Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Sonhos viraram pesadelos, graças ao PT

 
 
"É angustiante. Às vezes, não consigo dormir pensando no que construí nos últimos quinze anos - e em como tudo isso desmoronou em questão de meses", conta Anderson de Souza, pequeno empresário da periferia de Salvador que acaba de fechar seu negócio na área de distribuição de bebidas.  (Palavras de Anderson de Souza que precisou fechar seu negócio)

 
 

Segundo dados do IBGE, o desemprego ficou em 5,3% em janeiro, contra 4,3% em dezembro e 4,8% no mesmo período de 2014. A taxa ainda está em patamares historicamente baixos, mas essa alta de 1 ponto percentual significa que o número de pessoas desocupadas aumentou 22,5% no mês passado.
 
 
 
“A questão é que a alta do custo de vida está reduzindo seu acesso a alguns bens de consumo. Pode ser que o fato da luz estar mais cara faz com que não sobre para o mercado. Ou que os carrinhos estejam mais vazios porque os preços dos produtos subiram.”  Dito por  Renato Meirelles, diretor do instituto Data Popular, que concluiu que  47% dos brasileiros da classe C dizem estar comprando menos produtos no mercado hoje do que há seis meses

 
"Temos estudos mostrando que, desde 2013, já houve uma piora na questão da mobilidade social - as pessoas não só pararam de melhorar como começaram a piorar. E esse processo deve acelerar com um aumento do desemprego."
 
 


SONHOS QUE VIRARAM PESADELO  
 
"Consegui melhorar muito a vida da minha família porque meu negócio prosperou. A demanda só crescia. Há pouco mais de um ano, porém, isso começou a mudar." 

 
A queda drástica das vendas, combinada com dois assaltos, levaram o comerciante a fechar a distribuidora. Ele também se endividou para tentar salvar seu negócio – e sua situação financeira se complicou ainda mais.
 
 
"A Copa foi uma grande decepção: achava que ia salvar minhas vendas, mas se alguém ganhou dinheiro com os jogos, não foi aqui na periferia", diz ele.

 
 
"Além disso, há alguns anos, meu filho foi contaminado por uma superbactéria e, não fosse a rapidez com que foi atendido e diagnosticado em um hospital privado, provavelmente estaria morto hoje."

 
  
Eurivan Sales trabalhava no complexo petroquímico do Comperj, polêmica obra da Petrobras em Itaboraí, no Rio de Janeiro. Hoje, é um dos 2.500 funcionários da empresa Alumini Engenharia sem salário há três meses. Outros 469 já foram demitidos, mas receberam apenas parte de suas verbas rescisórias.
 
"Há muito desemprego, os comércios não vendem e alguns estão fechando. As perspectivas de conseguir trabalho por lá são nulas", conta. Eurivan diz que desde o ano passado "sua vida virou de cabeça para baixo".

 
 
"Estou morado na casa de um amigo, porque não tinha como pagar o aluguel. E não vou poder mais ajudar a financiar os estudos de minha filha mais nova - ela estava fazendo cursinho para entrar na faculdade, além de curso de inglês", conta.
 
NÃO SE DEIXE ENGANAR!
Um dia você vai descobrir que foi ludibriado e não sabia!