Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Participante de um clã



Pré-candidato à eleição para a prefeitura do Rio de Janeiro em outubro, o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSC) postou em sua página no Facebook, nesta quarta-feira, um vídeo em que se manifesta sobre a decisão tomada pelo STF que transformou seu pai, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC/RJ), em réu em duas ações por incitação ao estupro em um incidente com a deputada do PT Maria do Rosário, em 2014. 

 
Até concordo que o pai do referido deputado estadual não deveria se tornar réu por uma reação natural sua, que foi, anteriormente, agredido, embora ele ganhe o suficiente para agir como exige o cargo que ocupa.  Mas, se é deputado, e pior ainda, se usou do nome do pai para se lançar candidato, "soi contra".
 
Alguém deveria informar ao referido deputado que o pior erro não foi do STF, mas o seu e de seu pai, ao transformar o nome conhecido, por alguns, em um clã no meio político.
 
E informar aos eleitores que um participante de um clã não foi eleito por suas vantagens, se é que alguma vantagem possa tranformar uma pessoa decente em um político, mas foi eleito apenas por causa de seu sobrenome.
 
Se o referido deputado será candidato na próxima eleição, nada melhor que um fato  que torne seu sobrenome conhecido até mesmo por quem nunca o conheceu.
 
 
PARTICIPANTE DE QUALQUER CLÃ
JAMAIS TERÁ MEU VOTO.