Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Dai a Cesar a cesariana

  

Benedito Franco

 

            12 de julho é dia de gente grande!
 
 
            12 de julho foi o dia em que, no ano 100 a.C., uma aristocrática senhora romana daria à luz e não conseguia; cortaram-lhe a barriga e retiraram o menino - nascia Caius Iulius Caesar. Em sua homenagem, a operação passou a se chamar cesariana. O mês sete de cada ano tem seu nome, julho, e também de seu nome originou-se o título de quem governava Roma, durante muitos anos, inclusive na época de Cristo - (Dai a César o que é de César - disse Jesus). Monarca sem coroa de 49 a 44 a.C..
 
            César foi general, estadista, orador brilhante, historiador, escritor, político - tribuno, cônsul, ditador e imperador  e, quando jovem, foi até ministro dos esportes de Roma - e um dos maiores homens da história da humanidade; sendo tudo isso, tornou-se ditador do Império Romano – ajudou, e muito, a construí-lo e a expandi-lo.
 
            Cada rei no baralho representa um grande Rei/Imperador da história: o Rei de Espadas é o Rei David  de Israel; o Rei de Paus é o Alexandre Magno, Rei da Grécia/Macedônia; o de Copas, o Carlos Magno da França e o de Ouros o Imperador Júlio César de Roma.
 
 
Estudante, traduzi o livro De Bello Gallico – Comentários Sobre a Guerra das Gálias, onde César descreve suas conquistas na Gália, em estilo claro e conciso - um modelo de literatura histórica.
 
 
            O ditador Lúcio Sula ordenou que se divorciasse - desobedecendo, foi para a Grécia e aproveitou para estudar filosofia e oratória. Mais tarde reformou o calendário, dando aos meses as atuais formas, baseando-se os dias nas menstruações da esposa Cornélia.
 
 
            Diferente de nossos políticos: conciliou-se com os oponentes, indicando-os para cargos públicos; colocou governos honestos e outorgou cidadania romana a muitas pessoas nas províncias; distribuiu cereais aos necessitados; incentivou os esportes e estimulou a construção de bibliotecas públicas, drenagens de pântanos e aberturas de canais. Tornou Roma o centro de um império, quase todo conquistado por ele, que se estendia através da Europa, África e Ásia.
 
            Nasceram-lhe muitos inimigos... Foi morto por um amigo.