Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.

sábado, 31 de dezembro de 2016

Fim terrível ou terror sem fim



E se Michel Temer cair? Você já parou para se perguntar quais seriam as implicações para o seu bolso? A esta altura, imagino que você já tenha feito essa pergunta a si mesmo. Se não a fez, sugiro que a faça agora…  


É o seu patrimônio que está em jogo. 


Mais do que isso, o seu emprego, a estabilidade financeira da sua família e até mesmo a escola do seu filho podem estar ameaçados.
O risco de o presidente Temer não terminar o mandato aumenta a cada dia.


As delações de executivos da Odebrecht já arranham a credibilidade do governo e há a possibilidade da chapa Dilma-Temer ser cassada pelo TSE.


E isso é apenas o que está ao nosso alcance hoje. Eventos materiais, que acontecerão nos próximos dias e meses.


Não bastasse, devemos nos preocupar também com aquilo que ainda não está no radar.


As ameaças ocultas, aquelas a que hoje atribuímos probabilidade zero, podem ter impacto devastador sobre uma base de governo que já se encontra extremamente fragilizada.


O que a maioria das pessoas ainda não percebeu, porém, é que independentemente de Temer cair ou não, haverá mudanças importantes no padrão de consumo de todos os brasileiros nos próximos meses.


Não se surpreenda se os seus destinos de viagem tiverem de ser alterados, a escola dos seus filhos for revista e a forma com que a sua família faz compras tenha de mudar, assim como o local.


Infelizmente, são desdobramentos naturais — e esperados — pela magnitude do novo choque econômico a que estamos expostos.


Talvez você não tenha percebido a dimensão do que estou falando…


Em meio à maior recessão econômica da história brasileira e de uma crise política sem precedentes, a hipótese de enfrentarmos a segunda queda de presidente em menos de um ano fica cada vez mais provável.


Trata-se de algo sem qualquer paralelo na história do País.


Se a queda de um presidente gera impactos importantes sobre o câmbio, os juros, a Bolsa e a confiança de consumidores e empresários, dentre outras variáveis econômicas… a segunda queda consecutiva de um presidente, em intervalo inferior a um ano, teria potencial para devastar a percepção de risco atrelada ao País.


Isso, obviamente, teria uma série de desdobramentos, incorporando um adicional perturbador de volatilidade sobre todo e qualquer ativo denominado em reais.


O Brasil está diante de uma escolha séria, com implicações imediatas no bolso de todos os cidadãos. Seguiremos o caminho da Venezuela? Ou vamos renascer a partir do choque?




As próximas linhas tratarão dessa escolha, revelarão as potenciais consequências para o seu bolso e apontarão exatamente quais passos você deve dar para proteger-se imediatamente do que ainda não foi revelado.

Antes de entrarmos nos passos práticos,
você precisa estar ciente de alguns pontos…

 

Primeiramente, NÃO estou afirmando que o presidente renunciará, será cassado ou sofrerá impeachment.  Essa não é a questão aqui.   Ninguém sabe o futuro.


Assim como é impossível antecipar o movimento dos mercados, absolutamente ninguém é capaz de prever com grande precisão qual será o desfecho da crise política atual.


Não estou aqui para julgar se o presidente reúne (ou não) elementos para ser deposto.


Essa é uma avaliação que foge à minha alçada e ao escopo deste documento.


Toda a minha argumentação em sequência se baseia nos potenciais desdobramentos econômicos de um risco que – veremos – cresce em velocidade espantosa.


Como estrategista-chefe da maior consultoria de investimentos do Brasil, a Empiricus, com mais de 1,5 milhão de leitores diários, meu dever fiduciário é alertar os meus clientes para os grandes movimentos econômicos — protegendo-os e permitindo que ganhem dinheiro com as oportunidades que deles surgirem.


Nenhum outro economista ou casa de análise financeira no Brasil acertou mais do que a Empiricus nos últimos 48 meses. Há um motivo por trás disso…


Dentre outros movimentos importantes, fomos os primeiros (e, por muito tempo, os únicos) a alertar para choques como:
    • “O Fim do Brasil”
    • A disparada do dólar a R$ 4 (quando a moeda ainda estava a R$ 1,9)
    • A destruição da Petrobras (antes do estouro do Petrolão)
    • O rali do impeachment
    • A recuperação do mercado no início de 2016 (quando rigorosamente todos os analistas recomendavam ficar fora da Bolsa)

O que a maioria das pessoas não percebe é que em NENHUM desses casos a minha equipe fez qualquer previsão econômica ou financeira.


