nossas cara.  
Porém, ser citado em um processo dos EUA, só mesmo chorando.
 
 
As pessoas  não devem  sentir pena da atual presidente da República.  Pena temos que sentir de quem viu seu dinheiro ir pelo ralo ou para o bolso dessa gente que veio para destruir tudo o que vê pela frente.
 
 
 
 
 

"O bandido vence." Nós é que perdemos.


"Não há nada melhor para excessos cometidos pela imprensa
do que a própria liberdade de imprensa"
- palavras do ex-presidente petista -
 
 
Ricardo Noblat
Já vi esse filme. O bandido vence 
 
Na campanha da presidente Dilma, ela mesma, Lula e boa parte do PT debocharam do que disse a candidata Marina Silva (PSB) sobre como montaria seu governo, caso se elegesse. Marina afirmou que simplesmente governaria com os melhores elementos de cada partido, sem discriminar nenhuma legenda. É uma boba, garantiram alguns. Uma sonhadora, acusaram outros. Governar com os melhores é impossível, apenas isso.

OU MARINA dominava uma receita que só ela conhecia ou então se pautaria pelo bom senso. E o bom senso lhe aconselhava a procurar gente decente, comprometida com a ética e talentosa para ocupar cargos do primeiro e do segundo escalões da República. E se essa gente fosse incapaz de lhe garantir a maioria dos votos no Congresso? E se por causa disso o governo capengasse? MARINA

CONFIAVA que não passaria sufoco porque, em primeiro lugar, governaria apenas por quatro anos. Descartara a reeleição. O que a seu ver seria o bastante para apaziguar os ânimos no Congresso e refrear as ambições, por suposto. Segundo, porque governaria com transparência, prestando contas aos eleitores de todos os seus passos e discutindo com eles suas dificuldades. FERNANDO

COLLOR se elegeu presidente em 1989 sem maioria no Congresso. Quis cooptar o PSDB e não conseguiu. Chamou de "único tiro" contra a inflação o plano econômico que garfou a poupança dos brasileiros. Por mais estúpido que tenha sido o plano, o Congresso não se negou a aprová-lo. Caso desse certo, o Congresso ficaria bem na foto. Se desse errado, o presidente é que ficaria mal. NÃO

FOI POR falta de apoio do Congresso que Collor acabou deposto. Foi por falta de apoio popular. O Congresso é sensível ao sentimento das ruas. (?????) E todo presidente, a princípio, se beneficia de um período de lua de mel com a opinião pública. Até que o período se esgote, ele pode se comportar com um grau de liberdade que mais tarde se estreitará. A não ser que o sucesso bata à sua porta.

NINGUÉM MAIS do que L--- reuniu condições para governar sem ser obrigado a fazer concessões que por fim o apequenassem, e ao seu partido. Foi o primeiro nordestino ex-pau de arara, ex-líder sindical, ex-preso político a subir a rampa do Palácio do Planalto. Ocupou o principal gabinete do terceiro andar com crédito para gastar por muito tempo. Encrencou-se porque piscou primeiro. SOBPRESSÃO para lotear o governo, como seus antecessores haviam feito, por hábito ou necessidade, L--- subestimou o apoio das ruas. Preferiu apostar no apoio do Congresso. Logo ele, que no final dos anos 80 do século passado, enxergara ali pelo menos 300 picaretas. Foi atrás dos picaretas. Beijou a cruz — e, de quebra, a mão de Jader Barbalho. O mensalão quase o derrubou.
 
 
DILMAATRAVESSOU a metade do seu primeiro governo resistindo à ideia de ceder ao "pragmatismo político". Em conversa, certo dia, com um amigo, ouviu dele: "Tirando três ou quatro, só tem desonesto no Congresso." Ela respondeu: "E eu não sei?" Para se reeleger, cedeu ao apetite dos desonestos. Beijou a cruz. E, de quebra, a mão de Helder Barbalho, filho de Jader, seu futuro ministro da Pesca.
 
