Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Vergonha de um ministro.


 
"É impossível não sentir vergonha 
pelo que está acontecendo no Brasil." 
Luís Roberto Barroso, ministro do STF
 
 
Não existe nada nem ninguém que seja totalmente bom ou ruim, embora haja a tendência de tudo e todos para um lado ou outro. 
 

É o caso de Luís Roberto Barroso que vive pendendo para os dois lados,  chegando a perdoar José Dirceu na pena que lhe foi imposta no caso do mensalão. 

 
Palavras dele em relação a José Dirceu: "Entendo que o sentenciado preenche os requisitos objetivos e subjetivos, fixados de modo geral e abstrato pelo ato presidencial, para o gozo do benefício do indulto". Dirceu foi condenado a 20 anos pelo juiz Sérgio Moro em outro processo, o que poderia evitar o perdão por má-conduta, mas Barroso decidiu que, "(...) seja porque o condenado não praticou falta disciplinar de natureza grave nos doze meses anteriores contados retroativamente desde o dia 25.12.2015, seja porque a sentença condenatória superveniente diz respeito a condutas praticadas antes mesmo de iniciado o efetivo início do cumprimento de sua reprimenda, não vejo como negar a concessão do indulto."  https://pt.wikipedia.org/wiki/Lu%C3%ADs_Roberto_Barroso

 
 
 
A frase inicial consta do artigo de Ricardo Noblat, chamado QUEM PODE SALVAR O RIO http://noblat.oglobo.globo.com/meus-textos/noticia/2017/04/quem-pode-salvar-o-rio.html
 
 
 
OBS.:  Vergonha sentimos nós, que estamos com a imagem arranhada, só por sermos brasileiros, sem fazer parte de uma dessas 'confrarias' indecorosas nacionais que estão aí.