Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

terça-feira, 9 de maio de 2017

MITOS OU VERDADES SOBRE A GEMA DE OVO

MITO OU VERDADE!

A gema do ovo aumenta o colesterolMITO OU VERDADE!

access_time18 mar 2011, 22h00 - Atualizado em 31 out 2016, 19h07
chat_bubble_outlinemore_horiz
Um ovo tem em média 210 miligramas de colesterol. É coisa pra chuchu. Para ingerir a mesma quantidade, você precisaria comer 300 gramas de pão de queijo, um pacote de manteiga, 500 gramas de almôndega ou 2 quilos de biscoito de polvilho. Como os médicos recomendam um consumo de até 300 miligramas de colesterol por dia, um único ovo já preenche quase toda a cota.
Falando assim, parece até que cortar o ovo da dieta é a melhor saída para evitar doenças cardiovasculares, certo? Errado. Acontece que a quantidade de colesterol de um alimento não tem impacto direto sobre o colesterol plasmático (do sangue). O mecanismo é complexo e depende de fatores genéticos, consumo de gorduras saturadas e trans, falta de atividade física e dieta pobre em fibras. Ou seja: ao comer um ovo, acontece uma variação do colesterol, mas ela vai depender de outros fatores – e com certeza será inferior a 210 miligramas.
Um estudo realizado em 1999 colocou o ovo definitivamente no lugar dos mocinhos. Ele foi levado a cabo durante 8 anos pelo médico Frank Hu, professor de nutrição da Escola de Saúde Pública de Harvard, nos EUA. A equipe analisou 38 mil homens entre 40 e 75 anos e 80 mil mulheres entre 34 e 59 anos, que adicionaram diferentes quantidades de ovo à dieta normal. Hu concluiu que o consumo de até um ovo por dia não teve impacto significativo sobre o risco de doenças cardiovasculares e derrame em pessoas saudáveis. O risco aumentou apenas entre os diabéticos.
A preocupação com o colesterol é tão grande que muita gente se esquece dos benefícios do ovo em uma dieta equilibrada. Além de ser rico em proteínas, tem minerais como ferro e zinco. É também um dos poucos alimentos que contêm vitamina D. Apenas um terço de suas gorduras são saturadas, contra 60% das de um requeijão. E tudo isso por 75 calorias – menos que uma banana.
Aumento do colesterol depende de fatores genéticos, consumo de gorduras, falta de atividade física e de fibras.
Onde está o colesterol 
*MG de colesterol por 100 g de alimento
Bacalhau refogado – 112
Pintado assado – 126 
Manteiga – 200
Camarão cozido – 241
Lambari frito – 246
Lula grelhada – 260
Manjuba frita – 270
Ovo cozido – 397
Fígado grelhado – 601
Coração de frango grelhado – 280
Fonte: Tabela Brasileira de Composição de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)