FOI MEDÍOCRE o primeiro Ministério de Dilma. O governo que resultou disso foi naturalmente medíocre. Pois bem: ela está perto de cometer o prodígio de montar outro Ministério igual ou, talvez, pior. O que a diferenciava dos políticos a quem tanto desprezava é, hoje, o que a torna cada vez mais parecida com eles. Feliz Ano Novo para todos!
 
*****

Complete a frase:
 
POLÍTICO BOM É POLÍTICO - - - - - !

 

Afasta de mim esse triplex!


Após divulgar que o ex-presidente petista teria um imóvel tríplex no Guarujá,  com 297 m2, o jornal O GLOBO desmentiu a informação que passou aos leitores, dizendo que a matéria seria inverídica, até porque o citado senhor, em nota divulgada por seu Instituto, teria negado a veracidade do que foi  exposto : "Em nota divulgada pelo Instituto l.... o ex-presidente negou as informações."

Porém, dizem as 'más línguas' que o ex-presidente petista já pensa em se desfazer do tal imóvel, que nunca teve,  para que ele não represente  futuro perigo para sua eventual candidatura em 2018.  Até parece que tal imóvel faria grande diferença nas atitudes abusivas do ex-presidente que pretende retornar nas próximas eleições presidenciais!
 
 
 
 "Falem mal, mas falem de mim."
 
Para quem não pretende se ver esquecido pelos eleitores, é necessário que falem sempre seu nome e mostrem sempre sua cara, para que se lembrem dele na hora de votar.   Quanto às patifarias feitas,  ninguém se lembrará delas.

 
  
 
 
 
 

domingo, 28 de dezembro de 2014

Ó DÚVIDA CRUEL!

 
 
RECEBIDO POR EMAIL
 
 
-"Se o Lula, a Dilma e os seus ministros
não sabiam
do mensalão nem da corrupção na Petrobrás,
porque é que os ex-presidentes militares
e os seus ministros deveriam saber de
eventual tortura em quartel?"

QUEM PODE SALVAR A PRESIDENTA ? - Jorge Serrão

 
 
Jorge Serrão
 
Investigadores do Departamento de Justiça dos EUA, a partir de informações obtidas nos processos da Operação lava Jato, já identificaram o centro bilionário de lavagem de dinheiro de corruptos políticos do Brasil. Incentivos fiscais do estado de Nevada foram usados por centenas de empresas abertas em nome de brasileiros para investir a grana obtida em negociatas com o setor público. A maior parte das operações do doleiro Alberto Youssef se direcionava para aquele estado norte-americano famoso pelos impostos baixíssimos.
 
Investigadores já descobriram que o principal sistema para lavagem de dinheiro era uma espécie de investimento em participações acionárias de hotéis. O esquema mafioso-contábil superfatura as tarifas, cobrando pelo teto de hospedagem, sem que tenha ocorrido ocupação de quartos. As notas fiscais são emitidas, recolhendo-se e os mínimos impostos cobrados em Nevada. Os resultados financeiros tornavam legalizado o dinheiro de brasileiros que doleiros "transportavam".
 
No submundo do Congresso Nacional, em Brasília, já se comentava ontem que os peritos norte-
americanos já identificaram centenas de políticos com negócios apenas em Nevada. Eles foram descobertos pelo complicado cruzamento de dados de parentescos. A maioria das empresas é registrada em nome de laranjas. Os mais idiotas usaram parentes. Os mais espertos usaram "amigos" com maior dificuldade de rastreamento, mas que foram identificados por uma coincidência fatal. Todos usaram o doleiro Youssef como "Banco Central".
 
