Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

domingo, 25 de outubro de 2015

"Homo exterminatore"





 
A Barra da Tijuca não se tornou apenas um enorme formigueiro, para onde muita gente corre.. Lá podemos ver o que o homem, dito civilizado, faz com seu Planeta Terra.
 

E depois ainda aparecem grupos falando no aquecimento global.  Não adianta nada as pessoas falarem tanto sobre um provável acontecimento que já aconteceu sem mudar o  pensamento das pessoas.
 
 
É na Barra da Tijuca que podemos ver a inoperância, a falta de responsabilidade de quem vai precisar futuramente de  uma água que deixará de existir, pois o homem dito sapiens põe abaixo todas as árvores que aparecem pela frente e  podem atrapalhar o formigueiro.

  
É como  disse um amigo meu: cada vez o homem vive mais tempo e cada vez mais pessoas aparecem. Se as pessoas deixassem ao menos as  árvores em volta do que pretendem fazer nosso mundo estaria muito melhor.
Nunca esquecerei as palavras de uma amiga minha que tinha acabado de comprar uma casa.  Toda cheia de empáfia disse:  derrubei a árvore que estava aqui porque cobria meu chão de folhas.
 
 
Machado de Assis, em seus maravilhosos contos, narra o que era o bairro da Tijuca (não Barra da Tijuca), onde as pessoas passavam suas férias pois era um lugar aprazível e bem mais fresco do que bairros próximos ao centro do Rio de Janeiro.  Hoje a Tijuca se tornou um bairro abafado, tão abafado quanto todo o resto do Estado.
 
 
O que podemos constatar é a água, indispensável a todos nós, se acabando e o nosso mundo se tornando quase inabitável.  Mas calma, ele se tornará inabitável daqui a pouco.  Aí é que as pessoas verão a merda que fizeram.