Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Parece, mas não é...

 
 
Até parece que o escritor do livro intitulado  "Mulheres de cinzas" estava em Mariana quando houve aquela avalanche de lama que invadiu casas e cidades, destruindo tudo o que havia pela frente.
 
 
“Nas minas não há corpos.
É tudo terra, pedras e gente, vivos e mortos:
tudo terra, dentro da terra (...).
Esta é ...a história dos rios.
Poderão roubar a sua água até secarem.
Mas não roubarão a sua história.”
 
 
TRECHO do livro “Mulheres de cinzas” (Cia. das Letras),  escrito pelo  moçambicano Mia Couto / Crédito: Carol Machado.

 
Se ele estivesse lá , 
no lugar de terra, teria escrito lama.