A novidade é que as falcatruas agora mapeadas já tinham sido usadas no velho escândalo do Mensalão - que agora é exemplo de impunidade. O maior prejudicado foi Joaquim Barbosa, pressionado a se aposentar, pelo rigor excessivo com que agiu no julgamento da Ação Penal 470. A maioria dos condenados já está tecnicamente solta, cumprindo regime de "prisão domiciliar", excetuando-se Marcos Valério Fernandes de Souza - que, uma hora, pode ficar pt da vida e partir para alguma delação premiada. Por enquanto, Valério mantém o silêncio obsequioso na cadeia, para alívio de muitos grandes investidores no ramo de hotelaria...
 
O pavor agora é com o Petrolão. O manjado esquema pode vir à tona por pressão de investidores norte-americanos injuriados com os prejuízos que tiveram na Petrobras, por causa das negociatas identificadas na Operação Lava Jato. Agora, a coisa pode ficar séria para os corruptos brasileiros porque o Departamento de Justiça dos EUA resolveu levar o caso aos tribunais. Uma ação criminal corre em sigilo judicial para apurar se a Petrobras ou seus funcionários, intermediários ou prestadores de serviço violaram o Foreign Corrupt Practices Act, uma lei contra a corrupção que torna ilegal subornar funcionários estrangeiros para ganhar ou manter negócios. Outra ação civil é movida pela Securities and Exchange Comission (SEC, órgão do governo norte-americano que regula o mercado de capitais), já que a Petrobras tem recibos de ações negociados na Bolsa de Nova York.
 
A coisa ficará mais preta que petróleo porque, como o Alerta Total antecipou, pelo menos três magistrados da Corte de Nova York já estariam dispostos a agir com total rigor contra diretores e ex-dirigentes da Petrobras, incluindo a ex-presidente do Conselho de Administração Dilma Rousseff, assim que chegarem aos tribunais os processos civis e criminais que apuram lesões contra investidores norte-americanos geradas por práticas de corrupção ou suborno.
 
O Brasil corre o sério risco de ter sua "Presidenta" processada nos EUA, com alto risco de ser condenada a pagar multas milionárias. Nos States, o "Big Petroleum" (vulgo Petrolão) corre em sigilo judicial. Moralmente, o segundo mandato já termina sem sequer começar. E não adianta Dilma dar beijinho no ombro do Barack Obama - porque ele nada tem a ver com o rolo...
Processar grandes empresas rende muita grana nos EUA, inclusive com premiações para juízes e promotores. As recompensas previstas na legislação norte-americana para quem faz "colaboração premiada" para desvendar crimes econômicos variam de 10% a 30% do valor do suborno ou de superfaturamento. Várias companhias ligadas à indústria do petróleo já foram condenadas pela lei anti-corrupção nos EUA. As multas impostas pelas condenações foram pesadíssimas. A Security and Exchange Comission, xerife do mercado de capitais, não perdoa. A recordista foi a Panalpina (que subornou autoridades na Nigéria, Angola, Brasil, Rússia e Cazaquistão, sendo obrigada a pagar a megamulta de US$ 81,9 milhões.
 
Nos rigorosos tribunais dos EUA, sobretudo os de Nova York, com a mão pesada da SEC, já dançaram várias empresas de grande porte, pagando multas milionárias. Pride International (US$ 56,1 milhões), Royal Dutch Shell (US$ 48,1 milhões), Transocean (US$ 20,6 milhões), Noble Corporation (US$ 8,1 milhões), Tidewater (US$ 7,5 milhões), GlobalSantaFe (US$ 5,8 milhões). As pesadíssimas multas também doem no bolso dos dirigentes empresariais envolvidos nos escândalos. Eis o grande risco que correm a Petrobras, seus diretores e conselheiros (de administração e fiscal), graças às várias denúncias, com provas, do Petrolão. Como o Tio Sam odeia pizza, a parada fica indigesta para os brasileiros.
 
