Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

O Brasil vai levar 10 anos para se recuperar ...




 
 
RECEBIDO POR EMAIL
 
  ... do assalto dos petistas pelegos .

Jorge Oliveira

Você ainda não viu nada.  Espere e verá o que vai acontecer de verdade ao Brasil nos próximos dez anos depois que os petistas pulverizaram a economia e dilapidaram o patrimônio do país saqueando os cofres públicos.

Imagine essa turma da república sindical, fora do governo, desempregada, tentando sobreviver no mercado de trabalho com esse intelecto de ameba.

Na oposição, L--- (enquanto estiver vivo)  e seus guerreiros vermelhos vão liderar as greves e as manifestações de ruas contra o novo governo.  E assim, por muito tempo, o país ainda vai sofrer nas mãos dessa pelegada inconsequente. Quem sair por último, por favor, apague a luz, se até lá ela se mantiver acesa.

 Mesmo à frente do governo, os danos causados ao país pela dupla Dilma/L---  (diria pelo socialismo, representado aqui pelo PT-Partido dos Trapaceiros, que onde metem a mão fazem merda, vide os países vizinhos que sofreram o mesma mal)  são irrecuperáveis. Eles conseguiram o que até então seria impossível: organizar uma quadrilha, com profissionais do crime, para acabar com a Petrobrás e as empresas estatais mais sólidas do Brasil. 

 O PT aparelhou o estado, o que é notório. A república sindical está enraizada em todas as empresas públicas. Os pelegos ocuparam todos os espaços. Têm mais três anos pela frente para liquidar com o que resta do ativo das empresas públicas se o povo brasileiro continuar até lá nessa panaceia indolente de quem assiste o enterro passar e ainda bate palmas. A Dilma já mostrou que é incompetente para permanecer no cargo. Nos últimos meses, agrava-se mais ainda o seu comportamento débil e idiotizado diante do problema da crise que se agrava a cada dia. Até para ler ela tem dificuldade. E quando tenta o improviso é um Deus nos acuda. Parece mais conversa de bêbado com delegado. É um caso de junta médica.

 Mais de 70% dos brasileiros, segundo as últimas pesquisas, já disseram não ao seu governo. Com apenas 8% de popularidade, ela tenta reagir inaugurando casas inacabadas para sensibilizar os mais pobres, na verdade os mais penalizados pela inflação e pelo desemprego gerados pelo seu governo. Está cercada de corruptos por todos os lados, os mesmos que encheram o caixa de sua campanha com milhões do dinheiro roubado da Petrobrás. É incapaz de reagir para tirar o pais da catástrofe. E quando aparece na mídia é negativamente: já gastou, até julho deste ano, quase 40 milhões de reais com o cartão corporativo, aquele que não precisa prestar contas, protegido por uma lei anacrônica que só beneficia os perdulários do dinheiro público.

 O custo de vida é assustador, mas a inflação não bate à porta do poder e de um bando de sindicalistas e seus asseclas  que vivem às custas do contribuinte. São os gigolôs dos recursos do FAT – Fundo de Amparo ao Trabalhador - dilapidados pelos presidentes das centrais sindicais que torram o dinheiro com amantes e apadrinhados numa devassidão que lembra os grandes bacanais do Palocci em Brasília.

 A opinião dos que conversam com a Dilma nos últimos dias é devastadora. Todos, sem exceção, garantem que  o comportamento da presidente diante da crise é de autista. Perdida, isolada, já não tem mais a quem recorrer. Vira e mexe cria factoides para assustar os espantalhos que devoram a sua mente turva e adormecida. Vê se afastar do seu lado os fieis escudeiros que massageavam seu ego autoritário quando a economia ainda dava sinais de prosperidade. Agora, rejeitada pela população,  políticos e empresários , experimenta o vazio do poder e o ostracismo da impopularidade.

 Para quem nunca pensou em chegar ao cargo mais importante da república, Dilma já foi muito longe. Para ganhar o segundo mandato jogou tudo, inclusive a dignidade, quando apresentou um programa mentiroso e irreal. Agora, confrontada com a fraude, está acuada diante das cobranças que pipocam de todos os lados. E o brasileiro, o maior pagador de impostos do planeta, é obrigado a conviver com essa orgia financeira e sustentar uma presidente que corta os céus do país no avião oficial para inaugurar obras incompletas no intuito de engabelar os incautos, os miseráveis dependentes da Bolsa Família, gerando despesas em um país que está a beira da falência.   

Dilma  declarou:  “Eu  não  envergo  nem  caio”.

Assim, só há  uma solução: 
 QUANDO A ERVA DANINHA NÃO ENVERGA NEM CAI, 
DEVE SER EXTIRPADA PELA RAIZ 
PELO  BEM  DAS  OUTRAS  PLANTAS.