Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

O falso herói

Recebido por email
 
 
Lula, o falso herói, e as revelações de Dilma Rousseff
Caros amigos
Em entrevista a uma “TV Educativa” - que só pelo fato de dar espaço para alguém disléxico como Dilma Rousseff demonstra ser o oposto do que o título propõe - a ex-governanta afirmou que não acredita que os promotores da Lava Jato e o Juiz Sérgio Moro cometam o absurdo (sic) de prender L... por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, acrescentando que, embora não os considere bons investigadores, não acredita que sejam burros a tal ponto.
Ela pensa que a prisão de Lula o transformará em "herói"! O pior é que acho que o transformará num falso herói, sim. Porque nosso povo é capaz até de aplaudir uma prisioneira que foi capaz de matar seus próprios pais.
Esta afirmação revela, mais uma vez, a verdade sobre L--- da Silva e sua proeminência como líder, paladino e notável, ou seja, até para Dilma, trata-se de um falsário que só terá aparência de herói quando for preso e transformado em vítima pelos seus comparsas e seguidores, estes últimos, tipicamente, ignorantes.
Pesquisando o termo, chega-se rapidamente ao consenso de que ‘herói” é alguém guiado por ideais nobres e altruístas (Se L... é o maior EGÓLATRA que existe,  o altruísmo já foi descartado!) , autor de feitos gloriosos mediante esforços extraordinários. Um ser dedicado a solucionar situações críticas, tendo por base a verdade e os princípios da moral e da ética - como honestidade e caráter - que respondam aos interesses de terceiros, seus liderados, nunca aos seus próprios.
Esta definição atribui, surpreendentemente, razão e lógica à assertiva da ex-governanta, uma pessoa tida como obtusa, pois, para qualquer um minimamente atento e instruído ou que o tivesse conhecido de fato, L--- da Silva nunca esteve identificado com ideais nobres e altruístas, muito menos, com trabalho ou esforços extraordinários e, menos ainda, com os interesses de terceiros em detrimento dos seus. Nunca foi um herói, pelo contrário, sempre foi uma mentira!
Que fique portanto o alerta de Dilma para os operadores da justiça, faxineiros da política nacional, albergados na “República de Curitiba”, antes de prende-lo, revelem, com todos os detalhes e a máxima difusão, a verdadeira identidade daquele que pretende fazer-se de herói às custas do seu desmascaramento!
Na mesma entrevista à chamada “TV Educativa”, Dilma, em harmonia com seu perfil atoleimado, revelou sua percepção de que a condição de falso herói venha a criar condições para o retorno de L---  ao poder em 2019 (?) e, coerente com seu passado de delatora e de encarcerada por crime de terrorismo, condenou a prisão de empresários e de políticos corruptos por julgar que esta providência legal estimula a delação dos comparsas, dispensando investigações, longos interrogatórios ou qualquer tipo de coerção. Ela fala com conhecimento de causa e por experiência própria, porque a simples prisão, em alguns casos, solta a língua do criminoso, coisa que, hoje, ela faz até em liberdade, mesmo não respeitando delatores, como declarou há algum tempo.
Gen Bda Paulo Chagas