Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Carta a um petista entrevistado pela VEJA

UM VERDADEIRO DOCUMENTO!

RECEBIDO POR EMAIL

 

"Só por curiosidade eu li a entrevista que o senhor concedeu à revista Veja nº 2.456 da semana passada sob o título Vergonha e tristeza. O senhor afirma entre tantas outras coisas, o seguinte:

“É triste ver que o sonho acabou. Ver onde chegamos. Infelizmente, o PT hoje é um partido como todos os outros que sempre criticamos”.

O senhor já começa a afirmar bobagens com esta frase, pois dentre as trinta e tantas agremiações criminosas que no Brasil se denominam partidos políticos, o PT é a pior e a mais perigosa de todas como já está sobejamente comprovado ao longo dos últimos treze anos. Os crimes praticados pelo PT vão da corrupção mais escabrosa à eliminação física dos próprios companheiros que lhe contrariem a vontade. Ou foi Deus quem matou Celso Daniel e Toninho do PT?

O senhor levou trinta anos para perceber que o PT só lhe trouxe vergonha e tristeza. Tal afirmação me dá o direito de lhe dizer que o senhor é um retardado mental, pois eu percebi que o PT só iria trazer vergonha e tristeza aos seus igualmente retardados eleitores no dia da sua fundação. Eu morava em São Paulo naquele fatídico dia. Comprei o jornal e fui para casa. Ao abrir, na primeira página estava estampada a foto dos fundadores do PT (vai anexa). Eu olhei a foto, li a reportagem e depois comentei com minha esposa:

- Ei, veja esta foto aqui. Fundaram uma quadrilha de picaretas com o nome de Partido dos Trabalhadores. Não consegui identificar nenhum trabalhador nesta foto, apenas ex-terroristas, sindicalistas, intelectuais de araque e todo tipo de desqualificados que o regime militar não soube manter nas cadeias ou mandar para o inferno. Começa pelo chefe da quadrilha, esse Luís Inácio da Silva, que se revela um picareta pelo semblante, por suas maneiras e jeito de se vestir, parecendo um malandro esperto. Não tem uma pessoa nesta foto que eu possa considerar respeitável.

Bastou ver uma foto para perceber que o PT era nada mais que uma quadrilha que ao longo do tempo e caso lhe dessem a chance se especializaria em duas coisas apenas: enganar trouxas com mentiras grosseiras e promessas vazias e, sobretudo, meter as mãos sujas no dinheiro público, como está mais que comprovado desde as investigações que culminou no processo do mensalão que enviou para a cadeia, embora de forma tão leniente, figurões do PT como José Genoíno, José Dirceu, Delúbio Soares e outros que o senhor tão bem conhece. Na verdade, o PT nunca teve um projeto de governo pela simples razão de que não tem competência para formular um. Seu projeto sempre foi o do poder absoluto e totalitário seguindo a cartilha do Foro de São Paulo, que o senhor deve saber o que é.

O grande problema do Brasil, senador, é que a maioria de sua população que porta títulos eleitorais é composta de retardados mentais ao ponto de levar ao mais alto cargo da nação um indivíduo semianalfabeto e despreparado como Luís Inácio da Silva e, apesar do péssimo governo
que fez ao longo de dois mandatos, eleger e reeleger para seu lugar essa coisa inútil a quem eu não confiaria sequer a administração de um boteco de beira de estrada. Quem não é um retardado mental sabia perfeitamente que tinha que dar nisso que ai está, pois posso lhe afiançar que nenhum eleitor brasileiro com o mínimo senso de decência e mediana cultura jamais votou nos candidatos dessa quadrilha que rebaixou o Brasil à condição de pária no concerto das nações do
planeta. Graças ao PT, nas figuras bisonhas de Luís Inácio da Silva e Dilma Rousseff, o Brasil é hoje motivo de vergonha e tristeza para os seus cidadãos de bem, situação que repercute internacionalmente.

