Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Cegueira jurídica



No jornal de hoje, foi escrito por Ancelmo Gois, em sua coluna:

Passo de Tartaruga

          A Justiça, como se sabe, costuma demorar  a julgar  processos de improbidade administrativa.  E a 2a. Vara d e Fazenda Pública do Rio acaba de estabelecerr recorde de lentidão:  22 anos.
 
          É que, em l993, o MP do Rio moveu ação contra o ex-titular da Deleacia de Repressão a Entorpecentes Antônio Nonato da Costa, acusado de enriquecimento ilícito, e só agora foi deterinada a perda, em favor do Estado, de bens e valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio  do policial.
 
          Detalhe: Nonato já faleceu.


imagem da Justiça aparece à nossa frente com os olhos vendados.  Ela, a Justiça, assim aparece para simbolizar a idéia que sempre desejam nos passar,  de uma Justiça cega, para quem todos seriam iguais.   Será que é isso mesmo?  Ou ela andaria com os olhos vendados para não ver, oportunamente, o que se passa?
 
Qual seria a verdadeira escolha da nossa Justiça?
 
Você, um simples eleitor que paga o salário dos Juízes, já experimentou não pagar alguma dívida com a União ou com o Estado em que vive?  Acredita que levariam 22 longos anos para meter a mão em sua conta bancária para se ressarcirem do que lhes é devido, ou pensam que lhes é devido ? 


Por viver num país em que nada é confiável,  não aceito nenhum tipo de subserviência. Minha moda quem determina sou eu, minhas normas, por mais rígidas que sejam, imponho a mim mesma e minha Justiça, quando posso, quem faz sou eu.  

NÃO PODEMOS SER MANDADOS POR VAGABUNDOS OU PILANTRAS!