Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

domingo, 24 de abril de 2016

TEMER JÁ MOSTROU PARA O QUE VEIO

 PR - 142
 
IMPEACHMENT - 142 cargos 

O ex-deputado Sandro Mabel articulou pesado para Michel Temer às vésperas do impeachment.  A um grupo de 14 deputados do PR Mabel disse que iria desocupar 30 mil cargos comissionados e que, desses, DOIS MIL CABERIAM A  'ELES'.  Ou seja: CADA DEPUTADO TERIA 142 CARGOS EM TROCA DO VOTO EM TEMER.

 
Michel Temer promete manutenção de cargos a Jovair Arantes - http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/
 
Jovair de Oliveira Arantes (nasceu em 1951). Formou-se como cirurgião-dentista,  mas iniciou sua vida política em 1983, Em l988 foi eleito vereador por Goiânia .  Um ano depois, tornou-se um dos fundadores do PSDB em Goiás.  Quando foi em 1990 conseguiu votação suficiente para se tornar deputado estadual. Dois anos depois, alçou a vice-prefeitura  de Goiânia.  Renunciou ao cargo para se candidatar (e se eleger-se) a deputado federal (1994), sendo reeleito por mais quatro vezes seguidas.  Em 2003 retirou-se do PSDB, deu uma guinada à esquerda e se filiou ao PTB, partido pelo qual Jovair Arantes se credenciou como líder no Congresso Nacional por várias vezes.  
 
Foi alvo de ação civil pública por improbidade administrativa na Justiça Federal. Teve duas contas de campanha reprovadas pelo TRE-GO e pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 
PERIGO À VISTA: Segundo uma notícia, que saiu na mídia, a maioria dos eleitores não considera Temer um grande alívio para os brasileiros, que preferem uma eleição em 2016.