Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

domingo, 31 de maio de 2015

Livros sobre as Memórias de um Guerreiro

 
Memórias de um Guerreiro de Selva da Guerrilha do Araguaia
 
 
 
Se você quer saber, a história do Brasil que ainda não foi contada sobre como foram exterminados e onde estão os guerrilheiros do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) mortos e desaparecidos, bem como os militares que morreram na Guerrilha do Araguaia, defendendo este “regime democrático” que hoje existe no Brasil. Leiam, como eu estou fazendo, os livros Bacaba I e Bacaba II - Memórias de um Guerreiro de Selva da Guerrilha do Araguaia. O autor desse livro é o segundo tenente da reserva do Exército Brasileiro, José Vargas Jimenez, cadastrado no Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), que vivenciou e participou da última fase da Guerrilha do Araguaia, no Sul do Pará, entre as Forças Armadas do Brasil e os guerrilheiros da Força Guerrilheira do Araguaia, que queriam impor à força o regime Comunista no Brasil, como fizeram em Cuba, China e na Rússia.
 
 
Os fatos relatados são ilustrados com documentos confidenciais e secretos do Centro de Informações do Exército, para provar a autenticidade da realidade vivida pelo tenente Vargas, à época sargento, que elucidam como se desenvolveu esta Guerrilha, desde seu planejamento pelo PCdoB, até o final, quando foram derrotados pelas Forças Armadas do Brasil. Contém também fotos dos guerrilheiros e militares que morreram nessa operação, como guerrilheiros capturados vivos pelo autor, que hoje constam como "desaparecidos" no Araguaia.
 
 
 
Os livros poderão ser adquiridos pelos
ou ainda pelo telefone  67-3056-0684.
 
 
 
 
É uma obra interessante e que deve ser lida, no momento em que existe uma movimentação da esquerda brasileira para punir os militares que participaram do Regime de 64, que por sinal foi uma salvação para o Brasil, já que estávamos caminhando para um regime comunista; era desejo da esquerda, a mesma que está no poder, implantar uma ditadura nos moldes de Cuba e da China.
 
 
Sobre Luiz Solano>