Não era novidade que o governo dos EUA, através da NSA, não só espionou as falcatruas na Petrobras como também já investigava, formalmente, denúncias de corrupção na petrolífera brasileira. A novidade ruim para Dilma Rousseff foi que o Petrolão ganhou dimensão mundial ontem, graças a uma reportagem do Financial Times. O jornal britânico informou que uma ação criminal e outra civil apuram se "a Petrobras ou seus funcionários, intermediários ou prestadores de serviço violaram o Foreign Corrupt Practices Act, uma lei contra a corrupção que torna ilegal subornar funcionários estrangeiros para ganhar ou manter negócios".
 
A matéria do Financial Times deixou Dilma pt da vida porque destacou que "muitos dos supostos problemas ocorreram quando a presidente Dilma Rousseff foi chefe da empresa antes de tomar posse (como presidente da República) em 2011". Concretamente, Dilma já sabe que, independentemente de ser chefe de Estado, corre o risco de ser alvo de investigação e processo nos EUA.
 
O Financial Times apavorou a petralhada: "O Departamento de Justiça dos Estados Unidos abriu uma investigação criminal sobre a companhia que tem recibos de ações negociados em Nova York. Enquanto a Securities and Exchange Comission (SEC, órgão do governo norte-americano que regula o mercado de capitais) realiza uma investigação civil".
 




Espelho, espelho meu...




 
Ontem saiu no jornal uma reportagem de Raphael Kapa (rapael.kapa@oglobo.com.br ) sob o título A CONSTRUÇÃO DA IMAGEM DE UM PRESIDENTE.   Alguns trechos e fotos estão abaixo. 
 
Vaidade ou/e método esquerdista.
 
 
 
Trechos da reportagem:
 
"... tentar se mostrar próximo  à população..."
 
"Os discurso de  Vargas sempre começavam com 'TRABALHADORES DO BRASIL'.  Era uma forma clara de demonstrar que o presidente estava falando diretamente com as pessoas."
 
"... brasileiros  a acreditar que o Estado, provedor, ..." .
 
"O cidadão ficou com uma ideia de que não precisa lutar, já que o Estado irá conceder todas as benesses.  As pessoas não imaginavam (nem imaginam até hoje) que isso fazia parte de um projeto de poder.     
 
"O DIP tinha como função produzir uma imagem do regime e controlar as informações relacionadas a ele.  ... o departamento fez do ditador um líder carismático."
 
"O rádio ganhou um programa obrigatório que valorizava os feitos nacionais (fascitas) a HORA DO BRASIL, transmitido até hoje.
 
 "... era necessário que o mesmo acontecesse na produção de notícias."
 
 
"... censura aos meio de comunicação. Não bastava produzir um discurso, era necessário extinguer opositores.
 
 
 
 
 
 
 
 NOS GOVERNOS DITADORIAS,
A VAGAGUNDAGEM MERECE UM PRÉMIO,
PRINCIPALMENTE SE A VAGABUNDAGEM FOR MENTAL.
 
 
 
 
 
 

sábado, 27 de dezembro de 2014

BOMBA QUE O PT NÃO QUER QUE ESTOURE

 
'Empréstimos' nacionais
 
 
Por iniciativa do valoroso e único parlamentar de quem se pode esperar atitudes, o STF se posicionará através de seu ministro presidente sobre o pedido do Senador Álvaro Dias (PSDB-PR) de que sejam revelados todos os meandros dos empréstimos de financiamento de obras no exterior, em especial em Cuba, Venezuela e Angola.

Assim o Sen. Álvaro Dias se pronunciou sobre o caso: “Não se pode admitir que o governo faça empréstimos vultosos sem que aqueles que pagam impostos saibam de informações como o valor dos empréstimos, o prazo de carência para o seu resgate, taxas de juros. Não vejo outro assunto que revolte tanto a população como saber que o governo empresta dinheiro dos brasileiros para a construção de um porto em Cuba, para o metrô de Caracas, para a construção de uma hidrelétrica na Venezuela, entre outras tantas obras em países controlados por ditadores sanguinários”.

