Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quinta-feira, 23 de março de 2017

CARTAS E EMAIL.s - Jornal O Globo


Sendo o jornal O GLOBO o único que sobrou
a quem gosta de ler as últimas tramoias políticas nacionais,
aqui estão duas cartas de leitores:

 
 
VERDADEIRA REFORMA
 - Marco Aurélio Souza -

Pelo fim das aposentadorias e pensões de políticos. Político não é profissão. Não necessita de formação, nem presta concurso público. O político é escolhido para prestação de SERVIÇO TEMPORÁRIO, portanto, não tem direito a deixar pensões.  O político legislou em causa própria e isto é ilegal.  QUE SEJAM ANULADAS TODAS AS APOSENTADORIAS E PENSÕES POLÍTICAS.
 
Esta, sim, é a verdadeira reforma previdenciária.

______________________________________________________________
 
SEGUNDAS INTENÇÕES
- Anánder  Kleinman -
 
 Gilmar Mendes, presidente do TSE, voltou a defender mudanças no atual sistema eleitoral, sob o argumento que o modelo está 'exaurido".  Sua militância política viola as leis da magistratura  e da ética.  Ao lado de políticos "exauridos", defende a votação em lista fechada, que apresenta como panaceia . Mal disfarçada cortina de fumaça para minar os efeitos da Lava-Jato.  Em outra ocasião, a Associação dos Magistrados Brasileiros sugeriu que Gilmar renunciasse à toga e fosse exercer sua expressão como comentarista.  VAI QUE É TUA, GILMAR !
 
 
 
OBS.: Estão sendo aguardadas mais características dos leitores que escreveram estas belíssimas cartas, editadas no jornal de ontem, página 19.