Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Entre na moda. É UMA ORDEM! - III


 Getúlio Vargas representou minha despedida do mundo da fantasia.  Ainda criança, ouvia fortes críticas dedicadas a ele vindas de uns e, ao contrário, louvores de outros dentro da minha própria casa. Tanta controvérsia acendia minha curiosidade que soube aguardar até a hora de poder ‘fuçar’ os livros, igualmente controvertidos, para descobrir se, afinal, ele era um anjo ou um demônio. Durou até o momento de ler a tese de um aluno que apenas narrava os fatos. Simples, sem críticas ou elogios. Acabou a curiosidade e passei a ver a figura tão polêmica com meus próprios olhos.  Daí em diante os populismos e outros ‘ismos’ do mesmo gênero ganharam minha eterna antipatia e surgiu o prazer que nos dá a liberdade de pensar contrariamente ao pensamento dos meus iguais, que eram tão diferentes.  

Ideias sutilmente implantadas deixam de ser um simples “modismo”, repetido de maneira inconsciente, quando seus seguidores se tornam seus defensores sem autorizar que tais ideias sejam colocas em dúvida . Crença não aceita discussão. 

 

Moda, modismos e crendices do momento  

A tatuagem se tornou uma delas.  O que um dia foi visto como extremo mau gosto, usado apenas por pessoas que trabalhavam em embarcações, em zonas portuárias, e tinham pouca instrução, hoje se tornou um adorno usado por muitas pessoas de diversas camadas sociais.  Na música de Chico Buarque – Minha História, ele se refere a um homem bem simples que, além de ter tatuagem no braço, usava dourado no dente. ‘Ele vinha sem muita conversa, sem muito explicar/ Eu só sei que falava e cheirava e gostava de mar/Sei que tinha tatuagem no braço e dourado no dente...’   E aí?  Quando o dourado no dente se tornará modismo? 

Da mesma forma, temos a LEI SECA, um autoritarismo aplaudido por todosNão é autoritarismo, de jeito nenhum, porque evita muitos acidentes.”, nos dizem quase todos, como se fôssemos uns monstros por não aceitar o Estado como um pai que nos tratasse como irresponsáveis, incapazes de agir se não fôssemos ameaçados pelas normas das leis.  Pois, é. Ideologia e autoritarismo de braços dados de um lado; dependência e incapacidade de outro.  Cada um tem o que merece.
 

 Hipocrisia  

1 - A um tempo atrás muitas pessoas resolveram ser favoráveis a uma campanha politicamente fervorosa em favor das vítimas das enchentes na Região Serrana do Rio de Janeiro. Os assuntos são completamente diferentes, mas o comportamento é exatamente o mesmo. Enquanto o caso estava no noticiário e as manifestações eram vistas na mídia, todos se empenhavam.  Assim que o problema deixou as primeiras páginas dos jornais, os beneficentes jogaram os alagados p’ra lá. Foi quando a falsidade deixou que os alagados morressem afogados.  

2 - A nova moda agora é ser contra o aborto.  Cada vez é maior o número de crianças que se tornam mães.  Mas abortar é proibido.  São crianças que não têm condiões nem mesmo de cuidar de si mesmas , muito menos de uma criança que  foi gerada precocemente.  Mas  o aborto é proibido !
 
Jamais proíbam coisa alguma, pois
É PROIBIDO PROIBIR.
Queremos liberdade até para cometer os nossos erros.
E vamos abortar, sim, a hipocrisia. 

 

MENTIRA JOGADA AOS PORCOS

Nada mais dentro da moda do que afirmar que a Classe C virou classe média. Segundo os seguidores do marxismo haveria luta de classes nas sociedades capitalistas.  O domínio pertenceria à classe com maior poder aquisitivo, que  exerceria controle sobre o Estado, e quanto as classes dominadas seriam as mais pobres.  

De  acordo com o pensamento acima, seria necessário promover uma “troca” na situação dos mais fortes e mais fracos (dominantes e dominados), pois haveria uma estrutura social mais adequada.  A teoria marxista só esqueceu um detalhe: o que é mais adequado para uns, pode não ser para outros.  E a luta de  classes na sociedade persistiria.

 Aqui no Brasil, por exemplo, poderíamos dizer que a troca a que o marxismo se refere já houve.  A base da pirâmide se voltou para o alto e o ápice virou para baixo. É como se víssemos um triângulo de cabeça para baixo.  Justamente esse desequilíbrio do triângulo seria, hoje, um problema, pois o Brasil estaria entregue aos  menos  qualificados, tanto em termos morais, quanto financeiros e  educacionais.  De fato, a atual estrutura é muito mais adequada... para quem pretende ficar com um país cambeta em suas mãos. 

Segundo os mais entendidos, não poderíamos mais falar em pirâmide de classes sociais no nosso país, pois hoje teria se transformado num losango (talvez tenha passado por algum processo no Photoshop, capaz de transformar uma lagartixa em jacaré).  E tudo seria por causa da suposta migração das classes menos favorecidas, que deixaram de pertencer à classe C e, hoje, são classe média .

Parece um tanto estranho ver a classe média dependendo de ajuda transporte para trabalhar; depender de ajuda alimentícia; fazer compras por meio de prestações a perder de vista; ver seu carro virar um calhambeque antes de estar totalmente pago; providenciar “gatos” para evitar pagamento da conta de luz, ou ter até ar condicionado ligado o dia inteiro porque quem paga o abuso não é ele; ter casa própria em terreno invadido; ter acesso a canais da NET de forma ilegal; e, depois de tudo isso, ainda ir a restaurantes, afinal classe média tem que ir a restaurante, self-service de preferência.  Ao menos é essa a realidade de uma carioca que, espera, não seja a mesma em outras cidades.   

Talvez fosse mais honesto dizer que ao invés de a classe C ter virado classe média, a classe média é que virou classe C.

Muitos aceitam o modismo imposto pelos outros.
Porém, bom mesmo, é lançar o nosso próprio modismo.
Portanto, lanço o meu:
SE ESTÁ NA MODA, SOY CONTRA