Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Nova língua brasileira

 
"As palavras têm a leveza do vento e a força da tempestade"
 
Victor Hugo
 
 
 
Enquanto um incêndio se encarregou de destruir o Museu da Língua Portuguesa, em  São Paulo, temos um tipo de governo que sempre "aplaudiu" a  INGUINORANÇA que os elegeu e os levou ao Palácio do Planalto.  É aquele tipo de eleitor, o ignorante que não sabe o que acontece no lugar onde vive, até que a desgraça torna seus estômagos vazios.
 
 
Também à maioria das pessoas o incêndio de tal Museu não significa nada, até porque a língua portuguesa, aqui falada, já se deteriorou há muito tempo.  Atualmente ela se resumiu a dois tipos:  um grupo de pessoas que têm seu modo de  falar um tanto  diferentês, como por exemplo, "Ô  cara! Mais é mermo" !.  Um outro grupo que fala o "dilmês", por achar muito bonito a maneira de nossa PresidentA petista de falar ou por não ter uma escola que o ensinasse a falar direito .
 
 
Está sendo lançado um livro com o atual DILMÈS - "O DILMÊS-O IDIOMA DA MULHER SAPIENS" - com palavras da oratória  ""esdrúxula"" de nossa PresidentA Dilma Rousseff.  Este livro seria uma espécie de dicionário  que nos leva a compreender coisas que nossa PresidentA se dispõe a falar.
 
 

 "Aí fomos  para a reunião do G20.  Na reunião do G20... Aliás, desculpa, dos Brics.  Na reunião dos Brics discutiram a questão da crise européia.  Os Brices, eu acho que nenhum deles foi... todos eles acharam que tinha de aumentar, se houvesse uma ajuda, se fosse necessário a ajuda, se ... obviamente, os que são ajudados têm de querer.  Enfim, são discussões.  (pág. 133)