Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Palavras são apenas palavras, mas ...


... pedadadas sempre serão pedaladas!


Um artigo que  saiu em um  jornal de hoje comentou sobre as consequências que o governo terá que aguentar caso suas "pedaladas fiscais" sejam  rejeitadas pelo TCU (Tribunal de Contas DA UNIÃO).  Não é a primeira vez que admitem o uso de palavras mais AMENAS, para que tal rejeição não seja vista como uma agressão, ou melhor, como uma vergonhosa verdade, pois rejeição é rejeição tenha ela o nome que tiver.
 
Enquanto isso, um relatório do tribunal NÃO recomendaria ao Congresso a rejeição de contas.
 
Segundo a reportagem, as contas do ano passado, apresentadas agora pela Presidência não estariam em conformidade com a legislação.  
 
 
Diz um trecho:  'O parecer prévio será conclusivo no sentido de exprimir se as constas prestadas pelo presidente da República representam adequadamente a  posição financeira, orçamentário, contábil e patrimonial, em 31 de dezembro, bem como sobre a obxervância dos princípios constitcionais e legais que regem a administraáo pública federal.'  UFA!  Sejamos mais concisos e diretos: As contas seriam aceitáveis ou não?  POIS É... PALAVRAS SÃO APENAS PALAVRAS!
 
 

 
 

 
 A expressão “pedalar” é usada por técnicos que lidam com o orçamento público , e signfica adiar uma despesa. Dilma Rousseff entende mesmo é de pedalar.