Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Briga ou conchavo




Trechos do artigo As Duas Almas de Dilma e L .... - Elio Gaspari

O ex-presidente “flertou com a ideia de substituir Dilma na disputa pela Presidência, mas nunca chegou a explicitar esse desejo. Limitou-se a estimular a onda.”
Dilma e Lula têm almas intercambiáveis. Ambos podem ser eles mesmos, mas também podem ser o outro. Nessa mistura não há indefinição, mas estratagema. Lula defende como pode a desgraça da Petrobras, Dilma promete faxina. Dilma cortará despesas, Lula culpará a elite de olhos azuis pelo que seria uma crise internacional. Não há Dilma sem Lula e até 2018 não haverá Lula sem Dilma. Eles não podem se aproximar a ponto de parecer que ela não governa nem se distanciar a ponto de a doutora dispensar o carisma de Nosso Guia. No limite, criador e criatura só se separam em circunstâncias especiais. Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso afastaram-se, mas faltava ao primeiro uma base partidária que Lula tem.
As almas intercambiáveis permitem a Lula e Dilma serem ao mesmo tempo governo e oposição.

*****

O ex-presidente, em sua vaidade infinita, deseja voltar à Presiddência. Tal “briguinha” entre o ex e a atual presidente pode ser um estratagema petista, pois permanecer no governo  todo poderoso é a eterna vontade do Partido dos Trapaceiros.


Talvez exista uma 'guerra' que teria começado assim que Dilma demonstrou sentir o prazer que o poder oferece principalmente às pessoas mentalmente insignificantes.
O ex-presidente, também petista, teria escolhido Dilma para sucessora crente que ela abriria as portas da Presidência para ele ao invés de brigar pelo segundo mandato,  como ocorreu.
Engano pode ser a ânsia pela faixa presidencial, assim como o engano pode ser de Elio Gaspari.  É uma dúvida  que será tirada mais tarde.  Por enquanto, só nos resta uma tremendo ponto de interrogação.