Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Desagrado geral


Pouco antes de recomeçar seu governo, Dilma conseguiu desagradar a todos:  seu instrutor, o ex-presidente anterior, igualmente petista;  o PT-Partido dos Trapaceiros, ao qual está filiada; ao povo que sempre acreditou que o governo, principalmente um governo esquerdóide, sempre foi sua babá .

Dilma Rousseff sentiu medo em tomar medidas que desagradassem os trabalhadores brasileiros, seja lá o que isso signifique.  Seu medo teria sido anunciar  medidas desagradáveis e, com isso, comprovar  as mentiras que falava em campanha.


Dilma hesitou em ANUNCIAR medidas,  temendo caráter impopular
          “A maior preocupação do governo com as mudanças no seguro-desemprego e em pensões por morte anunciadas nesta segunda-feira (29) era bater na tecla de que não são medidas que reduzem direitos, mas corrigem distorções. Após hesitar durante dias, temendo o caráter impopular do pacote, Dilma Rousseff concordou com a adoção das medidas, mas instruiu auxiliares a dar exemplos didáticos de como as regras alteradas permitiam abusos e repetir que só futuros beneficiários serão afetados.
          O temor do Planalto era que, de novo, as medidas fossem interpretadas como estelionato eleitoral, uma vez que Dilma passou a campanha dizendo que Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB) mexeriam em direitos trabalhistas e previdenciários, se fossem eleitos.
          A próxima medida será a volta da Cide, o tributo dos combustíveis. Como não precisa ser aprovada no ano anterior à cobrança, pode ser anunciada tanto agora quanto nos primeiros dias depois da posse.
 
***
 
"Seguro desemprego e pensão terão regras mais rígidas - Contas públicas registram resultado em 17 anos; gasto sobe mais que receita."- Em medida provisória, que será envuiada hoje ao Congresso, Dilma vai restringir acesso à benefícios trabalhistas, incluindo o abono salarial, e de previdência.  Objetivo é economizar R$ 18 bilhões a partir de 2015. - Reportagem no jornal O GLOBO.
 

*** 

 Dilma desagradou seu partido (o PT) e anunciou o nome de 7 outros
 
 
Como afirmava o ex-presidente: 
Dilma é muito competente
...
na 'arte' de desagradar