Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

ESTRATÉGIAS, ‘’A ARTE DA GUERRA’’, de Sun Tzu

 
 
Estratégias a serem adotadas
 

- A melhor forma de se “armar” é retirar as “armas” do inimigo.  

- O  'príncipe'  deve respeitar o povo que representa. Para isso deve se mostrar sóbrio e austero em seus gastos públicos. 

- Podemos utilizar os defeitos do inimigo para derrotá-lo.   

- Nunca se deve atacar por cólera e com pressa. (ô coisa difícil!)  

- Conhecermos  os planos do inimigo.    Eleição 2018 é um deles.

- A vitória sobre o inimigo se dá pela estratégia e não pela força. 

- Se tuas forças são dez vezes superiores às do adversário, cerca-o; se são cinco vezes superiores, ataque-o; se são duas vezes superiores, divide- o.   Caso tuas forças sejam inferiores, mantenha-te continuamente em guarda, pois a menor falha te acarretaria as piores conseqüências. O ideal será retirar-te e buscar outra saída. 

- Canse  o inimigo para dominá-lo.  

- Ridicularize-o, desmereça-o, desmoralize-o, denigra sua imagem. 

- Se conheces os demais e te conheces a ti mesmo, nem em cem batalhas correrás perigo; se não conheces os demais, porém te conheces a ti mesmo, perderás uma batalha e ganharás outra; se não conheces os demais nem te conheces a ti mesmo, correrás perigo em cada batalha.  

- A invencibilidade está em ti mesmo, a vulnerabilidade no adversário.  

- A vitória pode ser percebida, mas não pode ser fabricada.  

- A união sempre vencerá a divisão. Devemos agir como se fôssemos um só. 

- A vitória se ganha por surpresa.  

- A desordem chega da ordem, a covardia surge do valor, a debilidade de um brota da força do outro.  

- A arrogância de nossos inimigos deve ser nosso grande aliado. Finja-se de frágil e desorganizado.  A ordem e a desordem são uma questão de organização; a covardia é uma questão de valentia e de ímpeto; a força e a debilidade são uma questão da formação na batalha 

- O valente luta, o cuidadoso faz sentinela, o inteligente estuda, analisa e se comunica.

- Canse o adversários . Caso eles estejam bem alimentados, procure um meio de cortar seus mantimentos. Quando estiverem descansando, ponha-os em movimento.  

- Confunda seus adversários  e os encha de incertezas 

- Dê ao adversário a falsa certeza de sua invencibilidade. 

-  Induza-os a adotar formações especificas, para conhecer seus pontos fracos. O inimigo deve ser induzido a criar cada vez mais defesas para se tornar mais debilitado.

Utilizar muitos métodos para confundir e perturbar o inimigo (objetivo: observar suas formas de resposta; depois de tê-las observado, saber que classe de situações significam vida e quais significam morte)

- Confunda o inimigo. MOSTRE-SE MAIS FRACO DO QUE ÉS. 

- Na hora de desmoralizar, use a firmeza. Seja convincente.  

- Cansa os inimigos e os mantenha ocupados para não dar-lhes chance de 'respirar'.  

- Os que estão dispostos a morrer, podem perder a vida; os que querem preservar a vida, podem ser feitos prisioneiros; os que são dados a ‘apaixonamentos’ irracionais, podem ser ridicularizados; os que são muito puritanos, podem ser desonrados; os que são compassivos, podem ser perturbados.  

- Quando os emissários do inimigo pronunciarem palavras humildes , cuidado, pois poderão estar se preparando e podem avançar.  Quando pronunciarem palavras altissonantes ostensivamente (um método muito usado por nosso ex), é sinal de que o inimigo estará pronto para 'se retirar'  (está acuado ou derrotado).   

- Se os soldados inimigos se apoiam uns nos outros, é que estão famintos. Se produzem murmurações, faltas de disciplina e os soldados falam muito entre si, significa que foi perdida a lealdade da tropa. Se outorgam numerosas recompensas, é porque o inimigo se acha em um beco sem saída; quando se ordenam demasiados castigos, é porque o inimigo está desesperado.  

- Para vencer um inimigo, todos devem cooperar em conjunto para ganharem força.   

- Tanto a INSEGURANÇA, quanto a confusão do inimigo podem ser, também, grandes aliados. 

- A norma geral para se vencer é a união. Se dispersar, se dividir pode ser o caminho certo para a destruição.  Os vencedores costumam agir como se fossem uma só pessoa. 

- Faça o adversário se preocupar e se tornar vacilante e temeroso.