Se houve algum mérito nesses acertos, foi o de termos levado em consideração possibilidades ignoradas pela grande mídia e pelo restante do mercado — recomendando aos nossos leitores a compra de seguros para o chamado risco de cauda (eventos improváveis de grande impacto).


Mais do que isso, nos posicionamos de forma clara e consistente.
Defendemos posições que muitas vezes contrariaram os interesses do governo, das grandes corporações e das demais instituições do setor financeiro (notadamente bancos e corretoras).


Naturalmente fomos pressionados por isso
Sofremos ameaças físicas de militantes, tentativa de censura do governo e diversas tentativas de intimidação.


Somente encontramos condições para seguir em frente pela completa isenção de nossa consultoria, que não possui qualquer relação com bancos, corretoras ou demais companhias objeto de análise — não vendemos serviços financeiros e somos integralmente financiados pelos nossos leitores.


E neste exato instante, a história novamente se repete…


Identificamos um novo choque econômico de grandes proporções.
Esse choque terá implicações sérias sobre o bolso das pessoas — mas também gerará oportunidades pontuais para quem se posicionar corretamente.


O alerta das próximas linhas pode ofender determinadas audiências e parecer absurdo em primeiro momento…


Isso porque ele contraria o senso comum e os interesses do poder incumbente.


E, mais uma vez, é baseado em algo que a maioria das pessoas ainda não percebeu.

Por que você deve preferir
um fim terrível a um terror sem fim


Se queremos um Novo Brasil, precisamos de uma faxina irrestrita.
O processo de limpeza ética, moral e institucional não pode poupar ninguém.


Não tenho apego a Michel Temer. Tenho apego ao que é certo para o Brasil. Não defendo nenhum partido ou ideologia. Sou pró-mercado. Meu único compromisso é com os meus clientes.


Hoje ninguém investe no Brasil. Justamente porque não sabe quem vai amanhecer na presidência de cada um dos poderes.


Peço um instante da sua atenção para o trecho do documento abaixo. Ele é parte da delação do ex-executivo da Odebrecht, Cláudio Melo, sobre o envolvimento do presidente Temer na Operação Lava Jato:




As acusações de Melo foram posteriormente avalizadas pela versão do ex-presidente da construtora, Marcelo Odebrecht, em seu depoimento à Polícia Federal.