Contudo, eu não acredito que o senhor seja um retardado mental, como afirmei no início, pois eu não sou bobo. O senhor é um espertalhão que percebeu que o seu partido a partir de agora talvez não consiga eleger nem síndico de condomínio quanto mais um senador da república, e por isto vai se bandear para uma outra agremiação onde tenha a chance de continuar nessa sinecura chamada Senado Federal. Afinal, o salário somado às mordomias e imorais privilégios da função não são nada desprezíveis. Minha curiosidade é saber se o senhor vai para o PSTU, PC do B ou para o Solidariedade, agremiações compostas por comunistas subdesenvolvidos para onde costumam ir os trânsfugas do PT. Afinal, como o senhor é bastante esperto, sabe que a maioria dos eleitores do seu estado, o Rio Grande do Sul, adora eleger comunistas, mesmo que estes tenham transformado um dos mais promissores estados brasileiros numa massa falida que não consegue nem mais pagar aos seus servidores em dia. Talvez o senhor esteja pensando em fazer uma dobradinha com Luciana Genro a fim de disputar as próximas eleições para governador, tendo ela como vice. Dada a qualidade da maioria do eleitorado do seu estado, têm todas as chances.

O senhor alega em sua catilinária nas páginas amarelas de Veja que sempre lutou pelo social, em favor dos trabalhadores, dos aposentados, dos negros e etc. e tal. É muito fácil apresentar projetos de leis que beneficiem quaisquer categorias a serem custeados com o dinheiro do contribuinte sem ter o cuidado de verificar de onde sairão os recursos. Veja o caso, por exemplo, de sua defesa dos aposentados. O senhor sempre batalhou pela derrubada do chamado fator previdenciário que reduziu e manteve em níveis sub-humanos a aposentadoria dos trabalhadores de segunda classe, ou seja, os aposentados da iniciativa privada que hoje estão quase a pedir esmolas para sobreviver. Muito nobre a sua defesa, não fosse uma defesa enganosa, oportunista e demagógica. O senhor sabe perfeitamente que o sistema previdenciário brasileiro divide os trabalhadores em duas classes, os de primeira classe, ou seja, os aposentados do serviço público, e os de segunda classe, ou seja, os da iniciativa privada. O senhor sem dúvida conhece os números que envolvem as aposentadorias dos dois sistemas e sabe perfeitamente que o déficit maior é provocado pelas aposentadorias dos servidores públicos, embora estes sejam em número bem menor do que os da iniciativa privada. A proporção é de mais ou menos 25 para 75 na divisão do bolo, além do que os cidadãos de primeira classe gozam de  privilégios inimagináveis para os de segunda, como a estabilidade no emprego – não importando o quão ineficientes sejam – bem como aposentadoria integral e outras benesses. Mas o senhor nunca enxergou essa aberração e muito menos lutou para acabar com ela.

Na verdade, senador, o senhor nunca lutou por classe nenhuma, o senhor sempre comprou seus votos enganando-os com seus projetos inviáveis todos de cunho socialista, ou seja, bancados pelo dinheiro dos outros. 


Foi justamente essa política suicida adotada pelos governos L--- e Dilma que levou o país à situação de bancarrota em que se encontra agora. Apesar dos exemplos pelo mundo afora, vocês comunistas nunca entenderam que o socialismo “só dura enquanto dura o dinheiro dos outros”, como bem disse Margareth Thatcher. Acontece que no Brasil o dinheiro dos outros também acabou e o governo que o senhor sempre sustentou está ai a cair de podre.


Ora, se o senhor estivesse lutando por justiça no sistema previdenciário brasileiro, que em verdade é uma aberração imoral e desumana, sua luta teria sido outra em favor de uma reforma geral do sistema que o tornasse justo, igualando a todos, e autossustentável, sem precisar ser custeado pelos impostos dos contribuintes como é hoje, representando uma enorme carga para o tesouro. Não, isto dá trabalho e exige muita imaginação, por isto o senhor prefere o caminho mais curto, enganoso e demagógico de melhorar a situação dos cidadãos de segunda classe sem mexer nos privilégios imorais dos de primeira classe. Fácil assim.