Eu, até então, desconhecia a extensão dos empréstimos e para que eles serviam nesses países. Sabe-se agora que não foi apenas para se construir o Porto de Mariel, em Cuba, que o nosso suado dinheirinho foi empregado. Enquanto São Paulo e, principalmente, Salvador sofrem com a falta de transporte via metrô, o BNDES financia completamente o metrô de Caracas.
 
Calcula-se que o desvio de dinheiro público por intermédio desses “empréstimos” é tão grande que o Mensalão será completamente esquecido por ter sido apenas um ‘roubozinho’ sem a “menor importância.
 
Lembrem-se de que os empréstimos foram feitos em moeda estrangeira, dólares, bilhões deles!
 
Se o Brasil tiver a sorte de ter como relator da matéria um Luiz Fux ou um Gilmar Mendes, o PT estará com seus dias contados, pois o roubo é tão grande que ninguém é capaz de avaliar o quanto.
 
Vamos torcer para que seja um desses dois ministros o relator, porque se cair nas mãos de Barroso, Toffoli, Lewandowski ou daquele gaúcho…
 
Bom, melhor esperar pra ver.
 
O pedido de Álvaro Dias é uma ação direta contra a Presidenta Dilma Rousseff, o ministro Mauro Borges (Desenvolvimento, Indústria e Comércio) e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho. Álvaro Dias fez seu pedido ao STF com base na Lei nº 12.527, de 2011, (Lei de Acesso à Informação) que, conforme preceitua seu art. 1º, tem a finalidade de “garantir o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5º, no inciso II do § 3º do art. 37 e no § 2º do art. 216 da Constituição Federal”.
 
Dessa ação judicial dependerá o futuro de Rousseff e seu séquito de ladrões, incluído aí o chefão de todos: Lulalarápio da Silva!
 
 
Lourinaldo Teles Bezerra – O Diário do Poder – Cláudio Humberto

 
 
 

CONTO DE NATAL - Adilson Galluci

 
 

No meio daquela noite despertei meio assustado. Ainda estava bem escuro, devia ser três, quatro ou uma hora dessas qualquer da madrugada. Estava ...suado, a camiseta do "acorda São Paulo" encharcada. Mas apesar do pijama improvisado conclamar a cidade para a vigília, a mesma parecia dormir profundamente. Menos eu.

Caminhei pelo apartamento até a cozinha. No trajeto, tropecei no pé esquerdo do chinelo, que inadvertidamente estava divorciado do seu par. Acho que aprendeu com o dono. Mas segui meu passo. No escuro, divorciado e descalço. O corredor escuro parecia maior que de costume. Cruzei a sala e, afinal, cheguei. Na cozinha!

Ao acender a luz, tive a grande surpresa. Um senhor de idade, baixo e gordinho, acomodava-se precariamente no banquinho que ficava ao lado da mesinha "serve pra tudo" que ornamentava minha kitchen. O velhinho usava uma roupa esquisita. Era toda verde, de cetim, larga, com detalhes em branco na gola, mangas e capuz. Tinha cinto e botas pretas. Bingo. Era Papai Noel. O meu Papai Noel esmeraldino, como o meu "Verdão". Mama mia, ele existe, comemorei eu!

Meio sem jeito, ali de pé, de zorba e com a supra-citada camiseta, puxei uma conversa. Logo percebi que crise financeira, subprime, mercado de capitais e conjuntura macroeconômica não eram seus assuntos prediletos. Achei melhor não perguntar quem era a bela ragazza que estava de pé ao seu lado, segurando um grande saco verde, aquela altura já completamente vazio.

Só quis saber se ele tinha "passado" na Lacerda Franco, deixado o "presentinho" dos meus dois filhos. Afinal de contas, eu trabalho duro, pago pensão, escola e vale-alimentação e meus pimpolhos não podem ficar sem suas lembrançinhas de Natal. Ele respondeu que sim e me deixou exultante ao me dizer que eu era um bom pai.

