Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Amigos que substituem inimigos

 DOIS "AMIGOS" DA NOSSA PRESIDENTa
 
 
OAS

Foi uma noite de tensão para os principais executivos da OAS. Enquanto eram apurados os votos para presidente da República, os dirigentes da empreiteira deixavam transparecer, em mensagens, a ansiedade com o resultado.
 
"Informação de dentro do TSE: Aécio 5% na frente", escreve um deles, às 19h24 daquele domingo. "FHC está falando em vitória de Aécio. Pode ser boato, mas..."
 
Na resposta, Leo Pinheiro, então presidente da OAS, solta: "Vamos ver!". Minutos depois, o alívio: "Dilminha ganhou!!!!!", festejou Pinheiro.
 
 
Segundo esse Maduro, quasse podre
 

 Nicolás Maduro (ou podre?)

Brasília - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, saiu em defesa da presidente Dilma Rousseff na noite desta quinta-feira (17), ao chegar a Brasília para participar da XLVIII Cúpula do Mercosul. Questionado pelo Estado sobre um eventual impeachment da presidente brasileira, Maduro afirmou que forças imperialistas de ultradireita estão em plena ação contra movimentos nacionalistas, seja na Venezuela ou no Brasil, mas, ao contrário do que ocorreu na ditadura militar, não é possível mais fazer "desaparecer" a esquerda.
 
"Creio que as forças imperialistas da ultradireita estão arremetendo contra os movimentos progressistas  nacionalistas, patrióticos de esquerda  (se esses movimentos são aqueles que jogam o país lá para baixo, eles já provaram que são).  Estão cometendo os mesmos erros de 40 anos atrás com a Operação Condor", disse Maduro, referindo-se à operação criada em 1975 que reuniu militares de Argentina, Brasil, Chile, Uruguai, Paraguai e Bolívia em ações conjuntas, com colaboração da CIA, para o combate às guerrilhas e a outros movimentos de resistência às ditaduras militares que dominavam esses países.
 
"O que ocorre é que agora não podemos desaparecer,
porque somos um povo, somos um povo,
L--- é um povo, Dilma é um povo, nós, do movimento bolivariano, somos um povo.
O povo brasileiro seguirá triunfando (?)", comentou Maduro.
 


Quem tem esse tipo de amigo
não precisa de inimigo!




Já notaram que onde o comunismo ou o socialismo metem a mão, chega logo a destruição?
Basta olhar os países da América do Sul onde os "democratas" se instalaram.