Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

segunda-feira, 2 de maio de 2016

CENSURA no Facebook


Já estou farta de sofrer tantas censuras na Internet, onde coloco apenas fatos verídicos, tendo o cuidado de fazer ampla pesquisa para evitar a colocação de coisas falsas - http://puteiro-nacional.blogspot.com.br/2010/07/censura-deputado-pede-providencias.html#comments, até porque preciso preservar meu nome e minha cara e não  colocar minha  cara a tapa.  Não vou me esconder no anominato, o que  existe apenas para os mais fracos (mentirosos ou indecisos).
 

Agora a censura foi feita (não  sei quem a fez, porque a citada rede social e antidemocrática, não informa) provavelmente por  quem não quis admitir o lado  obscuro, embora nem tanto, de Dilma Rousseff, colocado  no site que fala sobre a verdadeira presidentA, sua vida pregressa e suas mentiras.  Só falta, agora, me bloquearem de vez e me proibirem de expor meus blogs políticos .

 
BLOG QUE FOI DENUNCIADO -  http://dilma-mostra-tua-cara.blogspot.com.br/  Esse blog começou a ser elaborado quando ela ainda não era presidente da República, com o objetivo  de evitar a situação caótica em que nos encontramos atualmente, contando quem era a verdadeira candidata de seu antecessor.

 

Trecho de um Artigo de  Lya Luft  sob o título LIBERDADE DE EXPRESSÃO 
"Escritores devem escrever, palestrantes devem falar. Qualquer pessoa tem a obrigação de pensar e o direito de se expressar. Claro que isso não acontece num país de analfabetos, onde não se tem interesse em que o povo pense: um povo informado escolheria outros líderes, não ficaria calado quando pisoteiam sua honra, expulsaria de seus cargos os pseudolíderes e tentaria recompor as instituições aviltadas. Mas nós não fazemos nada disso: parecemos analfabetos e afásicos, uma manada de bobos assistindo às loucuras que se cometem contra nós, contra cada um de nós. "

Hoje, o jornal O GLOBO, o único jornal que temos aqui no que sobrou do Rio de Janeiro (que chamo de Choro de Janeiro) saiu uma entrevista  com Catherine Millot, que, em um trecho diz que  'Escreve-se o que não pode ser dito'.  Dizem que ela é francesa e veio ao Brasil para participar de eventos nas faculdades de letras. Embora ela tenha dito a frase citada apenas em relação  ao que desejaríamos dizer e não o fazemos para não causar mal estar a terceiros. Isso causaria  mal-estar a nós mesmos, se não fôssemos criados para mentir ou omitir nosso verdadeira opinião.


 Censura e arrogância
 
Ao se dizer isso ou aquilo, principalmente sendo psicóloga, a entrevistada Catherine Millot pretendeu se impor aos leitores (ela ou quem a entrevistou).  Pretendeu impor suas ideias e sua forma de pensar pelo respeito que acha lhe ser devido, pelas funções que exerce.  Seria bem melhor que fosse colocada num jornal sua forma de pensar sem citar suas  "qualificações" .  Tanto um psicólogo quanto um entrevistador  sabe muito bem como funciona a cabeça das pessoas ao ler uma entrevista ou algum artigo de jornal.  Talvez por isso mesmo  o melhor seria 'enaltecer' o entrevistado  - "Sou doutora em filosofia e psicanalista. Dei aulas na Universidade Paris VIII por 38 anos e, desde 1980, atendo em meu consultório. Tenho livros publicados sobre psicanálise e uma coleção sobre escritores. Depois comecei a escrever obras autobiográficas sobre minha análise e como me tornei escritora.".
 
Frases da entrevistada A escrita é uma maneira de ouvir a si mesmo? / Quando estamos no campo da palavra, ficamos cativos do sentido. Mas quando se escreve, o campo da letra, é outra coisa. / Escreve -se o que não pode ser dito. / Quando se escreve, a gente se situa na fronteira daquilo que não é possível de ser dito. Essa é experiência da escrita. Existem coisas que não consigo dizer, mas continuo escrevendo. Quando escrevemos, é possível abrir um caminho.
http://oglobo.globo.com/sociedade/conte-algo-que-nao-sei/catherine-millot-psicanalista-escritora-escreve-se-que-nao-pode-ser-dito-19201152#ixzz47UYnnlKO 

 
Em letra graúdas, diz a entrevista 'ESCREVE-SE O QUE NÃO PODE SER DITO" -
 
O que pode ser dito? 
Quem é que escolhe o que pode ou não pode ser dito? 
Quem impõe as regras que devemos seguir? 
A sensibibillidade alheia ? 
A verdade que não deve ser exposta? 
A mentira que preferem incutir nos outros? 
Afinal quem é o CENSOR?