SURTO DE INSANIDADE - Novo insulto aos brasileiros

O Estado de S.Paulo 29 Dezembro 2016 

EDITORIAL

No momento em que as enormes dificuldades e incertezas da conjuntura política, econômica e social do País não encorajam previsões auspiciosas de um Feliz Ano Novo, soa como escárnio a desfaçatez com que o Partido dos Trabalhadores vem a público para confirmar a intenção de lançar a pré-candidatura de L--- à Presidência da República “com um programa de reconstrução da economia nacional”.  Porque assim, afirma o presidente nacional do partido, Rui Falcão, “ficará muito claro para a população qual o objetivo dessa perseguição”, de que seu líder é “vítima”. 
É um desafio estimulante imaginar qual possa ser o “programa de recuperação da economia”  a que se refere o alto comissário petista. O País tem um governo em exercício há menos de oito meses, encabeçado por Michel Temer, cuja prioridade tem sido criar condições exatamente para resgatar dos escombros o que sobrou da economia nacional, varrida pela “nova matriz econômica” que Dilma Rousseff tirou da manga do colete. Talvez os petistas tenham em mente agora uma “novíssima matriz econômica”, já que nem mesmo um surto de insanidade poderia justificar a repetição de um erro pelo qual pagam hoje, de modo muito especial, mais de 12 milhões de brasileiros desempregados. 
Em resumo: qual a credibilidade do PT para propor qualquer coisa na área econômica depois de ter praticamente destruído o mercado brasileiro com sua obstinação pela concentração de poderes nas mãos de um governo que prometia “distribuir” a riqueza mas acabou dizimando o que compartilhar? Pior: um governo que liberou os cofres públicos a políticos e empresários corruptos, todos eles beneficiários de uma promiscuidade que, a partir do Palácio do Planalto, alastrou-se como nunca antes na história deste país por todos os desvãos da administração federal direta e indireta. 
O lançamento da pré-candidatura presidencial de L--- , na verdade, é o derradeiro recurso do PT para garantir a sobrevivência política de ambos: o partido e seu líder maior. Do ponto de vista eleitoral, até onde a vista alcança deverá prevalecer o veredicto selado nas urnas municipais de outubro, que transformou o PT exatamente naquilo que sempre usou para desqualificar as legendas concorrentes: um partido sem votos. A pré-candidatura presidencial de L---  cuja imagem, como sempre, sobrepaira à de seu partido – serviria, pelo menos, para lembrar à militância que o PT ainda existe. 
Ocorre que é no mínimo improvável que L---consiga sobreviver ileso à Lava Jato. Foi-se o tempo em que os figurões da República estavam fora do alcance da Justiça. Hoje as cadeias estão abarrotadas de vereadores, prefeitos, deputados, senadores, governadores, juízes, executivos, donos de grandes corporações privadas e criminosos do colarinho branco das mais variadas extrações, a maior parte lá colocados a partir do advento da Operação Lava Jato. 
Mas, de acordo com o que deixou claro Rui Falcão, é necessário fazer uma distinção entre os petistas e os demais investigados e condenados pela Lava Jato. Os episódios de corrupção que envolvem correligionários de L---, segundo Falcão, “nós vamos avaliá-los a nosso próprio juízo, dado o processo de parcialidade que tem na Justiça brasileira”. Quer dizer, quanto à condenação de um Eduardo Cunha ou de um Sergio Cabral, ambos do PMDB, nada a opor. Mas, quando se trata de petistas acusados, “temos mecanismos internos, comissão de ética, uma corregedoria, para avaliar comportamentos de filiados dentro de nossas regras, com direito de defesa, contraditório, no devido processo legal do PT”. Ou seja, a Justiça que vale, para os petistas, é a do PT. O que não é novidade, pois já no julgamento do mensalão os dirigentes petistas condenados foram imediatamente glorificados, pela direção partidária, com a honrosa condição de “guerreiros do povo brasileiro”. 
Em resumo, L--- e o PT continuam exatamente os mesmos.
Haverá quem caia de novo nessa esparrela?




PARA LER E NUNCA ESQUECER  

http://www.folhapolitica.org/2016/12/relatorio-estarrecedor-da-cpi-do-bndes.html

 

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

MENTIRA - Característica do ex-presidente

 
O vaidoso e verborrágico ex-presidente anterior à nefasta Dilma Rousseff, ambos do incompetente PT, " já não resiste à  tentação de ficar à frente do partido,  de 2017 em diante.
ADJETIVOS MERECIDOS
 

"Ele comunicou a integrantes do partido que deve aceitar voltar ao cargo. "
 
 
 
Há um tempo atrás o verborrágico ex-presidente dizia  que a  "legenda precisava de renovação".  Se precisava de renovação, seria necessário que houvesse no partido alguma mudança, ou seja, colocassem à sua frente  um   novo  dirigente, embora ninguém tenha sido preparado para isso.   Uma mudança seria necessária, sim, desde que tal mudança representasse a  SERIEDADE e o  RESPEITO a seus eleitores,   qualidades inexistentes no meio político, principalmente no caso de um partido que chegou prometendo uma honestidade falsa no intuito de arrebanhar simpatizantes que lhe dariam votos.
 
 
O mentiroso ex-presidente  dizia também que  seu nome não deveria ser considerado para o comando do PT.   E não deveria mesmo, até porque foi ele quem deu  popularidade ao partido, em troca de tapeadoras "MORTANDELAS", mas também foi ele quem ajudou a acabar com ele (UM  ETERNO RÉU)

 
   
O verborrágico ex-presidente
foi visto CINCO VEZES como
RÉU

"O ex-presidente Luiz Inácio L--- da Silva tornou-se réu pela quinta vez esta segunda (19), a terceira no âmbito da Operação Lava Jato depois que o juiz federal Sérgio Moro aceitou a denúncia do MPF (Ministério Público Federal) feita na quinta (15). L--- também é réu em outro processo decorrente da operação Janus, um desdobramento da Lava Jato, e em um na operação Zelotes.  ..."

  
Embora continue solto,  tendo sido acusado diversas vezes, dá para perceber que seu ego está cada vez mais inflado e se julgue capaz de fazer tudo o que já fez sem punição alguma. Porém, seu dia vai chegar. É SÓ ESPERAR ! 
 








 

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

O que é pior: ditadura militar ou ditadura popular?