No que se refere às propaladas conquistas sociais dos governos petistas, eu lhe pediria que me apontasse uma só, apenas uma e não mais que uma que realmente possa ser considerada uma conquista social verdadeira e duradoura, pois eu não conheço nenhuma. Tudo aquilo que os petistas consideram conquistas sociais nada mais representam do que enganações como, por exemplo, a afirmação de que os governos petistas retiraram da pobreza 25 milhões de brasileiros. Isto é a maior mentira que eu já ouvi, porque o Brasil continua sendo tão ou mais pobre e miserável quanto antes dos governos petistas. Se estão se referindo ao bolsa família, que mantém vivos porém na miséria doze milhões de famílias, estão supondo que todo brasileiro é um idiota e imbecil. A verdade é que os únicos brasileiros que melhoraram de vida ao longo dos governos petistas foram seus próprios militantes e apaniguados através de diversos esquemas de mútuo beneficiamento, como o aparelhamento do estado com mais de vinte e cinco mil cargos de confiança, as benesses concedidas aos amigos através do BNDES que nunca produziram nada em benefício do país (conhece o Eike Batista e o José Carlos Bumlai, dentre outros?), bem como do esquema de corrupção envolvendo as empreiteiras de obras públicas que levou o presidente da principal delas, a Norberto Odebrecht, para a cadeia, indicando que o cadáver ainda respira. O que sei é que nos governos petistas nenhuma obra pública foi ou está sendo realizada sem a adoção do sistema de superfaturamento cuja finalidade é custear as milionárias campanhas do PT, enriquecer seus principais membros e amigos empreiteiros. Há até o caso da obra idealizada apenas com este fim, como a tal transposição do rio São Francisco, inútil e inócua que já consumiu mais de cinco bilhões de reais e jamais será concluída.

Senador, justiça social se promove com o desenvolvimento que gera riquezas, empregos e aumenta a arrecadação de impostos. Mas para isto é necessário primeiramente cuidar de oferecer uma educação de qualidade para formar uma boa mão de obra, ou seja, cidadãos úteis e produtivos. E os governos petistas nunca se preocuparam com isto e a prova é que o Brasil ostenta hoje um dos piores sistemas de ensino do mundo, sem falar que não existe nenhum projeto dos governos petistas visando promover o desenvolvimento gerador de riquezas, empregos e renda em nenhuma parte do país, apenas projetos, alguns de grande vulto, como a transposição do rio São Francisco, que só propicia oportunidades de desenvolvimento da corrupção. Os tais PAC nada mais são do que Projetos de Aceleração da Corrupção.

Dentre muitas bobagens que o senhor afirmou na entrevista, uma delas revela o seu grau de desconhecimento da própria constituição e das leis brasileiras, coisa inadmissível num senador. Perguntado qual a sua posição a respeito do impeachment da Dilma, o senhor respondeu:
“Sou contra o impeachment porque estou convencido de que não há
motivos jurídicos. Acho que é uma decisão política que será tomada
pelo Congresso.”

Chega a ser infantil tal afirmação uma vez que as contas do governo Dilma foram rejeitadas pelo TCU justamente por ter ela violado a Lei de Responsabilidade Fiscal. E mesmo assim o senhor não encontra motivos jurídicos para o seu afastamento. Eu sugiro que o senhor leia a constituição e, principalmente, o pedido de impeachment assinado pelo jurista Hélio Bicudo, este sim, um envergonhado e triste com o comportamento do PT, pelo eminente jurista Miguel Reale Júnior e pela também jurista Janaína Paschoal.

Mas vamos esquecer os aspectos jurídicos e as pedaladas da Dilma, bem como seu comportamento irresponsável (apenas irresponsável?) diante da compra da sucata de Pasadena pela Petrobras e nos fixemos apenas na sua total incompetência para gerir o que quer que seja e isto já seria motivo suficiente para o seu afastamento.

Juridicamente falando, devo lhe dizer que se o Brasil tivesse realmente instituições independentes e cumpridoras de seus deveres, a licença de funcionamento do PT já teria sido cassada e o partido
extinto dado o rosário de crimes que praticou ao longo dos últimos treze anos.

Finalizo dando dois conselhos, um ao senhor e outro a revista Veja.

- Ao senhor: saia do PT, como é seu desejo, e abandone a política para o bem do seu estado e do Brasil. O senhor aposentado estará prestando muito melhores serviços ao país do que na ativa.

- A revista Veja, que me lê por cópia: não desperdicem as páginas amarelas dessa prestigiada revista com entrevistas dessa “desimportância”. Afinal, há muitos temas importantes na atualidade
que podem ser explorados, assim como muitas pessoas que realmente têm o que dizer além de bobagens como esse senador Paulo Paim.

Boa sorte para o senhor.
Otacílio M. Guimarães

Um brasileiro auto exilado na Austrália por não ter mais suportado o fedor dos esquerdistas brasileiros."

Um abraço forte,
Marconi Rodrigues da Cunha