Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Made in Cuba

 
"Em país onde impera a CORRUPÇÃO,
crer na INFALIBILIDADE da urna eletrônica é
ERRO FATAL."

 
                     Reinaldo de Azevedo:Delegação brasileira, chefiada por Carlos Gadelha — Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde — está em Cuba. Fica lá até sexta-feira para discutir um plano. Qual? Já conto.

É que a presidente Dilma Rousseff resolveu fechar empregos no Brasil e criar empregos em Cuba. A presidente Dilma Rousseff, pelo visto, cansou de governar o Brasil — o que, convenhamos, a gente já vem percebendo, dados os resultados alcançados. Ela agora, quer fazer a diferença, sim, mas lá em Cuba, na ilha particular dos irmãos Fidel e Raúl Castro — lá naquele país que se divide em dois presídios: o de Guantánamo, onde estão terroristas culpados, e o resto do território, onde estão os cubanos inocentes.

Por que estou escrevendo essas coisas?  Porque este 'blog' apurou que a nossa “presidenta”, como ela gosta de ser chamada, está pressionando as empresas farmacêuticas brasileiras a abrir fábricas em Cuba para a produção de genéricos naquele país. De lá, exportariam para a América Central e América do Sul, incluindo o Brasil.



Nossa ' soberana' cansou dessa história de o próprio Brasil produzir os remédios e de ser, sim, um exportador.  A presidente quer fazer nossa indústria farmacêutica migrar para Cuba, de sorte que passaríamos a ser importadores de remédios produzidos pelos próprios brasileiros, gerando divisas para os cubanos, danando um pouco mais a balança comercial, desempregando brasileiros e empregando… cubanos!

A coisa não se limitaria à produção de genéricos, não! Entrariam no acordo também os chamados “similares”.  Dilma, assim, daria um golpe de morte numa das políticas mais bem-sucedidas do país nas últimas décadas: a produção de genéricos e o desenvolvimento da indústria farmacêutica nacional.

A iniciativa nasce da determinação pessoal de Dilma de dar suporte à economia cubana e de dar maior utilidade ao porto de Mariel, construído em Cuba com recursos do BNDES. Como sabemos, a Soberana entrará para a história da infraestrutura portuária de… Cuba!

A exemplo do acordo feito para a importação de médicos cubanos, também essa iniciativa é feita à socapa, por baixo dos panos. Cuba passou a ser caixa-preta do governo petista.
Como estamos falando de uma ditadura, é impossível conhecer o trânsito de dinheiro entre o nosso país e a tirania dos Castro.

É isso aí, “camaradas” brasileiros!


Alguns tentam fazer um Brasil melhor!  Dilma está empenhada em fazer uma Cuba melhor às custas dos empregos dos brasileiros. Para lembrar: o secretário Gadelha, o homem encarregado do projeto, é aquele que teve encontro agendado com o doleiro Alberto Youssef, por iniciativa do ainda deputado André Vargas.
  
Quanto ao Made in Cuba,
os brasileiros que se
DANEM