   
 
 
DITADURA -  Governo autoritário exercido por uma pessoa ou por um grupo de pessoas, com supremacia do poder executivo, e em que se suprimem ou restringem os direitos individuais.
 

O que é pior: uma Ditadura militar ou ditadura em que o povo ignaro manda em nosso país e decide nosso futuro ?  


As origens do movimento remontam ao final da década de 1980 e início da década de 1990, época em que os estudantes brasileiros, representados pela União Nacional dos Estudantes e pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, tiveram grande protagonismo nas lutas sociais do país. Tal protagonismo deveu-se, sobretudo, às campanhas pela conquista do passe livre nos transportes e da meia-entrada nos cinemas, no âmbito da aprovação da lei orgânica dos municípios, consequência da promulgação recente da Constituição brasileira de 1988.
 
 

Portal Veja Brasil Online  
As “Diretas, já!” foi um movimento comunista/socialista para derrubar o Governo Militar... Ou o povo brasileiro marcha agora contra esses nefastos socialistas/comunistas (toda classe política), ou será um povo sem Pátria... Acredite na sua força para libertar o Brasil!
 
No inicio do ano de 1976 até 1984 os socialistas/comunistas saíram em massa às ruas para reivindicar três pautas:
1 - Anistia dos guerrilheiros, terroristas;
2 - Fim do Governo Militar;
3 - Liberdade para os partidos comunistas;
 
Tudo em nome da “democracia”. E obtiveram cem por cento de sucesso em suas exigências.
Por detrás dessas três pautas existia e existe uma MACRO PAUTA:

 A INTEGRAÇÃO da América Latina...
 
O MERCOSUL, que a princípio se referia apenas a relações de comércio, “evoluiu” para UNASUL que é a integração de toda América Latina e Caribe em um único bloco que deve comungar da mesma ideologia,  mesmas leis, mesma força armada,  etc., etc., etc...
 
E por em pleno funcionamento o PARLASUL (através de mudança na Constituição Federal) é o último passo para integração que vai acabar de vez com a soberania do Brasil.  (https://www.parlamentomercosur.org/innovaportal/v/4590/1/secretaria/ag%C3%AAncia-parlasul.html?seccion=7

 
O ideal é
um governo que não nos limite,
mas existem ditaduras piores que as outras. 
 
 
O ATUAL GOVERNO TEM COMO OBBJETIVO A VIDA DOS BRASILEIROS?
CITE AO MENOS UM PARLAMENTAR SÉRIO.

 
 
 

 

EXEMPLO - No jornal de hoje



Coluna de hoje:




GENTE ESTÚPIDA!

 
O  querido Gilberto Gil conseguiu liminar no TJ do Rio obrigando o Facebook e o site Pensa Brasil (Rede Brasil) a , em 48 horas, removerem os boatos de que o artista teria criticado a atuapão do juiz Sérgio Moro.
 
 
GENTE HIPÓCRITA!
 
Ainda por causa dessa mentira, de que Gil teria chamado Moro de 'juiz fajuto", o artista abrirá um processo contra um tal (*)  de Hernandes dos Reis. Num comentário sobre o boato, ele chamou Gil de "macado filho da puta". Meu Deus!

 

 
 
Ancelmo, em sua coluna de hoje, deu um grande exemplo!
 
GENTE ESTÚPIDA, GENTE HIPÓCRITA
 
MEU DEUS!

 
 
Quanto às mentiras elas nem seriam motivo nacional para processar alguém, ao ver que o ex-presidente (do qual tanto Ancelmo Gois, quanto Gilberto Gil são simpatizantes) sempre as usou aos borbotões em seus verborrágicos discursos, na intenção de enganar o povo brasileiro, sem nunca ter sido processado. 
 
 
(*) Termo um(a) tal de :  é uma maneira de manifestar desdém; é uma expressão usada, geralmente de forma depreciativa, para designar alguém.


 


 
 
 
 

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Politicamente correto, a ditadura do pensamento único.

 

 Adolfo Sachsida

 
Seus defensores argumentam que o politicamente correto é uma forma de tornar menos conflituosa a convivência em sociedade. Por exemplo, não faz sentido ofender as pessoas usando termos inapropriados de linguagem. Contudo, não ofender pessoas é apenas uma regra de boa educação que nada tem a ver com o politicamente correto.
 
