Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

sábado, 25 de março de 2017

Mentiras e alucinações



EGOLATRIA EXACERBADA    

" MORO NÃO TEM A ÉTICA QUE EU TENHO”
 Palavrório repetitivo
DO VAIDOSO EX-PRESIDENTE PETISTA      
O comentarista-historiador Marco Antonio Villa destaca o depoimento de Marcelo Odebrecht ao Tribunal Superior Eleitoral.  
Campanha de reeleição de Dilma em 2014
Só reclamar não adianta!  Comentário de Diogo Mainardi, que revela o roubo do antecessor de Dilma, TREZE MILHÕES DE REAIS EM DINHEIRO VIVO DA ODEBRECHT.
 
Lilian Mansur - 24/Março/2017  
CORRUPÇÃO  SEM LIMITES
  • 'QUATRO QUINTOS' DO DINHEIRO PARA DILMA FORAM NO CAIXA 2, DIZ ODEBRECHT
  • MARCELO IMPLICA DILMA E CONTA COMO COMPROU MP NO GOVERNO L.
Ganharam as eleições por causa do dinheiro sujo...
comprando e subornando a todos 
OS RELATOS DE MARCELO ODEBRECHT À JUSTIÇA COLOCAM DILMA E L---  EM SITUAÇÃO MUITO DIFÍCIL.
 
Foram entregues no “caixa dois”, clandestinamente, sem declarar à Receita Federal ou à Justiça Eleitoral, quatro quintos dos R$150 milhões destinados pela Odebrecht à campanha para reeleição de Dilma Rousseff. Quatro quintos correspondem a R$120 milhões. A revelação é do próprio Marcelo Odebrecht, então presidente da companhia, em depoimento ao ministro Herman Benjamin, relator do processo que apura a acusação de abuso de poder econômico contra a ex-presidente no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). "Para ela, a maior parte, talvez quatro-quintos, foi caixa dois", disse textualmente Odebrecht, segundo depoimento divulgado primeiro pelo site O Antagonista.
 
Marcelo afirmou ao TSE que "a campanha presidencial de 2014 foi inventada" por ele mesmo, definindo os valores para bancá-la e destinando R$150 milhões à disposição para a campanha de Dilma. Explicou que a empresa tinha "relação intensa" com o governo Dilma, gerando a expectativa de que a Odebrecht fosse um grande doador.

Em um dos trechos mais graves do depoimento, Odebrecht revelou que dos R$150 milhões entregues à campanha de Dilma, R$50 milhões correspondiam ao pagamento da Medida Provisória 470, um "refis" na crise de 2009, que beneficiou diretamente a Braskem, braço da Odebrecht no setor químico. A MP foi editada quando Lula era presidente, em 2009. Isso ficou acertado em reunião com o então ministro da Fazenda, Guido Mantega, que disse ao empresário: "Olha, Marcelo, eu tenho a expectativa de que você contribua para a campanha de 2010 com R$ 50 milhões".

O empresário afirmou que Mantega não se envolveu na campanha de 2010, quando Dilma ganhou o primeiro mandato. O pagamento pela compra de medida provisória ficou para a campanha de 2014. Mantega só começou a pedir dinheiro para o PT a partir de 2011, quando era ministro de Dilma e Antonio Palocci já tinha saído da Casa Civil. Até aquele momento, segundo o depoimento, era Palocci que fazia a maior parte dos pedidos do PT.

***
 Tentativas de escapar de Sérgio Moro e Marcelo Bretas
não dão certo
Por unanimidade o Supremo Tribunal Federal não aceitou os argumentos de L--- que pretendia escapar de Sérgio Moro. O objetivo era que seu processo subisse para o STF. Agora não tem escapatória, L--- será julgado por Moro.
 
Eduardo Cunha também foi pelo mesmo caminho, mas igualmente não se livrou de Sérgio Moro. Da mesma forma, no Rio de Janeiro, Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo já fizeram tentativas de tirar seus processos das mãos do juiz Marcel Bretas, mas também tiveram seus pedidos negados.
 
Já perdi a conta de quantas derrotas L---, Cunha, Cabral e Adriana Ancelmo sofreram tentando se livrar da primeira instância. Nos casos de Cunha, Cabral e Adriana vários pedidos de habeas corpus também foram indeferidos. Não vai ter jeito. O destino deles vai ser decidido por Moro e Bretas. Só depois do julgamento em primeira instância é que poderão recorrer a instâncias superiores.
http://www.blogdogarotinho.com.br/lartigo.aspx?id=23505

 Moleque, bravateiro, réu em cinco ações,
L--- xinga Dallagnol:
"Ele é um moleque"!
 

Desesperado pela iminência de ser jogado na cadeia como bandido da Lava Jato, doente, sem voz, réu em cinco processos, o ex-presidente L--- I----- L--- da S--- chamou o procurador da República, Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa que investiga o esquema de corrupção na Petrobras, de "moleque".
- Fomos criados para mudar a história deste país e para agir corretamente. Quem comete erro paga pelo erro que cometeu.  PARECE QUE ELE NÃO FOI CULPADO PELO  ERRO QUE LEVOU O BRASIL AO CAOS EM QUE SE ENCONTRA!  A instituição é muito forte. E aquele Dallagnol sugerir que o PT foi criado para ser uma organização criminosa. O que aquele moleque conhece de política? Ele nem sabe como se monta um governo. Não tem a menor noção.

L---um moleque bravateiroEle falou no encerramento do seminário "O que a Lava Jato tem feito pelo Brasil" promovido pelo PT e que reuniu 200 pelegos do PT. - http://polibiobraga.blogspot.com.br/2017/03/moleque-bravateiro-reu-em-cinco-acoes.html

 


VÁ SER BRAVATEIRO ASSIM NO PT QUE O PARIU !
 
 
DÚVIDAS:
O  ex-presidente, que levou o país à terrível situação em que se encontra, vem mentindo cada vez mais, ao notar que seus eleitores são ''mentalmente  fáceis de direcionar" ou  pode ser  considerado um maluco?  A maluquice seria uma forma de ser político ou os políticos são uns mentirosos e os  eleitores que lhes dão votos são idiotas ?