Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

DIFERENÇAS ENTRE PRESIDIÁRIOS

 
 
"Dinheiro na mão, calcinha no chão
Dinheiro sumiu, calcinha subiu."
 
 
 
 
 
 
 
Jornal Nacional obteve fotos exclusivas da cela onde estão o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, e a mulher dele, a ex-primeira dama Adriana Ancelmo. Os dois são presos desde novembro sob suspeita de participar de esquema de corrupção envolvendo obras públicas. Eles vão responder por lavagem de dinheiro e organização criminosa, entre outras acusações.
 
 
Se eles eram "sócios" antes, não mais o são agora, embora diga a reportagem que uma vez por semana eles se encontram no pátio do presídio (Segundo a Secretaria de Admnistração Penitenciária (Seap), quando os presos são de uma mesma família, eles podem se visitar. O ex-governador e a ex-primeira dama se cadastraram e passaram por um processo de autorização. Eles se encontram toda quarta-feira no pátio do pavilhão onde está Cabral. É ela quem vai até ele. O encontro vai das 9h até as 16h., ).
 
A enorme diferença começa no tamanho do 'aposento' em que estão os dois presidiários.  Enquanto ele conta  com 16m2 à sua disposição,  ela fica num espaço bem mais exíguo, de apenas  6m2 . Sem contar com outros detalhes que podem ser lidos no site colocado acima.
 
 
Garrafas de água são usadas para faxina,
que ela mesma faz.
 
 
Podem imaginar uma conversa  entre os dois?
 
Imaginação:
 
- Você é o culpado por eu trocar nosso palácio por isso aqui.
 
- Culpado, coisa nenhuma, afinal você também soube se aproveitar muito das vantagens que traziam as 'armações ' que fiz.  
 
- Mas nunca imaginei que isso poderia acontecer, do contrário não teria aceito nada!
 
- Mas aceitava e sem reclamar!
 
- Além disso, você tem vantagens aqui que eu não tenho.
 
- Não tenho culpa se eu era Governador e você se limitava a ser casada com um 'mafioso' como eu.
 
- ...