Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quarta-feira, 11 de março de 2015

Depoimento de uma petista arrependida


Cresci num lar esquerdista.
 
Desde pequena ouvia Chico Buarque, Gilberto Gil etc.
 
Cresci admirando a URSS, Cuba, Prestes e, depois, o PT. ...
 
Desde muito cedo, no segundo grau (ensino médio), já fazia movimento estudantil de esquerda.
 
Aos 17 anos me filiei ao PC do B. Aos 19, ao PT.
 
Fiz cursos de formação política tanto no PC do B (para aprender o que é o "marxismo-leninismo") quanto no Instituto Cajamar, pelo PT (SP). 
 
Fui de CA, Conselho de CAs, participei de congresso da UNE, CONEG, CONEB, passeatas, atos etc. Era representante dos estudantes da UnB no Cepe, no Consuni, no Instituto de Letras, no Departamento de Linguística etc. Fui dos coletivos da juventude e depois do coletivo de mulheres do PT.
 
Trabalhei no Governo do PT no DF. Fazia militância de graça e ainda dava uma contribuição mensal do meu $$ ao PT.
 
Cheguei a ir à embaixada de Cuba em Brasília para saber como poderia ir morar em Cuba por uns anos, para trabalhar nos canaviais ao lado dos camaradas socialistas. P
 
Participei do movimento pelo impeachment do Collor liderando passeatas, pintando faixas, subindo em carro de som, gravando fita cassete para tocar no carro de som etc.
 
Fundei, com outros "companheiros", o Núcleo do PT da UnB. Participei de encontros, plenárias, reuniões, etc. em sindicatos, centrais sindicais, sede do partido e tantos outros lugares.
 
Vendia jornal da corrente política da qual fazia parte na rua.
 
Pois muito bem.
 
Dou este depoimento para dizer a vocês que
ESQUERDISMO TEM CURA.
Podem acreditar.
Maya Felix