Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

domingo, 10 de maio de 2015

Confiança

 RUI PINHEIRO SILVA
 Coronel reformado do Exército
 
 
Tenho por hábito ver o "Bom Dia Brasil", da TV Globo. Na semana passada, tomei um susto quando era noticiado a infestação da dengue no Estado de São Paulo: 220 mil pessoas, estatisticamente comprovadas. Mas, meu susto não adveio somente de tão grande número de doentes, uma verdadeira calamidade, mas pelo aparecimento rápido e fugaz de uma imagem, com um simples diálogo: um soldado do Exército, com o uniforme camuflado, acompanhado por algumas moças, por certo funcionárias de órgão de saúde, bate palmas num portão de uma residência num bairro paulista. Pretendem erradicar as larvas dos mosquitos transmissores da doença. Abrindo o portão, surge um sexagenário que os recebe educadamente, dizendo: "Ah, muito bem, o Exército pode entrar. Nele eu tenho confiança".
 
E, imediatamente, a imagem de TV, quase envergonhada, muda de foco. É uma cena tão espontânea que fiquei pensando com meus botões: nem Nizan Guanaes, de São Paulo, nem Sérgio Fiúza, de Fortaleza, "feras" da publicidade, fariam melhor. O Exército é a instituição brasileira de mais alta confiabilidade dentre todas as instituições nacionais. Isso é atestado por diferentes pesquisas agências de alta responsabilidade.
 
 
A Força Terrestre, "Braço Forte, Mão Amiga," constituída da tropa ativa e da sua reserva, soma talvez 300 mil homens e mulheres, todos com uma formação de alto nível. Contudo, nos últimos 12 anos, quase não foi utilizada em ações de que o Brasil tanto necessitou, tendo sido posto à prova apenas em operações fora de sua missão constitucional, do tipo polícia: limpeza do banditismo e combate ao tráfico de drogas nos morros do Rio de Janeiro. Esse tipo de missão, essencialmente de tropas altamente especializadas, como os batalhões do BOPE, foi cometida ao Exército com o intuito de fazê-lo fracassar ou torná-lo algoz das desassistidas populações. Porém, nem uma coisa, nem outra. O Exército mais uma vez exerceu sua missão com coragem e sabedoria, com competência e a consideração que sempre devotou aos compatriotas. Aqueles que esperavam um desastre, e nós bem sabemos quem são, ficaram desiludidos e decepcionados. Bem feito!
 
 
Texto transcrito do Jornal Diário do Nordeste, da coluna Opinião, na edição de Domingo, 03 de Maio de 2015.
 
 Esta é uma mensagem enviada pelo Instituto Endireita Brasil.
Visite o nosso site: www.emdireitabrasil.com.br

__._,_.___.