Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quarta-feira, 29 de julho de 2015

CALOTE PRESIDENCIAL

 

O governo deixou de pagar mais de R$ 1 bilhão à Caixa Econômica Federal e ao Banco do Brasil referentes a taxas de administração de programas sociais como Bolsa Família, Financiamento Estudantil (Fies), Minha Casa Minha Vida e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Os bancos oficiais foram contratados pelos ministérios para executar os programas e deveriam ter sido remunerados por essa prestação de serviço. 
 
 
INADIPLÊNCIA PODE SER mais um motivo para o TCU REJEITAR as contas de 2014 da presidência petista .   Tais  “pedaladas” teriam sido manobras para segurar repasses aos bancos oficiais, que se viram obrigados a arcar com pagamentos dos programas sociais.
 
GRANDE  PARTE DA DÍVIDA É DE 2014  - No caso do Bolsa Família, a dívida remonta a 2003, primeiro ano do programa e do mandato do presidente antecesssor de Dilma.   Porém o grande pedaço da  dívida, que se tornou calote,  com os bancos, de R$ 630,3 milhões, foi contraída no ano passado ,  quando o povo que também nunca soube de nada reelegeu  a presidentA Dilma Rousseff . 
O TCU considerou que a prática das “pedaladas” serviu para melhorar artificialmente as contas públicas e infringiu a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Na análise das contas de 2014, Dilma precisou se explicar sobre a manobra e sobre outros indícios de irregularidades fiscais. O julgamento do parecer no TCU está previsto para agosto.
 
 
PT,  CALOTEIRO
 Segundo notícias, ontem, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa relator das contas de 2014, que esperam aprovação , foi ao gabinete do ministro do TCU, para reforçar a defesa da presidente”.  
Calote em discussão - MINISTÉRIO CONTESTA OS VALORES
O Ministério do Desenvolvimento informou, por meio da assessoria de imprensa, que ainda discute com a Caixa os valores referentes à prestação de serviços de 2003 a 2010. Segundo ele,  “Não é possível fazer qualquer referência a valores neste momento”, informou.   Como não é possível que o povo atrase seus pagamentos, principalmente à União.  Que exemplos devemos seguir? Devemos também dar calote no governo, sem punição alguma?