Voltei pra cama e adormeci. De manhã acordei e corri pra cozinha. Nenhum vestígio. Absolutamente nada. Dei meia volta, cruzei a sala, o corredor, pensando no sonho que tive. Ainda reflexivo e distraído, percebi os dois pés de chinelo lado a lado no pé da cama.


 

O ABACAXI É TEU



Lula e ´movimentos sociais` - MTST, PCC, CUT, MST, UNE - se unem para pressionar Dilma
 

Texto original de Marina Dias - Folha de São Paulo 
 
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu assumir papel mais ativo na interlocução do PT com os movimentos sociais e promete ajudá-los a pressionar a presidente Dilma Rousseff para que atenda suas demandas.

Insatisfeito com o ministério formado por sua sucessora para um segundo mandato, L--- disse a aliados que, na sua avaliação, a mobilização social e a reaproximação com a esquerda são condições necessárias para que o partido continue no poder depois que Dilma encerrar seu mandato.     Segundo a reportagem nosso ex estaria insatisfeito com o atual ministério, como se o ministério fosse dele e não da atual presidente.  Insatisfeitos estamos nós, mas como cidadãos brasileiros! 
O ex-presidente  pretende   se lançar novamente como candidato à Presidência em 2018, frustrado porque pensou que Dilma deixaria a presidência para a sua vaidade.  Desde que ela foi reeleita, o egocêntrico ex  intensificou seu contato com movimentos sociais e passou a se reuniu mais vezes com lideranças da juventude, com sindicalistas e tanto o pessoal do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) quanto do  MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto).
Segundo ele teria informado a seus contatos, seria  necessário que todos participassem de discussões sobre a reforma política  (de que ouvimos falar há décadas, sem que nada tenha sido feito até agora!) , sobre mudanças no sistema tributário e sobre a regulação dos meios de comunicação.
O ex teria feito apelo aos  trabalhadores sem terra, para que  "reclamassem menos"  do atual governo petista e criassem uma agenda efetiva de reforma agrária e agricultura familiar. Para se mostrar  presente, o ex participou da inauguração de um conjunto habitacional construído pelo MTST com apoio do programa federal.
Além disso,  gravou um vídeo no  Instituto que leva seu nome. Pedindo  mais diálogo à presidente Dilma, que não compareceu ao evento, com os movimentos sociais, para que "faça um governo exitoso". Depois fez outro  vídeo e o colocou no Facebook.  O ex-presidente igualmente petista falou sobre a grande necessidade de  "reorganizar a base de alianças com os setores mais à esquerda da sociedade  "caso o PT queira "continuar governando o país"
O ex, doido para voltar à qualidade  de presidente da República, disse que fará constantes  cobranças   ao atual governo, pois ele  tem se queixado, em conversas reservadas (sabendo que tais conversas serão espalhadas por todos os cantos), do estilo de Dilma, por ser muito centralizador e pouco alinhado às bases do partido.
 
Contrariado com a escolha de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda,o PT esperava que Dilma compensasse o aceno feito ao mercado financeiroindicando que agora estaria aberta também a dialogar com os movimentos sociais na base do partido. 

A tal compensação não aconteceu. Além de Levy, Dilma nomeou a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) para o Ministério da Agricultura e Armando Monteiro (PTB-PE) para o Ministério do Desenvolvimento, novamente contrariando os grupos da esquerda petista.


Ninguém quer ser responsável por mim?




 

Trocando uma bola por uma jaca


ALDO REBELO MOSTROU QUE ESTA PRONTINHO PARA FAZER PARTE DA
 TCHURMA DA NOSSA
PRESIDENTa DILMA ROUSSEFF
 
 
 
A  jaca veio da India, portanto nunca foi uma fruta nativa no nosso Brasil varonil.   Mas agora temos o grande defensor da naturalizaçao da jaca, como ministro da  Ciencia e Tecnologia . 
 
 
Sendo a naturalização um ato pelo qual um estrangeiro pode adquirir a nacionalidade do pais onde reside, presumimos que a jaca passa a ser uma cidadã brasileira.
 
