Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Contribuição ou imposto ?

Togas em ação

Ricardo Boechat
Um assunto relevante será tratado na quinta-feira 18 no TST. O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia Elétrica de Campinas quer renunciar à parte que lhe cabe da contribuição sindical obrigatória.Em outras palavras, em pleno Século XXI, uma entidade de trabalhadores pediu à Justiça “ok” para largar um resíduo do modelo sindical corporativista da era Vargas. Quem tem carteira assinada sabe: a cada mês de março, associado ou não, a pessoa é obrigada a dar um dia de labuta a um sindicato de determinada categoria ou de uma profissão liberal. Essa exigência autoritária e de inspiração fascista sempre provocou muitas discussões. Agora, tudo pode mudar, a partir de decisão da quarta-feira 10, dos ministros da Sexta Turma: o plenário do TST irá se pronunciar frente ao pedido da entidade campineira. Seja qual for o resultado, tomara que a iniciativa desprendida sensibilize outros sindicatos (autênticos), de trabalhadores e patronais, a terem a mesma atitude. Importante frisar que a exigência da CLT, se revista, pode desonerar a atividade econômica, já que os empregadores também estão obrigados ao pagamento da contribuição sindical.  (http://www.terra.com.br/istoeonline/)
 
 
Contribuição sindical obrigatória?
 
Contribuição seria uma ajuda?  Sendo ajuda deve ser escolha de cada um, o que não a tornaria obrigatória, porque ninguém é obrigado a ajudar ninguém! Se essa forma de ver as coisas estirem certas, ao invés de contribuição deveria se chamar imposto, porque ele sim é obrigatório, embora a diferença esteja apenas no nome!  E é justamente esse a verdadeira intenção de tapear os mais 'desavisados'.   A partir do momento em que um imposto é chamado por todos de contribuição, o trabalhador só pensará que estará contribuindo... mesmo que não queira.