Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

sábado, 18 de julho de 2015

SONEGAR NÃO É CRIME, É NECESSIDADE 2


O artigo abaixo é quase uma cópia de  um que foi escrito no dia 14 de maio de 2008, quando este blog ainda se hospedava em outro endereço (http://puteiro-nacional.blogspot.com.br/2008/05/sonegar-para-sobreviver.html), com algumas alterações para que o texto se torne mais atual, embora a sonegação seja eterna e, em alguns casos, até necessária.
   *****

A falta de dinheiro que está abalando os brasileiros e a procura do texto antigo que tem tudo a ver com a situação atual me lembrou um fato ocorrido logo no início do primeiro mandato do operário petista que se tornou Presidente da República, quando uma empresária se aproximou dele com um cartaz, pedindo soluções para o problema das pequenas empresas, que não têm como se manter por causa da carga tributária extorsiva da época, e  que já era desviada escandalosamente.  Sabem qual foi a resposta presidencial sobre o assunto?  Dar à empresária um autógrafo.    Foi como se o  indivíduo que um dia foi metalúrgico,  não compreendesse o desespero da tal mulher. Naquela época o homem que um dia foi metalúrgico já se mostrava, para quem quisesse ver, a pessoa tão fria quanto é e só pensa em si mesma.

"O hábito de parar na portaria do Alvorada seria deixado de lado ainda no tempo de grande popularidade, no primeiro ano de mandato. Numa ocasião, L--- foi surpreendido por um casal de empresários, que aproveitou para reclamar que TINHA FALIDO POR CONTA DA CARGA TRIBUTÁRIA do governo Fernando Henrique. O presidente havia parado para cumprimentar as pessoas quando a mulher se jogou na frente do carro dele. A empresária se aproximou com um cartaz: “L---, não queremos promessa: queremos solução.” -Tá bom, tá bom... – disse L---, que em seguida autografou o cartaz.”(livro Viagens com o Presidente, pág. 35)

Muitos anos depois, com todo esse terrível tempo de PT pela frente, nada mudou e continuamos a ter os mesmos tipos  de   pequenas empresas pela frente: as informais e despreocupadas, que não precisam dividir com o governo grande parte do dinheiro de seu trabalho; as que se mantêm numa eterna corda bamba para não fechar as portas; as que sobrevivem porque sonegam.
 
Depois que um grande tributarista chamado Francisco Dornelles disse, em defesa de Renan Calheiros que ele não teria feito nada demais ao cometer APENAS um crime tributário  (http://noblat.oglobo.globo.com/artigos/noticia/2007/09/eles-nada-viram-73388.html) podemos cometer o crime de sonegação principalmente se for por legítima defesa
 
Ou seja, 'enganar' o Fisco, da mesma forma que somos todos enganados,
é mais do compreensível e até aceitável.  
 

No Brasil, sonegar continua não sendo crime, mas uma necessidade.