Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Besteiras by Dilma




 QUEM MANDA


A presidente Dilma fez um favor a si mesma ao DESAUTORIZAR o presidente do PT, ...
 
 


Ruy Falcão, presidente petista,  resolveu aderir ao gênero 'besteiras by Dilma'  (que ultimamente falou em estocar o vento, quando pensou em estocar a energia proveniente do vento, além de fazer comparações desastrosas entre o sol e a lua).
 
 
 

Em sua coluna de hoje, Miriam Leitão se saiu com essa:


O presidente do PT faria um favor a si mesmo se estudasse um pouco mais os temas sobre os quais quer opinar. Ele deu, na entrevista à “Folha de S. Paulo”, dois exemplos de mudanças que o ministro Levy teria que aceitar: redução da taxa de juros e liberação do compulsório dos “bancos privados”.

Juros e compulsório são temas exclusivos do Banco Central. Se quiser exigi-los, o PT deve se dirigir ao BC e não à Fazenda. Falcão quer impor a Levy o que está na alçada de Alexandre Tombini. Outra informação para ajudar Falcão na próxima vez que quiser ditar os rumos da política econômica: não existe “compulsório de banco privado”. Existe compulsório. De todos os bancos. É o percentual dos depósitos em conta-corrente e em aplicações que deve ser recolhido ao BC. Não se estabelece níveis diferentes para bancos públicos e privados. Não teria cabimento.
 
O artigo de Miriam Leitão, bom como todos os outros, é dedicado principalmente à economia, mas não deixa de comprovar, mais uma vez,  de que tanto a presidentA Dilma quanto o partido a que pertence 'vivem se estranhando' muito bem.  Deixando a economia para lá, prefiro me ater mais à uma espécie de peteleco que ela deu no presidente  petista.  Aliás, nem sei mais se ela deu um peteleco no  Falcão, ou se o Falcão a vem agredindo com PIXULECOS.
 
 
 
''EM BOCA FECHADA NÃO ENTRA MOSCA.''