 
 
"      ... ESTE MINISTRO ALDO QUER A JACA COMO NATIVA NATURALIZADA BRASILEIRA PARA PODER SER PLANTADA EM ÁREAS ESPECÍFICAS DE REFLORESTAMENTO.
       PIROU , ESTE SENHOR. E A DILMA COLOCA ESTE IGNORANTE E DOIDO COMO MINISTRO.
       JÁ BASTA, PRESIDENTA. PARECE QUE A SENHORA PERDEU O SENDO TOTAL DA SENSATEZ. E PERDEU UM ADMIRADOR SEU. "
 
 
 
 
 
 
 

 

 

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

'Graciosa' desgraça!

  
Marido da Graciosa faturou R$ 614 milhões na Petrobrás

  14\12\2014

No período de dezembro de 2010 a dezembro deste ano, Foster conseguiu até então o inimaginável: desvalorizou a Petrobrás em 80,4%. Além disso, ainda mentiu cinicamente na CPI quando disse desconhecer as falcatruas na empresa, agora desmascarada pela ex-gerente Venina Velosa da Fonseca que diz que ela foi informada de tudo por mensagens na internet.
Graça, que é chamada carinhosamente de Graciosa  pela presidente, conheceu a Dilma quando ela exercia o cargo de secretária de Energia do Rio Grande do Sul, quando ambas cuidaram do gasoduto Bolívia/Brasil (Gasbol), parceria que envolveu a BP e a Shell. De lá pra cá viraram amigas e confidentes. Dilma também é amiga de Colin Vaughan Foster, marido de Graciosa, de quem herdou o sobrenome.
 
Colin é figura carimbada na Petrobrás. Frequenta com intimidade e desenvoltura os gabinetes dos diretores no suntuoso prédio da Avenida Chile, no Rio.
 
Só nos últimos três anos, a C. Foster assinou 43 contratos com a estatal, dos quais 20 sem licitação para fornecer componentes eletrônicos para a área de tecnologia, exploração e produção. 
Graça Foster, se sair amanhã da Petrobrás por causa dos escândalos, não tem do que se queixar. Além de gozar de todos os benefícios de uma rica aposentadoria com direito a bônus e salário integral, ainda terá uma vida confortável ao lado de Foster. A empresa do maridão, a C. Foster Serviços e Equipamentos faturou 614 milhões com a Petrobrás nos 43 contratos assinados. 

Colin circula livremente pelos corredores da empresa apresentando-se como marido de Graciosa. Faz lobby em todos os setores e a sua empresa alimenta uma série de outras que formam um cartel no fornecimento de equipamentos.
 
O casal é íntimo da presidente. Ao nomeá-la, Dilma sabia dos interesses de Colin dentro da Petrobrás e dos contratos da sua empresa. Mas nada disso pesou na escolha. Não pesou, inclusive, que se tratava de uma imoralidade, uma vergonha, uma aberração que só acontece numa republiqueta de bananas como a nossa. 
Os depoimentos na Justiça já apontam indícios do envolvimento da Dilma nos escândalos da refinaria de Pasadena, no Texas, quando esteve à frente do Conselho da Petrobrás.
 
Agora, mostra sua conivência com a Graciosa e com toda patifaria na Petrobrás, como acusou o doleiro Youssef.
 
Portanto, diante de tanto descalabro, não podemos continuar varrendo mais a sujeira para debaixo do tapete. Precisamos tirar o tapete, o sofá e descontaminar a sala. E o caminho, depois, é um só: o impeachment da Dilma.
 *****

 De que adiantaria um impeachment da presidentA, se viesse um Temer, do PMDBosta, para substituí-la  ? Ainda acredito que precisaríamos de uma ajuda militar para nos livrar de uma gentalha que se apoderou do país, sob a alegação que tudo faria a favor dos "pobri", até roubar!

Mas que os militares não se eternizem no comando do país.