Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quinta-feira, 30 de abril de 2015

ABUSOS E MAIS ABUSOS. Enquanto isso, ...

 
 



 
'Eles' desviam ou roubam e
o povo paga e atura. 
Ou melhor, para ser mais exata: 
o povo SIFU
 
 
(SIFU foi um palavrório dito pelo  petista ex-presidente  da república, antecessor  de Dilma Rousseff, em uma de  suas verborragias televisivas
 
 
 
 
 
 
 
 
- Juro volta a subir e atinge  a maior taxa desde 2008.
 
 
- A Mega-sena ficará mais cara.
 
 
- Os aeroportos do Rio são considerados os piores do país. Não são apenas os Aeroportos, mas  os caminhos que levam até eles também.   Sem contar com outros  caminhos,  que são igualmente péssimos.



 
- Também aqui no Rio (ou Choro?) de Janeiro a obra do bondinho de Santa Teresa  pode ter contrato rompido.  O contrato poderá ser rompido, mas as ruas já estão 'rompidas' há muito tempo.    O restaurante   Espírito Santa, por exemplo, com suas comidas maravilhosamente diferentes - está com um buracão aberto bem em frente, muito parecido com a foto ao lado.  Provavelmente eles estão gratos pela inépcia governamental que afasta muitos clientes. Inépcia ou  inép$$ia ?

 

DESEMPREGO -  Hoje, na coluna de Ancelmo Gois,  após uma série de artigos sobre o asunto: 
A  tragédia é jovem: Tem um dado cruel na pesquisa emprego, do  IBGE, de março, que mostrou a  elevação da taxa  de desemprego nas regiões metropolitanas de 5% para 6,2%.  É que o desemprego enter jovens de 18 a 24 anos pulou d e 12,8% para 15,7%.  No caso do  Rio, lembra o economista Mauro Osório, o salto foi de 10,l% para 14,4% em um ano.