A rigor, o politicamente correto é uma forma de se limitar o debate e a livre circulação de ideias em uma sociedade. Pior do que isso, o politicamente correto busca a implementação de uma agenda progressista numa sociedade que, de outra maneira, não aceitaria tal agenda. Abaixo listo alguns exemplos:   
 
1) Um terrorista do Estado Islâmico mata 12 pessoas fazendo uso de um caminhão para atropelá-las. A manchete da Folha de São Paulo foi: Caminhão atinge mercado de Natal em Berlim e mata pelo menos 12 pessoas. Quem lê a manchete tem a impressão de que um caminhão desgovernado matou acidentalmente 12 pessoas. Isso ocorre pois o politicamente correto impede que se de destaque ao fato de que mais um ataque terrorista foi levado a cabo por um seguidor do islã.
 
2) Experimente dizer que a politica de cotas raciais é ineficiente ou injusta. Ou ainda experimente dizer de que nem tudo que se atribui a discriminação contra a mulher não é exatamente discriminação. Ou tente dizer que a taxa de homicídios específica de determinado grupo social não representa, por si só, indícios de perseguição àquele grupo. Você será imediatamente taxado de racista, fascista, homofóbico, misógino, e coisas bem piores. Isso ocorre pois o politicamente correto impede a discussão aberta e franca de termos que são sensíveis a minorias barulhentas e bem organizadas.
 
3) Na sua opinião qual a maior dificuldade para uma criança ser adotada? Você foi bombardeado com tantas informações erradas que provavelmente responderá dizendo algo do tipo “As pessoas só querem adotar crianças brancas e novas, uma criança negra com mais de 10 anos ninguém quer adotar”. ERRADO! Esse simplesmente não é o problema. A rigor existem muito mais pessoas querendo adotar crianças brancas e novas do que crianças negras e de mais idade. CONTUDO, o número de pessoas querendo adotar crianças negras de mais idade É MAIOR do que o número de crianças negras disponíveis para adoção. No que se refere a adoção existem três problemas reais: a) poucas pessoas aceitam adotar crianças deficientes ou doentes; b) a maioria das pessoas quer adotar apenas uma única criança, dessa maneira crianças com muitos irmãos tem dificuldade de serem adotadas; e c) a gigantesca demora na burocracia referente a adoção da criança. São esses três pontos que deveriam estar sendo atacados para resolver o problema referente a adoção. Mas o politicamente correto gasta um tempo gigantesco querendo discutir um ponto que simplesmente não é a restrição real desse terrível problema social.
 
4) Vários grupos pressionam para que o governo combata a violência contra a mulher, justificam inclusive a criação de um tipo criminal chamado de “Feminicídio” para alertar que a violência é perpetuada por homens contra mulheres. Bom, vamos aos dados: a taxa de homicídios entre mulheres é de 4 a cada 100 mil habitantes, para os homens esse taxa é de 50. Em resumo, a taxa de homicídios entre homens é 12 vezes maior do que a taxa de homicídios entre mulheres. O real problema é a violência absurda que assola o Brasil, aqui homens e mulheres são covardemente assassinados todos os anos. Esse é o problema real a ser combatido.
 
5) Experimente ir numa aula de direito penal e dizer que prender bandidos diminui a criminalidade. Você será olhado de lado e dirão que você é mais um radical de direita fascista. Contudo, TODOS os estudos econométricos que conheço mostram que prender bandidos é uma das mais eficientes maneiras de se combater o crime. Mas sempre haverá um professor, um jornalista, um intelectual, ou um estudante para dizer “Eu prefiro construir escolas a construir presídios”…. como se isso fosse o ponto do debate! Óbvio que todos preferem construir escolas a cadeias, mas existem situações que nos obrigam a construir cadeias (a alternativa seria a aplicação de uma pena física ao infrator, será que é isso que os defensores do politicamente correto querem?). Para os defensores do politicamente correto prender bandidos não resolve o problema, para eles o problema é estrutural. Logo prender seria inócuo para combater o crime. Mas se prender não resolve qual é a sugestão, devemos não prender? Eles irão argumentar que a solução está na educação, numa melhor distribuição de oportunidades, de mais consciência social, etc. OK, todos concordamos com isso. Mas o fato é que prender bandidos não impede nada disso. Mas confrontados com essa lógica implacável eles nunca respondem.  
6) Cristãos são perseguidos e assassinados ao redor do mundo, mas a imprensa em vez de noticiar isso prefere se preocupar com um provável crescimento da islamofobia. Ora como se não fosse natural temer aqueles que prometem nos exterminar se assim tiverem a chance, como é o caso de vários grupos radicais islâmicos. O crescimento da islamofobia se deve não ao preconceito, mas ao simples fato de que diversos grupos radicais islâmicos tem realizado ataques terroristas. Mas o politicamente correto impede que isso seja sequer discutido nos grandes meios de comunicação.
7) A esmagadora maioria da população é contra o aborto. Então o que faz o politicamente correto? Muda o nome de aborto para “direito de escolha”. Como se uma escolha já não houvesse sido feita quando o casal decidiu ter sexo sem proteção (o estupro é exceção a essa regra).
8) Quantas pessoas você já viu defenderem o porte de arma na grande mídia? São 60 mil homicídios por ano no Brasil, um fracasso incrível de nossas políticas de segurança pública, mas mesmo assim tirando o heroico Bene Barbosa é muito difícil ver pessoas defendendo o direito ao porte de armas com acesso a grandes veículos de comunicação. Isso ocorre pois o politicamente correto já estabeleceu que apenas radicais de direita defendem o direito do cidadão comum ter acesso a armas de fogo.
 
