Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

domingo, 13 de dezembro de 2015

Mais uma promessa e mais uma investigação !

 

Transposição do São Francisco, prometida inicialmente para 2010, tem conclusão remarcada para 2017  (8 de junho de 2015) - As obras de transposição do Rio São Francisco, iniciadas ainda no governo Lula, em julho de 2007, e prometidas inicialmente para o ano de 2010, teve mais uma revisão em seu cronograma, e agora é projetada para ser finalizada apenas em 2017. As informações são de reportagem publicada pelo jornal “O Globo” neste domingo (7). O texto do jornal relata ainda que deve ocorrer mais um ‘reajuste’ no custo do projeto, também revisto por algumas vezes, e que passou dos R$ 4,2 bilhões quando do início das obras para mais de R$ 8 bilhões, valor que ainda deve subir ainda mais - http://www.alvarodias.com.br/2015/06/transposicao-do-sao-francisco-prometida-inicialmente-para-2010-tem-conclusao-remarcada-para-2017

 
*****
 
FONTE: FOLHA DE SÃO PAULO (11/12/15)


 A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (11) uma operação para investigar  superfaturamento em obras da transposição do rio São Francisco.   Os desvios teriam ocorrido em 2 dos 14 lotes da transposição.  

De acordo com os investigadores, empresários de um consórcio responsável pelas obras com superfaturamento utilizaram empresas de fachada para desviar cerca de R$ 200 milhões no trecho que vai do agreste pernambucano até a Paraíba. Os contratos investigados, até o momento, são de R$ 680 milhões.   
 
O consórcio é formado por OAS, Galvão Engenharia, Barbosa Melo e Coesa Engenharia.