Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Já que ela não faz, fazemos nós

 

Ao sentirem  a corda em seus pescoços,  os dirigentes de 6 centrais sindicais chamaram (convidaram)  grandes empresários e entidades patronais para discutirem um jeito de retomar o crescimento econômico do país, antes que o partido que garante seus 'penduricalhos' vá definitivamente para o buraco.
 
 
SINDICALISTAS ACREDITAM  EM  MILAGRE
 
 
O objetivo deles seria a elaboração de um documento para ser entregue, no dia 9 de dezembro, à incompetente presidente Dilma Rousseff , com sugestões para incentivar o crédito, manter a produção industrial e gerar  empregos, retirados dos trabalhadores por seus patrões que estão degolados de tanto pagar impostos para suprir o buraco sem fundo em que o atual governo enfiou nosso país.
 
 
Como jamais diriam a verdade, ou seja, o "já que ela não tem competência para fazer, façamos nós", dariam às sugestões feitas o lindo nome  de “Compromisso Permanente para o Desenvolvimento”.  As sugestões serão apresentadas aos empresários em encontro hoje (23.nov.2015) em São Paulo, para  'servir de base para as discussões', ... ".


Sindicalistas: dirigentes da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Força Sindical, UGT (União Geral dos Trabalhadores), CTB (Central das Trabalhadoras e Trabalhadores do Brasil), Nova Central e CSB (Central Sindical do Brasil).
 
 
Convidados representantes dos 4 setores da economia:  serviços, comércio, agricultura, indústria. Entidades patronais: CNI (Confederação Nacional das Indústrias), Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos) e dirigentes de grandes empresas como a CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), Magazine Luiza, Gerdau e Embraer.