9)Diga que você apoia o Trump, pronto você virou ultra radical conservador. Diga que você apoia o Brexit, pronto você é um xenófobo imbecil. O politicamente correto é assim, ele bloqueia qualquer discussão honesta e a substitui por rótulos. Os que defendem as pautas do politicamente correto são taxados de pessoas boas, sofisticadas, inteligentes, moderadas, etc. Já os que não defendem tal pauta são radicais, ultra conservadores, xenófobos, intolerantes, golpistas, e outras coisas ruins.
 
10) No Brasil a esmagadora maioria das crianças não sabe ler e nem escrever, e são incapazes de fazer contas simples. Mas defenda que as aulas de sociologia, filosofia, e artes sejam trocadas por aulas de português e matemática e você automaticamente vira um canalha que quer criar um exército industrial de reserva, um radical que não quer que as crianças aprendam, e que sejam escravas do sistema.
 
11) Os índios brasileiros estão na miséria e cheios de áreas reservadas a eles. Sugira que não resolveremos o problema indígena dando mais terras aos índios e você será rotulado de um branco que não aceita que os índios são felizes passando frio e fome.
O grande problema do politicamente correto é que ao impedir o livre trânsito de ideias, e o livre debate, políticas públicas passam a ser direcionadas para corrigir problemas que não necessariamente são os mais importantes para aquela sociedade. Em resumo, desperdiçam-se recursos públicos em políticas que nem de perto são as mais necessárias. Pior, em muitos casos o politicamente correto cria problemas que sequer existiam na sociedade. Por exemplo, o Brasil é um exemplo no que se refere a miscigenação. Não digo que não exista preconceito, mas o fato é que a política de cotas raciais pode perfeitamente estar criando atritos raciais que antes eram inexistentes. Mas, se alguém sugerir isso será imediatamente taxado de imbecil ou coisa pior. Contudo, o livro de Thomas Sowell (Ação Afirmativa ao Redor do Mundo) mostra que após a implementação de cotas o atrito entre grupos distintos costuma aumentar em todas as sociedade que implementaram ações afirmativas.
 
Chamar terrorista de terrorista, bandido de bandido, e aborto de aborto é uma regra simples de qualquer debate honesto. Ao se proibir o uso de termos bem definidos, o politicamente correto confunde e bagunça completamente o debate. Deixo aqui um vídeo que ilustra meu ponto: nele um negro gordo e homossexual conversa com alguns estudantes que seguem a cartilha do politicamente correto. Quando o negro sai o entrevistador pede aos jovens para descreverem a pessoa que saiu. O resultado é assustador! Os alunos simplesmente NÃO CONSEGUEM dizer que conversavam com uma pessoa negra, gorda e homossexual.
 
Entendeu a dimensão do problema? A cartilha do politicamente correto impede a correta descrição do mundo real. As pessoas passam a ser incapazes de descrever situações simples do seu cotidiano. No lugar de descrever situações o politicamente correto estabelece apenas rótulos. O politicamente correto não debate, ele rotula. Se você é incapaz de sequer descrever uma situação de seu cotidiano como você será capaz de entender problemas mais complexos? O politicamente correto é a ditadura do pensamento único, e geralmente errado.
 
