Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

domingo, 20 de março de 2016

IMPEACHMENT - Comparações e Lei

Atos pró-Dilma mostram reação,
 mas não melhoram
 situação do governo
 
 
 
Especialistas avaliam que os atos mostraram uma reação aos protestos anti-Dilma promovidos no último domingo (13), mas ainda não são suficientes para garantir tranquilidade ao governo. 
Para o professor de ciência política da Universidade de Brasília (UnB) Luis Felipe Miguel, as manifestações preencheram as expectativas do governo e mostraram que ainda há capacidade de mobilização. "Até o momento, como as outras tentativas de colocar gente na rua contra o impeachment tinham sido frustradas, dava a ideia que o Brasil era a favor do impeachment ou neutro. Agora deu para notar que é diferente", avaliou, em entrevista à Agência Brasil. 
Segundo Miguel, o fato de as manifestações anti impeachment terem sido menores do que os atos contra o governo do último domingo não é relevante. "As manifestações de domingo (manifestantes foram porque queriam sem  precisarem de ajuda)  foram amplamente divulgadas pelos grandes meios de comunicação, havia grandes interesses empresariais. As de ontem contaram com essa ajuda", comparou. "Se fosse para fazer esse tipo de contagem, a correta seria a eleição (sem contar com as ajudas de custo ." (as manifestações a favor do atual governo e do ex-presidente mafioso contaram com ‘ajudas de custo’)  
COMPARAÇÕES entre o impeachment de Collor e de Dilma:
 
1.  Erros:  MEXEU COM MEU BOLSO, MEXEU COMIGO ... E COM O RESULTADO DAS URNAS 
COLLOR: Collor meteu a mão na poupança das pessoas ("... sua popularidade começou a ficar abalada ao confiscar o saldo das poupanças bancárias a fim de frear a inflação. Cada pessoa ficou com apenas 50 mil cruzeiros (hoje, cerca de R$ 6 mil) disponíveis e muita gente empobreceu da noite para o dia. Não deu certo: a inflação continuou crescendo . Surgiram os primeiros escândalos de corrupção ligados a Collor.
DILMA:  com uma economia em frangalhos,  fez diversas fábricas e lojas fecharem,  desempergou muita gente e retitirou de quem dependia do governo tudo (ou quase tudo) que lhes haviam dado.  Uma parte da população (os chamados 'coxinhas')  sustentava a outra (os lulistas-petistas), ficando  quase na mesma situação que seus dependentes.
 
 
2. APOIO e rejeição:
 
COLLOR e DILMA: Havia unanimidade pela saída do ex-presidente  Fernando Collor,  o que não ocorre atualmente, pois uma parcela da sociedade apoia Dilma (principalmente os dependente das bolsas criadas pelo PT, que vêem o  Governo com uma babá)  .   
Comentários de especialistas sobre a situação atual:    1 - Menor que o necessário - Para o cientista político Márcio Coimbra, coordenador do MBA Relações Institucionais do Ibmec no Distrito Federal, "a mobilização foi menor do que o que o governo precisava".      2 - Ele destaca também que circularam na internet fotos de manifestantes chegando em ônibus e de organizadores distribuindo lanches. "Isso enfraquece o valor popular do evento", avaliou. Segundo ele, as manifestações de ontem foram diferentes, por exemplo, dos protestos espontâneos contra o governo que ocorreram na quarta-feira (16), após a indicação do ex-presidente Luiz Inácio L--- da Silva para a Casa Civil. "Parece que as pessoas foram para rua por causa de incentivos", disse (PARECE? ).
 
3. SEMELHANÇAS ENTRE COLLOR E DILMA
 
 
 
LEI QUE REGE O IMPEACHMENT