Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

terça-feira, 15 de novembro de 2016

GOSTO DE INSTABILIDADE E NÃO SABIA !




No programa “Roda Viva”, da TV Cultura, tivemos desta vez  o presidente Temer como centro. Um dos principais temas da entrevista foi o impacto da Operação Lava-Jato sobre seu governo. Quando foi questionado sobre duas citações a seu nome em investigações, Temer fez o que todo político costuma fazer e se isentou de grandes envolvimentos .  Segundo ele,  uma doação de R$ 10 milhões feita pela Odebrecht se destinava ao Diretório Nacional do PMDB e não a ele pessoalmente, “ ..., o que poderia ser comprovado pela prestação de contas, segundo ele. E confirmou que o partido também foi o destinatário de um cheque de R$ 1 milhão da Andrade Gutierrez, investigado no processo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que avalia as contas da chapa de Dilma Rousseff, da qual fazia parte, em 2014. ” 


Ao responder sobre o pacote de projetos em discussão no Congresso e criticados por integrantes da força-tarefa da Lava-Jato, como a lei sobre o abuso de autoridade, Temer assegurou que essas propostas não irão paralisar as investigações. O presidente negou que tenha cometido irregularidades ao receber R$ 11 milhões de duas empreiteiras, na campanha de 2014, e disse que ninguém deve ser “morto politicamente” só por ser investigado, numa referência a ministros e apoiadores de seu governo que tiveram os nomes citados por delatores. 



Ao ser entrevistado por jornalistas no Programa, Temer evitou falar sobre as acusações contra o ex-presidente, antecessor de Dilma. Segundo ele, a prisão do petista provocaria um clima de instabilidade no país. Mas disse também que “Se acontecer alguma coisa, paciência”.



GOSTO DE INSTABILIDADE E NÃO SABIA !



Mas é claro que nem toda a  entrevista se limitou a perguntas sobre a Operação Lava Jato, se referindo também a outros assuntos, inclusive sobre a lei que contém gastos no governo , embora nenhum  político  tenha participado de contenções até agora , o que está deixando o brasileiro muito P. DA VIDA, até porque não foi o povo o principal irresponsável pela situação criada.



Quanto ao protesto  contra a PEC e a reforma do ensino médio. o atual presidente voltou a criticar a ocupação nas escolas estaduais e universidade.   
 


“— Admito perfeitamente esses movimentos. Mas lamento por eles. O que vejo, hoje, as pessoas acham que é ironia, mas vejo que há muito protesto físico. Não há protesto argumentativo, oral, intelectual. Sabe há quanto tempo se discute reforma no Ensino Médio? A primeira vez que ouvi foi em 1997. Passaram-se quase 20 anos sem reforma..”