 

IGUALDADE


CHOREI NO NATAL
 
 
Tudo tinha para ser um NATAL maravilhoso. Fiz 92 anos, em 24 de dezembro.

Toda a família com saúde, alegre e feliz. Deus nos ajudou bastante e dentro da confusão que vive nosso País somos algo diferente. Nossa preocupação é com o destino do Brasil, pois nossos netos e bisnetos precisam viver dentro  da ordem, da decência e onde o homem seja um homem.

Chorei por sentir que a Constituição não é cumprida e respeitada pelas mais altas autoridades da República. Ela afirma: “TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI”. Mentira, falsidade.

Chorei pelo que vi num programa de tv em Fortaleza. Era um noticiário e como na maioria das vezes, casos policiais. Aparece na tela um pobre mulher presa por ter sido encontrado em poder dela alguns pacotes de droga.

 
Gostaria de ser um escritor para descrever o sofrimento estampado na sua fisionomia. Rosto rígido, lábios trancados, olhar perdido, vestido gasto pelo tempo, seios baixos, mostrando que não tinha sutiã. Fiquei a pensar: presa  essa miserável talvez com a droga para vender para comprar o leite para o neto. Não sei.

Chorei pois logo depois ouvi que uma empresa nacional foi pega roubando, pagando propina no mundo inteiro e toda a canalha solta e as vezes com uma tal tornozeleira,  em casa. Foram bilhões de dólares.
 
A pobre mulher presa e sem direito nenhum e os grandes ladrões da República em casa com o DIREITO DE SEGREDO DE JUSTIÇA, bebendo e rindo do mundo.

Chorei, pois não há igualdade de direitos. Quem é mais criminoso? A mulher humilde e sofrida e até com fome ou os ladrões da república? Quem deveria estar preso, a mulher ou os ladrões da Pátria? Quem deveria ter direito a segredo de justiça: a pobre que não sabe o que é direito ou os ladrões que sabendo as leis são ladrões da pátria?

Chorei e choro pois nossa justiça é injusta e quem diz não sou eu e sim o grande Ruy:“Justiça tardia nada mais é do que injustiça institucionalizada.”

Quem será primeiro julgado? A desgraçada ou os ladrões da coisa pública? Não há dúvida que a mulher pode até ficar presa sem ser julgada e os ladrões de colarinhos brancos poderão nunca serem julgados e ainda farão festa de NATAL.

MEUS DEUS! PRECISAMOS DE JUSTIÇA. SÓ JUSTIÇA.
 


 GRUPO GUARARAPES
 





PAGUE E SORRIA!



 
COTÃO:  O "cotão" foi implementado pela Câmara como uma das medidas da reforma administrativa depois que a Casa enfrentou as denúncias de abuso no uso da cota de passagens e irregularidades no uso da chamada verba indenizatória. Folha de São Paulo, 08/07/2009
 



Não é só isso, porque ainda temos que sustentar senadores, juízes, vereadores, prefeitos e governadores. Todos se aproveitando do nosso trabalho.

 
 
ENQUANTO VOCÊ PRECISA...
 
Ir à porta de um  hospital sem sem atendido, fazer economia para sobreviver, se privar das carnes que não pode pagar, deixar de comprar o que gostaria de comer, vender seu carro para pagar as contas acumuladas,  passar a só almoçar ou jantar em casa e cortar os restaurantes. eles ainda acham que ganham pouco, não trabalham como deveriam e se acham acima de todos nós que bancamos suas trapaças. E ainda se apoderam do  nosso dinheiro!
 
***
 


SE ACEITAMOS, CONFORMADAMENTE,

É PORQUE MERECEMOS.





Uma vez saiu no jornal uma espécie de pesquisa que fizeram com os eleitores brasileiros. Dentre outras perguntas, uma delas foi:  'Se você fosse um político faria o mesmo que eles fazem (e deixam de fazer) ? " Resposta da maioria entrevistada: SIM. Resumindo:o brasileiro não aceita o que fazem os políticos de um modo geral, eles perdoam é o que eles fariam se tivessem condições.


 
Brasil sem Máscara

STF quer gastar R$155 mil por Ministro com um carro de luxo. Enquanto isso o Brasil sofre com o legado de 13 anos de PT.

Pois é, depois querem ferrar o povo com mais impostos, com reforma na previdência e por ai vai, tudo pra manter a regalia desses e outros bacanas que ficam mamando nas tetas do governo e não beneficiam em nada a população brasileira a não ser sugá-la!