Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Presidência no STF e Hino Nacional

 


A ministra Carmem Lúcia foi hoje para a presidência do STF.
Mais detalhes no artigo "Cármen Lúcia assume STF com pauta ‘anticorporativista"  - http://politica.estadao.com.br/aovivo/possecarmenlucia    
 
-------------------------------------------------------------------------------------------

Etiqueta na execução do Hino Nacional  (
 
Ontem foi o Dia do Hino Nacional Brasileiro e muita gente tem dúvida: Pode aplaudir ou não o hino? Tem que colocar a mão no peito enquanto canta ou ao lado do corpo? São tantas dúvidas que, em nome do bom civismo, vamos esclarecer o assunto de uma vez por todas. 

Durante a execução do Hino Nacional é preciso ter uma atitude de respeito, afinal ele é um dos maiores símbolos de um país. Por isso, confira as dicas para não fazer feio:

Quando é instrumental só é tocada a primeira parte do hino. Nos casos de execução vocal, serão cantadas as duas partes do poema e todos poderão cantar juntos ( por isso recomenda-se que haja num telão a letra, pois hoje nem todas as escolas ensinam ou reforçam isso).

O Hino Nacional só é obrigatório em continência à bandeira do Brasil ou em eventos militares. Já em eventos civis, sociais, esportivo ele é opcional.

Deve ser sempre executado no início de uma cerimônia e nunca ao final.

Por uma questão de gentileza, o hino estrangeiro deve sempre ser executado antes do Hino Nacional.

Todos devem ter uma atitude de respeito, ficar de pé e em silêncio. Deixe os braços soltos ao lado do corpo ou leve a mão direita no tórax. Esta última forma é usada para demonstrar um sentimento patriótico, porém não é obrigatória. Havendo alguém com chapéu ou boné deve descobrir a cabeça.

Apenas os militares, que tem regras bem rígidas, devem se voltar para a bandeira. Os civis não são obrigados e, em muito casos, nem devem fazer isso para não dar as costas para as pessoas, por exemplo.

Caso o hino executado, seja o da bandeira, ai sim todos devem se voltar para a bandeira.

Nunca se vaia o hino de outro país ou do seu. É um ato extremamente desrespeitoso.

O aplauso ao Hino Nacional é um tema polêmico. Durante muitos anos se disse que não podia, talvez por uma interpretação errônea da lei. Está escrito na Lei 5 700 de 1º de setembro de 1971 que a apresentação dos símbolos do país – a bandeira, as armas nacionais e o hino – exigem “atitude respeitosa” dos cidadãos.

Sendo assim, o aplauso não pode ser visto como uma falta de educação.

Portanto, a dica é: em eventos formais NÃO aplauda. Já em eventos informais ou quando ele for tocado por algum artista ou por instrumentos especiais, aplauda ao final, com alegria como demonstração de orgulho e aprovação.