Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

domingo, 11 de janeiro de 2015

Construtora Odebrecht e Petrobrás


 
Odebrecht é primeira a ir a pique!
 
 
 

Corre forte rumores no mercado financeiro de que a Construtora Norberto Obedrecht Brasil S.A. está caminhando celeremente à recuperação judicial. O grupo Odebrecht é um emaranhado de empresas interligados na área de construção, montagens industriais e empreendimentos imobiliários. Além de tudo, não há transparência que permita análise mais apurado da real situação.
 
O fato é que a Operação Lava Jato que apura a ladroagem na Petrobras, está trazendo consequências imprevisíveis no resultado financeiro do grupo empresarial. A Construtora Odebrecht tem um Capítulo especial nas investigações sobre a ladroagem na Petrobras. 
 
Circulam informações no mercado financeiro de que os principais diretores da Construtora Odebrecht não estão mais à frente da administração do dia a dia da empresa. O principal executivo, segundo o engraxate do BMF/Bovespa, que ele já está residindo no Panamá. 
 
Os principais clientes da Construtora Odebrecht são órgãos públicos ou companhias ligados ao governo federal, entre eles a Petrobras e Eletrobras. A consequência é que, no próximo ano, 2015, que será o auge do processo de investigação da Operação Lava Jato, é que no mínimo as obras e serviços em andamento na Petrobras e empresas coligadas deverão ser paralisadas. 
 
Não se sabe o que será feito da Construtora Odebrecht. A sua dependência e relação incestuosa com órgãos públicos federais é tamanha que o segundo mandato da Dilma terá uma dor de cabeça adicional a resolver. Não acredito na solução, mas corre notícia de que será menos custoso para a União Federal estatizar a Construtora Odebrecht do que levar a empresa ou as empresas do grupo à recuperação judicial.
 
Explica-se a preocupação. A Construtora Odebrecht é uma das maiores devedoras do sistema BNDES e dos fundos de pensão das estatais, como Petros, Previ, Funcef e outros. Além de tudo, o pedido de recuperação judicial da Odebrecht levaria uma outra empresa baiana, a OAS, também para o mesmo caminho. 
 

Uma eventual quebra da Odebrecht poderá provocar o efeito dominó, levando outras empresas que tem como principal cliente a Petrobras. O efeito dominó não ocorrerá somente no setor de construção e montagens industriais, mas também ao sistema financeiro, uma vez que o sistema financeiro à frente o BNDES está entupidos de "bonds", recebíveis a longo prazo, das empreiteiras investigados pela Operação Lava Jato.
 
Isto tudo pode parecer minha "ilação", mas não é. Quando o assunto chega a ser comentado pelo "engraxate" da BMF/Bovespa, é porque o assunto está por explodir nos próximos meses.  Não precisa ser analista para fazer o diagnóstico, basta acompanhar o desenrolar dos fatos com atenção. Atenção, BNDES e fundos de pensão, se segurem que vem chumbo grosso à frente! Tomara que isto não vire crise do sistema financeiro.
 
*****
 
 
Na semana passada soube de uma alta funcionária da Construtora Odebrecht que ela está na lista para ser mandada embora ainda este mês.  Motivo: não sei de nada!