Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

terça-feira, 17 de março de 2015

Recado Dado - Erneto Caruso


Ainda não foi decidido qual será a data ideal para  continuarmos nossa luta.  Enquanto alguns preferem  (como desde o início) o Impeachment há outros que acreditam que  nossa única chance seria uma Intervenção Militar.  Pela dificuldade de conseguirmos um ou outro, o jeito é atormentar quem está no poder, que, na verdade, é nosso.  Mas uma coisa é certa, não podemos deixar que se arrefeça o clima criado na manifestação do notório dia 15 de março.  Até porque nossa luta continua.
  
 
 
O NEGÓCIO É IRMOS EM FRENTE,
SEJA DO JEITO QUE FOR.
 
 
 Ernesto Caruso 
 
       Povo sem CUT e sem medo. Sem amarras. Sem quentinha, bolsa manifesto. Na cara e na coragem. Velhos, crianças, família de verde-amarelo, pensando Brasil, clamando pela paz, liberdade para o cidadão e prisão para o bandido corrupto. Emoção. Não há quem na distância dos grandes centros ou nas inúmeras cidades, presente, não sinta o grito de revolta, de indignação que está entalado na garganta de todos diante dos depoimentos, onde a palavra propina é pronunciada de forma repetitiva e descarada.
 
       Propina... propina... de cá e de lá.  Aos milhões, milhões que são a sustentação do poder corrupto emaranhado, combinado nos porões de Brasília, do governo central. Repetição do mensalão que a suprema cegueira da Justiça suprema não enxergou como quadrilha, onde os núcleos empresariais, financeiros e políticos trocavam informações e se acertavam na propina. Hoje em pauta igual.
 
       Povo sem amarras, sem o toma lá, da cá, com a liberdade que nem os partidos têm subjugados por seus donos e imposições de líderes a serviço do governo para o voto de cabresto e não com a própria consciência. Meia dúzia de caciques a determinar o que fazer e a quem beneficiar. Não é o número de partidos que atrapalha, são os grilhões nos pés dos parlamentares controlados pelos capatazes.
       
É essa a voz da rua. Para o governo Dilma/PT que repele. Para os ministros da Suprema Corte que batem os ombros às críticas, como se viu nas entrevistas do Min. Dias Toffoli que ao invés de se dizer impedido de julgar os enquadrados na operação Lava Jato muda de Turma exatamente para fazê-lo, tendo sido advogado do PT, alvo da delação premiada acusando o seu tesoureiro.
 
       O cartaz “totofoli chega de maracutaia” chamou a atenção do cinegrafista da TV. No passado recente um político exclamou “estou me lixando para a opinião pública”. Poder, pode, mas... Polido? Politicamente correto?
 
       Voz da rua principalmente para o Congresso Nacional. Deputados e Senadores que não queiram se vender, nem sucumbir sob os escombros do governo Dilma/Lula/PT visto e tido como mentor e interesse em se manter no poder a todo custo. Que tenham a coragem e respeito a si próprios até para impor o impeachment reclamado com medida importante, cirúrgica, drástica, mas necessária para vencer este momento de instabilidade política e administrativa. A sugar e definhar empresas do porte da Petrobras.
 
       Voz da rua que não se contenta com as migalhas em suas mãos como esmolas, mas que não preenchem as suas necessidades em trabalho digno, assistência à família em especial no item saúde. Terrorismo diário nas portas dos hospitais públicos que não cumprem as regras de contrato no plano de saúde assinado entre o povo trabalhador, governo e SUS. O trabalhador paga já deduzidos os valores no contracheque sem a contrapartida dos governos central e regionais.
 
       Gente que não aguenta mais os investimentos no exterior com verbas secretas do BNDES e a falência de tudo em todos os cantos do território. Que não aceita mais a “presidenta” mostrar na televisão o país da maravilha que não encontra nos transportes da casa ao trabalho, no posto médico vizinho, no bairro das ruas esburacadas, que enchem quando chove e que como diz o poeta, de dia falta água, de noite falta luz.
 
       O recado está dado. A ampla e intensa demonstração da vontade popular não parece que vai esmorecer e deixar que termine em pizza.
 
Se não ocorrer o impeachment ou a renúncia que enfim traria a paz e a esperança do aprofundamento das investigações nos bancos oficiais e empresas, sem as autoridades atuais, outros protestos virão.
 
Firmeza e determinação estão presentes na pacífica revolta popular. Que inflamada pode deixar de ser.
  



ATENÇÃO - A PRÓXIMA MARCHA JÁ ESTÁ MARCADA 12 DE ABRIL DE 2015 
- FOCO NO IMPEACHMENT - OBJETIVO - DIRETO SOBRE O AFASTAMENTO DA "PRESIDENTA" e salvar a Petrobras/BNDES/etc
 
É importante abrir a caixa preta e descobrir os malfeitos petistas e no passo seguinte colocar os responsáveis na cadeia. Não é um desfile para ficar nas calçadas e nas janelas, se possível fisicamente, na marcha contra os corruptos.