Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

A propina como ela é - Revista Veja

 
PARA QUEM VEIO do mundo das sombras da corrupção, Milton Pascowitch foi de uma clareza meridiana. O lobista da Engevix e delator premiado na Lava-Jato contou, na semana passada, ao juiz Sergio Moro como pagava propina ao ex-tesoureiro do PT João Vaccari em troca de contratos da Petrobras com a empresa que ele representava. "Eu pegava pessoalmente e entregava pessoalmente. Fazia através de uma malinha que eu tenho, com rodinha, 500 000 reais cabiam."
 

Entregava dentro do Diretório Nacional do PT, na sala dele". Em três horas de depoimento,Pascowitch citou números, lembrou-se de porcentagens e explicou contratos. Em 2009, por exemplo, relatou, a Engevix acertou a montagem de oito cascos para plataforma do pré~sal por 3 bilhões de dólares a ser recebidos em sete anos. Desse valor, combinou-se que 14 milhões de reais iriam para o PT. Em geral, afirmou o lobista, a propina para "a área política" era de 0,5% sobre o valor do contrato, o que daria 15 milhões de dólares, mas, como 2010 era ano eleitoral e "havia uma necessidade de recursos", o partido aceitou embolsar 14 milhões de reais, desde que integralmente pagos em 2010.
 

E assim fez Pascowitch — distribuiu 4 milhões de reais em "doações" de campanha a candidatos indicados por Vaccari e, ao longo de um ano, entregou para o tesoureiro 10 milhões de reais em dinheiro vivo, na tal malinha de rodinha. Sobre José Dirceu, Pascowitch explicou que o ex-ministro, antecessor de Vaccari no esquema da Petrobras, mesmo depois de ser substituído pelo tesoureiro, continuou cobrando "comissões" da Engevix, Segundo o lobista, Dirceu reclamava esses pagamentos ("por serviços prestados anteriormente") porque gastava muito — mais de 1 milhão por mês, às vezes. E, para quem se pergunta como o guerreiro do povo brasileiro torrava tanto dinheiro, o lobista detalha: Dirceu comprou um imóvel para ampliar seu sítio em Vinhedo (SP), reformou a casa original ao custo de 1,4 milhão de reais e adquiriu um apartamento para uma das filhas, entre outras despesas que visavam a atender "às necessidades dele" Propina, afinal, é para isso mesmo.
 
 
 
 
 
Não 'compre'  os favores de fiscais, policiais e outros 'trombadinhas'  que aparecerem à sua frente.
 
LEMBRE-SE
 
TODAS AS VEZES EM QUE VOCÊ
''DER UNS TROCADOS A ALGUÉM''
ESTARÁ COLABORANDO COM A CORRUPÇÃO.
 
VALE MAIS A PENA ,
POR EXEMPLO,
TER SEU CARRO REBOCADO, POIS
SUA CONSCIÊNCIA NÃO IRÁ JUNTO.