Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

domingo, 16 de outubro de 2016

SOU VICIADA E NÃO SABIA



Vício é uma dependência, seja física ou psicológica.
É  uma mania adquirida com o tempo ao se fazer sempre a mesma coisa.

 

Vício é mais direcionado à dependência física, que obriga  um indivíduo  a buscar o consumo excessivo de determinada substância, como o cigarro por exemplo.
 

Mas existem milhares de 'vícios' que adquirimos sem mesmo saber que estamos viciados naquilo. O telefone celular, por exemplo, acabou se tornando um verdadeiro vício.   No outro dia, estávamos num bar quando entrou um grupo de rapazes.  Sentaram em uma mesa e imediatamente surgiram os malditos celulares de cada um deles.  Foi o suficiente para que nem olhassem mais para a cara uns dos outros, pois estavam 'conversando' com seus 'brinquedinhos'.  Isso acontece tanto que já existem alguns restaurantes que obrigam seus clientes a colocarem seus celulares logo na entrada, dando até desconto na conta caso aceitem a idéia de abandonar seus vício, ao menos enquanto estiverem à mesa.
 
Algumas pessoas são viciadas em novelas,  outras têm a mania de saber o que fez seu vizinho, existem os viciados em  um cafezinho ... Existe até mesmo o ´vício de linguagem', que leva o indivíduo a fazer  alterações defeituosas das normas da sua língua padrão (isso  ocorre por ignorância, descuido ou descaso, mas a ignorância é a principal responsável por isso). Não esqueço o dia em que fui pagar o que levaria e me surpreendi com a moça do caixa que procurava consertar o que seria, para ela,  um erro meu.  Ela, então, me disse:  vai levar também mortaNdela?  Fui obrigada a dizer a ela que mortaNdela seria a dela, mas a minha seria mortadela.    
 

Mas existe um vício que considero o  mais perigoso de todos.  Pode não ser fisicamente letal, mas  nos leva a abrir mão da nossa individualidade, que vamos perdendo aos poucos sem notar. É quando nos viciamos na presença de nosso companheiro.   Aí, meu amigo, você é dependente do  outro e não sabia!