Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

sábado, 18 de junho de 2016

Sou bandido... mas eles também são!

 
 
A chegada do 'xerife' Sérgio Machado está deixando grande parte dos políticos de 'cabelos em pé', esperando pelo pior.
 
 
O que é visto por muitos como uma delação premiada, tornou-se uma tremenda traição, onde um bandido, para diminuir sua pena, acusa os outros de suas trapaças.   Só que, até agora, os políticos acusados  mostraram que não são pessoas comuns  e suas trapaças, já conhecidas, se respaldaram no verbo NEGAR e todas as acusações não provocaram suas merecidas prisões.
 

 No longínquo ano de 2009, o ex-presidente petista L.  afirmou que  Sarney, apontado também  por Sérgio Machado, não era uma pessoa comum, como podemos conferir em vários endereços da Internet, como no endereço citado a seguir http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,sarney-nao-e-uma-pessoa-comum-diz-lula,388706
 
 
 
PREÇO DA DELAÇÃO:  (17/06/2016 ) - Sérgio Machado deve cumprir pena em casa de luxo com piscina no Ceará - Imóvel de luxo fica no Bairro Dunas, em Fortaleza Sérgio Machado se comprometeu a devolver aos cofres públicos R$ 75 miL, ALÉM DAS DELAÇÕES  QUE FEZ .  http://g1.globo.com/ceara/noticia/2016/06/sergio-machado-cumpre-pena-em-mansao-com-piscina-e-quadra-de-tenis.html
 
 
Quanto aos sujeitos que ele citou ...
estão soltos por aí,
só aguardando a polícia chegar.
 
 
NOTA: 

1. MUITOS NOMES NÃO FORAM CITADOS POR SÉRGIO MACHADO .

2. Realmente, as pessoas que estão sendo citadas, algumas cansativamente por todos os presidiários envolvidos na Operação LavaJato, não são pessoas comuns, porque roubam loucamente sem serem punidos.